Nos últimos anos, muitos artistas de renome mundial decidiram vender os direitos das suas músicas a editoras de renome e fundos de investimento cuja atividade se concentra precisamente na gestão de direitos musicais.

Como aponta a revista Forbes, provavelmente o motivo mais comum que leva os cantores a vender os direitos de suas obras é a alta taxa de impostos que devem pagar sobre os lucros gerados (incluindo a venda de álbuns ou reproduções).

A isso deve ser adicionado, é claro, o fator pandêmico, em que músicos de todo o mundo foram obrigados a suspender e cortar a capacidade de seus shows, sua principal fonte de renda.

Dos artistas que seguiram esta tendência nos últimos anos, Taylor Swift é a que obteve a melhor oferta pelo seu catálogo: mais de 6,5 milhões de euro por cada música, o equivalente a 41,6 milhões de reais.

Ela fica até mesmo acima de nomes como Paul Simon (3 milhões de euros por música) e Bruce Springsteen (1,5 milhão de euros por música).

Confira o ranking dos catálogos mais caros da atualidade divulgado pelo jornal espanhol El Economista:

Fonte: eleconomista.com





Twitter do site

Instagram do site

Facebook do site