16 de novembro de 20 Autor: Julia Cardoso
Entenda o que significa a carta postada por Taylor

Hoje (16) tornou-se pública a notícia de que Scooter havia vendido os masters dos seis primeiros álbuns de Taylor no valor de 300 milhões de dólares.

O empresário é dono da Ithaca e comprou a antiga gravadora de Taylor, Big Machine, em junho de 2019, por mais ou menos 300 milhões.

A compra contempla todos os aspectos da BMLG inclusive os clientes, acordos de distribuição, direitos de publicação e os masters de todos os artistas. Taylor assinou seu contrato com o BMLG no começo de sua carreira e o mesmo expirou no fim de 2018, ano em que ela assinou com a UMG.

Taylor há pouco se pronunciou esclarecendo o caso, expondo as condições bizarras que Scooter e seu time a proporam em troca de seus masters e revelando, enfim, que está sim regravando seus álbuns e haverão muitas surpresas pela frente.

Quais são as vantagens para Taylor a respeito da regravação de seu catálogo?

Desviar os lucros do comprador garantindo que sejam suas novas versões e não as antigas que serão tocadas pelos fãs e usadas em comerciais, programas de TV, filmes, jogos e outros. A empresa compradora dos direitos das gravações ainda precisará de autorização dos detentores dos direitos de divulgação para licenciamento e uso em comerciais.

Para conferir tudo o que foi dito por Taylor, cnfira abaixo a carta completa e traduzida pela Equipe TSBR.

Eu queria checar e atualizar vocês. Como sabem, durante o ultimo ano venho tentando readquirir a propriedade dos meus masters. Pensando nisso, meu time tentou entrar em negociações com o Scooter Braun. O time do Scooter queria que eu assinasse um termo de confidencialidade muito rígido dizendo que eu nunca diria outra palavra sobre Scooter Braun a menos que fosse positiva, antes mesmo que pudéssemos olhar as demonstrações financeiras do BMLG ( o que é sempre o primeiro passo em uma compra dessa natureza). Então, eu teria que assinar um documento que me silenciaria para sempre antes mesmo que eu tivesse a chance de fazer uma proposta de pagamento sobre meu próprio trabalho. Meu time jurídico disse que essas condições são absolutamente FORA do comum e que eles nunca viram um acordo de confidencialidade assim, sem ser em casos de um assediador que tenta comprar o silêncio de sua vítima 😬 Ele nem passou um preço para o meu time. Esses masters nunca estiveram a venda para mim. Algumas semanas atrás meu time recebeu uma carta de uma empresa de capital privado chamada “ Shamrock Holdings”, que nos avisou ter comprado de Scooter Braun 100% da minha música, vídeos e arte de álbuns. Foi a segunda vez que minha música foi vendida sem que eu soubesse. A carta dizia que eles queriam falar comigo antes da venda para me avisar mas que o Scooter Braun tinha requerido que eles não me contatassem ou o meu time, caso contrário a negociação seria desfeita. Assim que começamos a comunicação com Shamrock, eu descobri que sob os termos deles Scooter vai continuar lucrando por muitos anos sobre meu antigo catálogo. Eu estava esperançosa e aberta a possibilidade de uma parceria com Shamrock mas a participação de Scooter é um impedimento para mim. Recentemente, eu comecei a regravar minhas músicas antigas e isso tem se provado animador e criativamente gratificante. Eu tenho muitas surpresas guardadas 😎 Eu quero agradecer vocês por me apoiarem durante essa saga continua e eu mal posso esperar para vocês ouvirem o que eu tenho sonhado. Amo vocês e vou continuar tocando em frente, como dizem.

Taylor

Confira também a carta feita por Taylor para a Shamrock Holdings.

28 de Outubro de 2020
Carta de Taylor Swift

Queridos Patrick, Jason e Laura,
Muito obrigada pela carta. Ao ler suas gentis palavras, eu estava emocionada com a ideia de trabalhar com pessoas que valorizam a arte e entendem o quanto o trabalho da minha vida significa para mim. Eu imediatamente comecei a planejar todos os jeitos que poderíamos trabalhar juntos em expandir e proteger minha música enquanto aumentaríamos os lucros de todos os envolvidos, especialmente meus fãs. Então, independente do fato de que é a segunda vez que meus master são vendidos sem meu conhecimento enquanto eu estava ativamente tentando comprá-los, a carta de vocês trouxe uma boa dose de esperança pela legalidade da minha música e nosso possível futuro juntos.

É por isso que eu fiquei tão desapontada quando eu descobri que nos termos da sua aquisição, o Scooter Braun e a Ithaca Holdings vão continuar a receber por muitos anos recompensas financeiras das minhas gravações, clipes e arte do álbum. Se eu apoiar vocês como vocês pedem, eu vou continuar contribuindo para os futuros lucros de Scooter Braun e Ithaca Holdings. Eu simplesmente não consigo em plena consciência me colocar em uma posição de beneficiar os interesses de Scooter Braun direta ou indiretamente. Como resultado, eu não posso ser parceira de vocês. É muito triste saber que eu não vou poder continuar ajudando no crescimento do meu trabalho passado e isso me causa enorme dor ao ficar separada da música que eu passei mais de uma década criando, mas é um sacrifício que eu vou ter que fazer para manter Scooter Braun fora da minha vida. Eu sinto muito colocá-los nessa posição. Desejo que pudéssemos ter tido uma solução melhor e por favor me deixem saber se a sua empresa algum dia estará completamente independente do Scooter Braun e de seus parceiros.
Eu sinto a necessidade de ser completamente transparente com vocês. Eu vou prosseguir com meus planos de regravar meus trabalhos e começarei em breve. Eu sei que isso reduzirá o valor das minhas gravações antigas, mas espero que vocês entendam que isso é minha única forma de reganhar o sentimento de orgulho que eu un dia tive quando ouvia músicas dos meus primeiros seis álbuns e também permitir que meus fãs os ouçam sem se sentirem culpados ao beneficiar Scooter.
Meus sinceros sentimentos,
Taylor Swift

Vamos continuar, como sempre, apoiando a loirinha. Acompanhem nossas redes e não percam nenhuma novidade.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up