A era ‘evermore’ mal começou mas já estamos obcecados. Mais uma vez, o talento e a perspicácia da loirinha se sobressaem e ela nos entrega um trabalho lindo, reconfortante e… cheio de referências e curiosidades escondidas.

Definido como ‘a irmã de folklore’, o nono álbum de Taylor Swift funciona quase que como uma extensão do anterior, mas com sua própria narrativa e beleza.

O videoclipe de ‘willow’, faixa de abertura e lead single de evermore, veio recheado de easter eggs (que você pode conferir aqui), mas claro que não parou por aí, né. Todas as canções possuem significados e interpretações especiais que remetem tanto ao folklore quanto a outros trabalhos de Taylor. Faixa por faixa, aqui estão alguns que encontramos durante nossas pesquisas:

willow: 

Como já sabemos, na premiere do Youtube algumas horas antes da estreia do videoclipe, Taylor definiu ‘willow’ como sendo sobre a “trama, o desejo e a complexidade que é querer alguém” e se inspirou no conceito de ‘invisible string’, além de contar com referências à diversas outras músicas do folklore. Fãs também notaram que a estética de Taylor em algumas cenas lembra o clipe de ‘Mean’ e por um ~acaso~, o videoclipe do single de estreia do álbum ‘Speak Now’ contém essa cena:

A composição em si, no entanto, pode ter sido inspirada pela viagem que Taylor realizou ao lado de Joe para o Lago Willow, em Utah, em agosto de 2020. Duas das fotos usadas como thumbnail na premiere do vídeo foram dessa viagem. Na época, Joe havia postado uma foto no mesmo lugar.

Referências na letra:

  • Wherever you stray, I follow (Onde quer que você vagueie, eu te seguirei)” – Alguns fãs notaram semelhanças com a música ‘Lover’, que diz “Can I go where you go? (Posso ir onde você for?)”.
  • Wreck my plans, that’s my man (Arruine meus planos, esse é meu homem)” – Se observarmos, há uma ligeira referência à ‘august’: “Cancel plans just in case you’d call (Cancelando planos só pro caso de você ligar)”. A mudança é que agora ela não cancela e é abandonada, mas sim pede para que ele arruine tudo para que ela fique com ele.

champagne problems

No prólogo do álbum, Taylor resumiu essa história como sendo a de um casal de faculdade que planeja coisas diferentes para a mesma noite, um quer terminar tudo e o outro resolve aparecer com um anel de noivado. A expressão remete a problemas que, comparados com coisas sérias, não tem tanta importância.

Alguns fãs no Twitter apontaram que esse pode ser o relato de seu término com o ator Tom Hiddleston. Na época do relacionamento, alguns tablóides publicaram que ele a teria pedido em casamento, mas sido rejeitado.

Não sabemos se isso realmente ocorreu e, segundo a loirinha, esses contos são mais imaginários do que reais, portanto essa pode ser só mais uma teoria swiftiana.

No decorrer da música, Taylor pinta o cenário de um parceiro otimista e apaixonado que planeja todos os detalhes do noivado (com o anel da mãe) mas, no fundo, sabe da possibilidade da rejeição  — que acaba se confirmando. 

Referências na letra:

  • I dropped your hand while dancing (Soltei sua mão enquanto dançávamos)” – Trecho de ‘Dancing With Our Hands Tied: “We were dancing, and I had a bad feeling (Estávamos dançando e tive uma sensação ruim)”
  • Dom Périgon, you brought it (Você trouxe Dom Périgon)” – O champagne Dom Périgon era usado para lavar a piscina de Rebekah Harkness, a pedido dela. A polêmica foi mencionada em ‘The Last Great American Dinasty’: “Filled the pool with champagne and swam with the big names (Encheu a piscina com champanhe e nadou com os figurões)”.
  • And I couldn’t give any reasons (E eu não pude dar nenhuma razão)”. – Uma possível referência à ‘hoax’: “Stood on the cliffside screaming give me a reason (Parou no lado da falésia gritando: “Me dê uma razão”)
  • This dorm was once a madhouse (Esse dormitório já foi um hospício)” – Remete à ‘mad woman’.
  • One for the money, two for the show (Um para o dinheiro, dois para o show)” – Uma expressão infantil originada em 1800 já mencionada por Elvis Presley em ‘Blue Suede Shoes’ e por Lana Del Rey em ‘Million Dolar Man’
  • She would’ve made such a lovely bride, what a shame she’s fucked in the head (Ela seria uma linda noiva, pena que é fodida da cabeça)” – Mais uma referência sutil à mad woman usando o artifício de fofocas/comentários explorado em ‘The Last Great American Dinasty’: “It must have been her fault his heart gave out (Deve ser por culpa dela que o coração dele parou)”.

gold rush

Taylor explicou que essa música se passa em um devaneio. O título provavelmente faz analogia à Corrida do Ouro de 1849, que atraiu mineiros de todos os cantos dos EUA à Califórnia ao descobrirem a existência de ouro na região. A menção ao ouro — e dourado — também tem sido usada por Taylor para se referir à Joe em canções como ‘Daylight’ e ‘End Game’.

Referências na letra:

  • Eyes like sinking ships on waters (Olhos como navios afundando em águas)” – Referência ao trecho inicial de ‘willow’: “Eu sou como a água quando seu navio chegou naquela noite”.
  • Everybody wants you (Todos querem você)” – Lembra o trecho de ‘Lover’: “I’m highly suspicious that everyone who sees you wants you (Eu suspeito que todas que te veem querem você)”.
  • What must it be like to grow up that beautiful? (Como deve ser crescer tão lindo?)” – A beleza de seu amado é sempre mencionada por Taylor, mas ganhou uma música inteira só pra ela: Gorgeous.
  • I see me padding across your wooden floors” (Me vejo acolchoando seus pisos de madeira)” – Taylor já mencionou diversas vezes a felicidade que sente por estar conseguindo viver uma vida normal, por isso as referências de estar em casa também já apareceram antes para descrever essa tranquilidade. Em Cornelia Street ela diz: “Barefoot in the kitchen, sacred new beginnings (Descalços na cozinha, recomeços sagrados)”.
  • With my Eagles t-shirt hanging from the door (Com minha camiseta do Eagles pendurada na porta)”. – Acredita-se que essa seja uma menção ao time de futebol americano Philadelphia Eagles, já que Taylor nasceu na Pensilvânia.
Taylor na passagem da Speak Now Tour pela Philadelphia.

‘tis the damn season

É fim de ano, estamos há alguns dias do Natal. Nada mais apropriado do que acrescentar um palavrão nessa conhecida expressão natalina popularizada pela música ‘Deck The Halls’ e fazer dela o título de uma música sobre reencontrar um amor do passado, né?

Esse pode ter sido o gancho inicial que inspirou Taylor a escrever esse conto de reconexão. A cantora disse que uma das faixas do álbum descreve o que acontece quando Dorothea (mais sobre ela abaixo) retorna para passar o feriado em casa — levando em conta as menções de ambas as músicas sobre inverno e cidade grande, tudo indica que ‘tis the damn season’ é essa continuação.

Referências na letra:

  • You could call me “babe” for the weekend (Você poderia me chamar de “meu bem” pelo final de semana)” – Esse trecho pode remeter a três outras canções:
    ‘Blank Space’ – “I can make the bad guys good for a weekend (Posso fazer caras ruins serem bons por um final de semana)”
    ‘It’s Nice to Have a Friend’ – “Call my bluff, call you babe (Você percebe meu blefe, eu te chamo de ‘meu bem’)”
    ‘cardigan’ – “Giving me your weekends (Me dando seus fins de semana)”
  • And the road not taken looks real good now (E os caminho não trilhado parece muito bom agora)” – “The Road Not Taken” é um famoso poema do americano Robert Frost. Ele define as escolhas que fazemos na vida como dois caminhos divergentes e essas escolhas podem ser repensadas ou gerar arrependimentos. Um trecho similar aparece em ‘illicit affairs’, do folklore: “Take the road less traveled by (Pegue a estrada menos movimentada)”.
  • The holidays linger like bad perfume (A época de festas perdura como um perfume ruim)” – Mais um paralelo com ‘illicit affairs’: “Leave the perfume on the shelf (Deixe o perfume na prateleira)”.
  • So I’ll go back to L.A. and the so-called friends (Então eu vou voltar para L.A, e os que se dizem amigos..)” – Referência à ‘dorothea’, que tem amigos brilhantes na cidade grande.

tolerate it

A track 5 do ‘evermore’ faz jus à sua posição ao contar a história de uma mulher que se vê anulada por um marido que apenas a tolera, apesar de todos os seus esforços para ser uma boa esposa e ter seu amor retribuído. Ela se diminui ao se comparar com toda a maturidade e importância do homem que está ao seu lado e imagina como seria se ela o deixasse e está bastante ciente que deveria receber mais em troca do que dá.

Referências na letra:

  • I wake and watch you breathing with your eyes closed (Eu acordo e te observo respirar de olhos fechados)” – Esse trecho pode remeter a três outras canções:
    ‘Last Kiss’ – “So I’ll watch your life in pictures like I used to watch you sleep / And I feel you forget me like I used to feel you breathe (E eu observo sua vida em fotos como costumava te observar dormir / Sinto você me esquecer como costumava sentir você respirar)”
    Delicate – “Sometimes I wonder when you sleep / Are you ever dreaming of me? (Às vezes me pergunto quando você dorme / Será que você está sonhando comigo?)”.
    Paper Rings – “Now I wake up in the night and watch you breathe (Agora acordo à noite e observo você respirar)”.
  • You’re so much older and wiser (Você é tão mais velho e mais sábio)” – Essa menção à maturidade dele em relação à inocência/insignificância dela é reforçada em diversos trechos:
    “I wait by the door like I’m just a kid (Espero na porta como se fosse uma criança)”
    “Drawing hearts (Desenhando corações)”
  • If it’s all in my head tell me now / Tell me I’ve got it wrong somehow / Se é coisa da minha cabeça me diga agora, me diga que de alguma forma entendi errado)” – Mesmo com todos os motivos que ela cita, ainda tenta levantar uma esperança de que talvez não seja bem assim.
  • I greet you with a battle hero’s welcome (Eu te recebo com as boas vindas de um herói que chegou da batalha)” – Referência à ‘my tears ricochet’: “And you’re the hero flying around saving face (Você é o herói voando por aí e salvando o dia)”.
  • I sit and listеn, I polish plates until they gleam and glistеn (Me sento e escuto, lustro os pratos até que eles brilhem cada vez mais)” – Mais um sinal de que seu papel no relacionamento é apenas escutar e cuidar da casa, e mesmo isso ela faz com muito empenho para que seja bom o suficiente.
  • Where’s that man who’d throw blankets over my barbed wire? (Onde está aquele homem que colocava cobertores nos meus arames farpados?)” – Referência à ‘invisible string’: “Something wrapped all of my past mistakes in barbed wire (Algo cercou meus erros do passado com arame farpado)”. Mas enquanto na faixa do folklore isso é um sinal que o amor a ajudou a se libertar desses erros, em overmore ela se pergunta para onde foi a pessoa que a amava apesar das suas falhas e ajudava a cobrí-las para que ela não se machucasse mais.
  • Now I’m begging for footnotes in the story of your life (Agora estou implorando por notas de rodapé na história da sua vida)”. Referência à ‘The Story Of Us’: “I used to think one day we’d tell the story of us (Eu costumava pensar que contaríamos a nossa história um dia)”.

no body, no crime (ft. HAIM)

Taylor contou que essa história foi inspirada na sua obsessão por sua  podcasts e documentários true crime. Para saber mais detalhes sobre o processo de criação da música, e como as irmãs HAIM toparam participar, clique aqui.

Referências na letra:

  • She says, ‘That ain’t my Merlot on his mouth’ (Ela diz, ‘Não é o meu Merlot na boca dele)” – ‘Merlot’ é o segundo tipo de vinho mais popular nos EUA, ficando atrás apenas do ‘Cabernet Sauvignon’. Com uma cor escura marcante, o nome também é usado para representar a cor de batons. Este lista os sinais de infidelidade que tem encontrado e suspeita que a marca na boca do marido não seja vinho, e sim batom.
  • And I noticed when I passed his house / His truck has got some brand new tires (E quando passei pela sua casa percebi / Que sua caminhonete estava com pneus novos)” – Esse trecho solidifica as suspeitas que já cresciam na mente dela após descobrir sobre o desaparecimento da amiga. Isso porque é comum suspeitos de crimes trocarem os pneus para não serem identificados. Sinais mais fortes vem em seguida: a amante se mudou para a casa de Este. Não restam dúvidas.
  • I think he did it / They think she did it / She thinks I did it (Eu acho que foi ele / Eles acham que foi ela / Ela acha que fui eu)” – De forma muito perspicaz, Taylor brinca com a similaridade das frases mas a cada menção elas assumem um significado diferente. A primeira refere-se à traição, e é repetida na mesma construção mas já se referindo ao sumiço/assassinato. Na segunda, refere-se à desconfiança da vizinhança quanto à amante. Eles acham que foi ela por causa do grande seguro de vida que recebeu. Na terceira, é a amante quem desconfia da amiga de Este.
  • “But I ain’t lettin’ up until the day I die (Mas só vou desistir quando eu morrer)” – Outra frase ambígua: no primeiro momento refere-se à determinação de Este em confrontar o marido e descobrir a verdade. Depois, é o voto de vingança feito pela amiga.
  • Good thing my daddy made me get a boating license when I was fifteen (Que bom que papai me fez tirar uma licença de barco quando eu tinha quinze anos)” – Aparentemente, ele realmente fez. No twitter, fãs descobriram que Taylor tem sim uma licença de barco!
  • And I’ve cleaned enough houses to know how to cover up a scene / Good thing Este’s sister’s gonna swear she was with me (E eu limpei casas o suficiente para saber como encobrir uma cena / Que bom que a irmã da Este vai jurar que estava comigo)” – O plano de vingar Este começa a tomar forma, com a amiga se convencendo de que conseguiria acobertar o crime limpando a cena e conseguindo um álibi.

happiness

Apesar do título sugestivo, ‘happiness’ é como ‘peace’, do folklore, e fala exatamente do contrário de felicidade: a tristeza (e a raiva) do fim de um relacionamento. No entanto, o tom é de nostalgia, esperança e reconhecimento de que foi bom, chegou ao fim, e vai voltar a ser bom — com outra pessoa ou não. Algumas teorias na internet suspeitam que a inspiração para a faixa, a última escrita para o álbum e gravada apenas uma semana antes do lançamento, tenha sido baseada no clássico “The Great Gatsby” — o que pode fazer sentido visto que Taylor afirmou ter assistido vários filmes antigos no início da quarentena.

Referências na letra:

  • Honey, when I’m above the trees (Querido, quando estou acima das árvores)” – Essa é a sétima faixa do disco e faz alusão à música ‘seven’, a sétima faixa de ‘folklore’: “Please, picture me in the trees (Por favor, me imagine nas árvores)”
  • Showed you all of my hiding spots (Te mostrei todos os meus esconderijos)” – No ‘folklore’, Taylor fala sobre brincar de esconde-esconde em ‘cardigan’ (Playing hide and seek). Mas o trecho também remete à ‘I Know Places’, que tem toda a sua narrativa baseada em fugir e se esconder: ‘I know places we won’t be found (Sei de lugares onde não nos encontrarão)’.
  • And in the disbelief, I can’t face reinvention / I haven’t met the new me yet (E incrédula, não posso encarar uma reinvenção / Ainda não conheci meu novo eu)” – Taylor já explorou a temática da mudança em músicas como ‘All too Well’ e no icônico trechinho falado de ‘Look What You Made Me Do’:
    ‘All too Well’ – “I’d like to be my old self again (Gostaria de ser a velha eu novamente)”
    ‘Look What You Made Me Do – “The old Taylor can’t come to the phone right now (A antiga Taylor não pode atender o telefone)”
  • Past the blood and bruise / Past the curses and cries / Beyond the terror in the nightfall / Haunted by the look in my eyes (Depois do sangue e dos ferimentos / Depois do choro e das maldições / Além do terror no cair da noite / Assombrado pelo meu olhar)” – Taylor tem o costume de pintar a imagem de noites turbulentas para representar a confusão do relacionamento. Em ‘The Archer’, por exemplo: “The room is on fire (O quarto está em chamas).
  • I hope she’ll be a beautiful fool (Espero que ela seja uma linda tola)” – O termo ‘beautiful fool’ foi empregado pela primeira vez em 1925, no romance “The Great Gatsby”.
  • No, I didn’t mean that / Sorry, I can’t see facts through all of my fury. (Não, eu não quis dizer isso / Me desculpa, não consigo enxergar os fatos em meio a tanta fúria)” – Referência à ‘this is me trying’: “And my words shoot to kill when I’m mad /I have a lot of regrets about that (Minhas palavras atiram para matar quando estou brava, tenho muitos arrependimentos quanto a isso)”
  • Across our great divide (Ao longo dessa grande separação)” – Outra possível referência à “The Great Gatsby”. O termo pode ter sido usado para representar o lago que, na história, separa dois lados do território e — simbolicamente — divide o protagonista entre a “nova vida” com dinheiro e a vida que ele deseja, ao lado da amada.
  • Seven years in Heaven (Sete anos no paraíso)” – Outra referência ao número 7, que pode ser interpretada também como uma analogia à brincadeira adolescente “7 minutos no céu” ou ao período de um relacionamento onde muitos casais enfrentam crises.
  • All you want from me now is the green light of forgiveness (Tudo que voce quer de mim agora é a luz verde do perdão)” – Em “The Great Gatsby”, uma luz verde do outro lado do lago representa tudo que o protagonista deseja, mas também pode ser uma referência à ‘Death By a Thousand Cuts’: “I asked the traffic lights if it’ll be alright” (Pergunto ao semáforo se vai ficar tudo bem)”.

dorothea

O consenso nas redes sociais é de que a inspiração por trás dessa canção é ninguém menos que uma das melhores amigas de Taylor, Selena Gomez. E as pistas apontadas pelos fãs fazem muito, muito sentido mesmo! Apesar da cantora ter deixado claro que esses contos são fruto de sua imaginação e que Dorothea frequentou o mesmo colegial que o trio James, Betty e Inez, de folklore, são coincidências demais para ignorarmos. A começar pelo nome escolhido: “Dorothea” lembra “Dorothy”, personagem principal do filme infantil favorito de Sel, “O Mágico de Oz”.

Prováveis referências nas letras:

  • You got shiny friends since you left town / A tiny screen’s the only place I see you now (Você tem amigos brilhantes desde que saiu da cidade / Uma telinha é o único lugar que te vejo agora)” – Taylor dá a entender que não tem visto a amiga tanto quanto gostaria, e até sente um pouco de ciúmes dos novos amigos dela. A telinha pode ser uma referência à ligações em vídeo com Sel ou a tela da TV, já que ela teria deixado a cidade para perseguir seu sonho de ser atriz em Los Angeles, fazendo um paralelo com ‘tis the damn season’.
  • And if you’re ever tired of bеing known for who you know (E se algum dia você se cansar de ser conhecida por quem você conhece)” – Selena é frequentemente ligada ao seu ex-namorado Justin Bieber.
  • Ooh, you’rе a queen sellin’ dreams, sellin’ makeup and magazines (Ooh, você é uma rainha vendendo sonhos, vendendo revistas e maquiagens)” – Selena Gomez é presença constante em capas de revistas e lançou sua própria e aclamada linha de maquiagens esse ano. Coincidência?
  • Skipping the prom just to piss off your mom and her pageant schemes (Não indo ao baile apenas para irritar sua mãe e os planos de concurso de beleza dela)” – Aparentemente, Selena nunca foi à festas de formatura e sua mãe vivia a inscrevendo em concursos de beleza na infância. 

coney island

Após a parceria de sucesso com Aaron Dessner na composição da maioria das faixas do folklore, agora o cantor e sua banda assumem os vocais nesse dueto inspirado pelo famoso bairro do condado do Brooklyn, em New York. O parque de diversões, os brinquedos e as praias atraem muitos turistas à Coney Island e é nesse cenário que Taylor ambienta um diálogo de despedida em que ambas as partes tentam entender onde tudo deu errado no relacionamento.

Referências na letra:

  • Did I close my fist around something delicate? (Eu fechei meu punho ao redor de algo delicado?)” – Lembra a faixa ‘Delicate’: “Cause I know that it’s delicate (Porque eu sei que é delicado).
  • ‘Cause we were like the mall before the internet (Éramos como o shopping antes da internet)” – Possível referência à ‘august’ e seu marcante trecho: “Meet me behind the mall (Me encontre atrás do shopping)”.
  • Were you standing in the hallway / With a big cake, happy birthday (Você estava parado no corredor / Com um bolo grande, feliz aniversário)” – Lembra a faixa ‘The Moment I Knew’: “Standing there in my party dress (…) singing happy birthday to you (Parada lá com meu vestido de festa (…) cantando parabéns pra você)”.
  • “Did I paint your bluest skies the darkest grey? (Eu pintei seus céus mais azuis com o cinza mais escuro?)” – Esse trecho remete à outras duas canções:
    ‘Dear John’ – “You paint me a blue sky then go back and turn it to rain (Você me pinta um céu azul depois volta e o transforma em chuva)”.
    ‘Cold as You’ – “You put up the walls and paint them all a shade of gray (Você levanta paredes e pinta todas elas de cinza)”.
  • And when I got into the accident (E quando me envolvi em um acidente)” – Possível referência ao acidente de ‘Out of the Woods’: “Remember when you hit the brakes too soon? / Twenty stitches in a hospital room (Lembra de quando você pisou no freio cedo demais? Vinte pontos num quarto de hospital)”.
  • But when I walked up to the podium I think that I forgot to say your name (Mas quando subi ao pódio acho que esqueci de dizer seu nome)” – No documentário ‘Miss Americana’, Swift diz que não tinha um parceiro para comemorar quando ganhou o Grammy de Álbum do Ano por 1989 em 2016, mas na época ela estava namorando Calvin Harris. Essa pode ter sido uma pequena indireta ao DJ.

ivy

A faixa inspirada na ex-BBB despertou diversas teorias. A mais plausível, porém, parece ser a de que esse é um conto sobre uma mulher prometida em casamento a um homem mas apaixonada por outro. Quanto ao título, essa não é a primeira vez que Swift cita ‘ivy’ em uma canção: a planta aparece também em ‘Don’t Blame Me’: “I once was poison ivy (Eu já fui hera venenosa)”.

  • I’d meet you where the spirit meets the bones (Eu encontraria você onde o espírito encontra os ossos)” – O termo “onde o espírito encontra os ossos” pode ter sido emprestado do poema “Compassion”, de Miller Williams. O poeta diz “Tenha compaixão por todos que encontrar, mesmo que eles não queiram. O que parece presunção, falta de educação ou cinismo é sempre um sinal de coisas que nenhum ouvido ouviu, nenhum olho viu. Você não sabe que guerras estão acontecendo lá embaixo onde o espírito encontra os ossos.”
  • I wish to know / The fatal flaw that makes you long to be / Magnificently cursed (Eu gostaria de saber / A falha fatal que te faz querer ser / Magnificamente amaldiçoado)” – A mulher se pergunta o motivo de, mesmo com tantos empecilhos, ele ainda querer estar com ela. Na vida real, é possível fazer um paralelo com o relacionamento de Taylor e Joe, onde as desvantagens de namorar uma das maiores celebridades do mundo poderia interferir negativamente no estilo de vida escolhido pelo ator. No entanto, ele resolve continuar ao lado dela.
  • Stop you putting roots in my dreamland / My house of stone, your ivy grows / And now I’m covered in you (Pare de colocar raízes na minha terra dos sonhos / Na minha casa de pedra, sua hera cresce / E agora estou coberta de você)” – Ela deseja parar de pensar nessa outra pessoa e se apaixonar de vez por quem foi prometida, mas a cada dia que passa ele se fortalece dentro dela, criando raízes,e não importa o que ela faça o sentimento não para de crescer até tomá-la por completo. 
  • He’s in the room / Your opal eyes are all I wish to see / He wants what’s only yours (Ele está no quarto / Seus olhos de opala são tudo que eu desejo ver / Ele quer o que é apenas seu)” – Fica claro que a pessoa que está ao seu lado não é com quem ela quer estar. Ela só consegue pensar nos olhos do outro, e mesmo que o prometido demonstre interesse em ser amado, o sentimento dela é reservado para o amante proibido.

cowboy like me

Segundo Taylor no prólogo do álbum, esse é um conto sobre “ dois artistas que se apaixonaram enquanto curtiam resorts chiques na tentativa de encontrar romance com uma pessoa rica”.

Referências na letra:

  • Takes one to know one / You’re a cowboy like me (Um reconhece o outro / Você é um cowboy como eu)” – As raízes country de Taylor podem ter servido de inspiração para o uso dessa expressão, que sinaliza que os dois têm a mesma intenção para estarem ali.
  • Eyes full of stars (Olhos cheios de estrelas)” – Cantar sobre os olhos de seu amado já virou uma característica clássica de Taylor. Algumas canções com menção a olhos/olhar são: ‘Stay Beautiful’, ‘Everything Has Changed’ e ‘Call It What You Want’.
  • But that was all before I locked it down (Mas isso foi antes de eu te pegar pra mim)” – Um trecho parecido está em ‘I Think He Knows’: “He’d better lock it down or I won’t stick around (É melhor ele me segurar ou eu não vou ficar por perto)”.

long story short

Mais claramente autobiográfica do que inventada, ‘long story short’ parece ser uma rápida análise dos acontecimentos de 2016 onde Taylor Swift foi duramente criticada e ‘cancelada’ após um novo capítulo da confusão com Kanye West e Kim Kardashian. Esse fato serviu de inspiração para muitas das músicas de Taylor, mas nessa faixa o ponto de vista é de uma pessoa curada que olha para trás apenas para narrar os fatos que eventualmente a levaram para o lado de quem realmente lhe faz bem, mesmo que pra isso ela tivesse que passar pelos lábios errados antes.

Referências na letra:

  • If the shoe fits, walk in it ’til your high heels break (Se o sapato serve, ande com eles até quebrar o salto alto)” – No folklore, ‘mirrorball’ também fala sobre salto alto: “Spinning in my highest heels, love (Girando nos meus saltos mais altos, amor)”.
  • And I fell from the pedestal (Eu caí do pedestal)” – Naquele ano, Taylor estava no seu auge até então. O 1989 era o álbum mais vendido e aclamado do momento, tudo ia muito bem até o infame post de Kim da conversa telefônica editada entre Taylor e Kanye. Ela literalmente caiu do pedestal em que estava.
  • Right down the rabbit hole (Direto na toca do coelho)” – Uma provável referência à ‘Wonderland’, inspirada no famoso conto de Alice: “Took a wrong turn, and we / fell down a rabbit hole (Fizemos uma volta errada e caímos na toca do coelho)”.
  • Clung to the nearest lips / Long story short, it was the wrong guy (Me agarrei aos lábios mais próximos / Resumindo, era o cara errado)” – Pouco depois do acontecido, Taylor namorou Tom Hiddleston brevemente, após o término com Calvin Harris. Essa pode ser uma referência a esse rápido relacionamento.
  • When I dropped my sword / I threw it in the bushes and knocked on your door (Quando larguei minha espada, Eu a joguei nos arbustos e bati na sua porta)” – Taylor sinaliza que cansou de lutar contra o que acontecia e resolveu ir atrás de quem poderia confortá-la: Joe.
  • And we live in peace (E vivemos em paz)” – Esse trecho em uma música sobre algo tão conturbado lembra ‘peace’, do folklore, onde ela pergunta a ele se seria suficiente se ela nunca conseguisse lhe dar paz.
  • Now I just keep you warm (Agora apenas te mantenho aquecido)” – Remete à duas outras canções:
    ‘peace’: “But I’m a fire and I’ll keep your brittle heart warm (Mas eu sou uma fogueira e vou manter seu frágil coração aquecido)”.
    ‘Call It What You Want’:” He built a fire just to keep me warm (Ele construiu uma fogueira apenas para me manter aquecida)”.

marjorie

Assim como ‘epiphany’ — a 13ª música do folklore — foi inspirada pela história do avô de Taylor, um veterano de guerra, a faixa de número 13 do evermore foi inspirada por sua avó. Marjorie Finlay morreu em 2003 e foi uma cantora de ópera que incentivou Taylor a seguir carreira na música. Sua própria voz foi usada como background nessa canção e, por isso, ela está creditada nas notas do álbum. Outra curiosidade é que no clipe de Wildest Dreams os personagens principais também são inspirados em seus avós. Na história, o casal de atores que se apaixona durante as gravações de um filme se chamam Marjorie Finn (Marjorie Finlay) e Rob King (Robert Kingsley, avô de Taylor).

  • Never be so kind you forget to be clever / Never be so clever you forget to be kind” (Nunca seja tão gentil ao ponto de esquecer de ser inteligente / Nunca seja tão inteligente ao ponto de esquecer de ser gentil)” – Esse trecho ecoa uma revelação feita por Taylor para a revista Elle onde ela listou 30 coisas que aprendeu antes dos 30: “Ser doce para todos o tempo todo pode causar muitos problemas. Sei que fui criada para ser uma jovem educada e gentil, mas quando alguém se aproveita disso pode causar alguns dos seus maiores arrependimentos. Se fortaleça, confie em si e saiba quando se defender. Seja como uma cobra — só morda se pisarem em você”.
  • What died didn’t stay dead / You’re alive, you’re alive in my head (O que morreu não continua morto / Você está viva na minha cabeça)” – No prólogo, Taylor diz que sua avó ainda a visita em sonhos — portanto a morte não a matou totalmente.
  • Never be so politе you forget your power” (Nunca seja tão educada a ponto de esquecer seu poder)” – No documentário ‘Miss Americana’, Taylor expôs as batalhas internas e externas que travou em relação à se posicionar politicamente, já que tinha ciência da sua plataforma e de como poderia usá-la para o bem. Muito disso se deve ao fato dela ter sido criada para sempre tentar agradar a todos.
  • All your closets of backlogged dreams / And how you left them all to me (Todos os seus sonhos guardados acumulados no armário / E como você deixou todos eles para mim)” – Esse trecho pode se referir ao fato dela ter seguido os passos de sua avó e decidido ser cantora. Em uma entrevista de 2009, Swift falou sobre sua crença de que o espírito de Marjorie a guiou no início de sua carreira: “Eu não acho que teria conseguido fazer tudo isso sem alguém me ajudando. Eu não diria que estava destinada a fazer isso porque soa confiante demais, mas estou feliz que aconteceu.”
  • And if I didn’t know better / I’d think you were singing to me now (E se eu não soubesse a realidade / Eu pensaria que você está cantando pra mim agora)” – Os vocais de Marjorie cantando ao fundo fazem soar como se ela realmente estivesse ali para Taylor, mesmo após sua partida.

closure

Essa é a história de uma pessoa que recebeu uma carta de um ex amor tentando se redimir e encerrar a história que tiveram. A tentativa, no entanto, não é bem aceita e demonstra ainda estar muito magoada / brava pela maneira como as coisas terminaram.

Referências na letra:

  • Still spells out pain (Ainda soletra dor)” – Taylor fala sobre soletrar no amado ou odiado trechinho de (ME!). Mas ao contrário da canção vibrante e colorida, aqui soletrar não é divertido e sim doloroso.
  • It cut deep to know ya, right to the bone (Te conhecer tão bem me cortou profundamente)” – Expressão similar foi usada em ‘Cruel Summer’: “I’m always waiting for you just to cut to the bone (Eu estou sempre esperando você simplesmente cortar tudo pela raiz)”.
  • And my tears, and my beers and my candles (E minhas lágrimas, e minhas cervejas e minhas velas)” – O jogo de repetição do ‘my’ pode lembrar uma ponte muito querida pelos fãs, em ‘Death By a Thousand Cuts’: “My time, my wine, my spirit, my trust (Meu tempo, meu vinho, meu espírito, minha confiança)”.

evermore

A segunda parceria entre Taylor Swift e Bon Iver, de Justin Vernon, traz uma canção reflexiva sobre o que aparenta ser o relato de uma jornada para abandonar um lugar de dor e depressão e ir em busca de esperança. Nessa faixa, Taylor aborda a temática da saúde mental pintando um caminho linear em direção à cura. 

Referências na letra:

  • Gray November I’ve been down since July (Novembro cinza / Estou abatida desde julho)” – Esse trecho pode representar a sensação de que o tempo passou mais rápido nesse ano atípico, assim como fazer referência às estações do ano. Por mais que o frio e os dias cinzas só tenham chegado no inverno, a tristeza está presente desde o verão.
  • I replay my footsteps on each stepping stone / Trying to find the one where I went wrong (Eu repito meus passos em cada degrau / Tentando encontrar onde eu errei)” – Em ‘the one’, do folklore, Taylor canta sobre algo parecido: “If one thing had been different / Would everything be different today? (Se algo tivesse sido diferente, tudo seria diferente hoje?)”. Para alguns, também pode remeter à ‘Dear John’: “Counting my footsteps / Praying the floor won’t fall through (Contando meus passos e rezando para que o chão não se desfaça)”.
  • Writing letters addressed to the fire (Escrevendo cartas jogadas ao fogo)” – Em entrevista ao EW, Taylor contou que “Jane Eyre” foi um dos muitos filmes que ela assistiu no início da quarentena e esse trecho pode ser uma referência à ele. Na história, Jane Ayre escreve cartas endereçadas à casa de seu prometido mas descobre que todo o estado foi destruído pelo fogo.
  • Can’t remember what I used to fight for (Não consigo me lembrar pelo que eu costumava lutar)” – Em ‘exile’, eles cantam: “What am I defending now? (O que estou defendendo agora?)”.
  • Sending signals (Mandando sinais)” – Também em ‘exile’: “I gave so many signs (Eu dei tantos sinais)”.
  • I had a feeling so peculiar that this pain would be for evermore (Tive uma sensação tão peculiar que essa dor fosse para sempre)” – O termo “evermore” é usado em “New Year’s Day” e “Welcome to New York”, mas um trecho de “Sweeter Than Fiction” retrata — de maneira mais otimista — a mesma situação: “Someday you won’t remember / this pain you thought would last forever and ever (Um dia você nem vai se lembrar dessa dor que achou que seria para sempre)”.
  • And when I was shipwrecked (E quando naufraguei)” – Remete ao trecho de ‘my tears ricochet’ que diz: “The battleships will sink beneath the waves (E assim os navios de guerra afundam sob as ondas)”.
  • Floors of a cabin creaking under my step (O chão de uma cabana rangendo sob meus passos)” – Além de ser praticamente a representação lírica da cabana de ‘cardigan’ e ‘willow’, o trecho lembra ‘Cornelia Street’: “Memorize the creaks in the floor (Memorizamos o rangido no chão)”.

Fontes: Genius, E! Online, Insider, cérebro da ADM.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up