Não é segredo que Taylor Swift adora ler! Como você já viu anteriormente no TSBR, a loirinha tem diversos livros favoritos que, inclusive, serviram de inspiração para algumas de suas músicas. Pensando nisso, decidimos então fazer uma lista de obras literárias que se encaixam perfeitamente com faixas da discografia de Taylor, mesmo sem qualquer tipo de ligação. Confira abaixo:

Blue Blood: A biography about Rebekah Harkness de Craig Unger- the last great american dynasty

“Rebekah rode up on the afternoon train
It was sunny
Her saltbox house on the coast
Took her mind off St. Louis”

the last great american dynasty, como foi dito por Taylor na própria letra, é inspirada na história de Rebekah Harkness, uma compositora, escultora, patrocinadora da dança e filantropa norte-americana que viveu até 1982 e foi dona da mansão que Swift hoje possui em Rhode Island. O jornalista e escritor Craig Unger publicou em 1988 uma biografia sobre Rebekah, cheia de detalhes sobre sua vida pessoal e profissional, retratada ao longo de the last great american dynasty. Infelizmente, o livro está fora de circulação no momento!

Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reid- The Lucky One, gold rush, ivy

Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, escrito por Taylor Jenkins Reid, é um dos livros de maior sucesso atualmente! A história é sobre a grande atriz de Hollywood Evelyn Hugo que passou por altos e baixos na indústria, tema abordado na faixa The Lucky One, do Red. O grande amor vivido pela protagonista também se relaciona com as músicas gold rush e ivy, do evermore.

The Poetry de Robert Frost- illicit affairs

“Tell your friends you’re out for a run
You’ll be flushed when you return
Take the road less traveled by
Tell yourself you can always stop”

Robert Frost, que viveu até 1963, foi um dos poetas mais importantes dos Estados Unidos. No poema The Road Not Taken, parte do livro The Poetry of Robert Frost, há um verso extremamente semelhante ao de illicit affairs, veja:
Two roads diverged in a wood, and I—
I took the one less traveled by,
And that has made all the difference
*

*Duas estradas divergiam em uma floresta, e eu-
Peguei a menos percorrida,
E isso fez toda a diferença

Jane Eyre de Charlotte Bronte- invisible string

Em uma das passagens de Jane Eyre, clássico de Charlotte Bronte, o personagem Rochester diz para Jane: I have a strange feeling with regard to you: as if I had a string somewhere under my left ribs, tightly knotted to a similar string in you*. O trecho remete ao verso “isn’t it just so pretty to think, all along there was some invisible string tying you to me?”.

*Tenho uma sensação estranha em relação a você: é como se eu tivesse um fio em algum lugar das minhas costelas que estivesse amarrado a um fio igual em você.

O Sol Também se Levanta de Ernest Hemmingway- invisible string

O mesmo verso citado anteriormente, “and isn’t it just so pretty to think all along there was some invisible string tying you to me?”, tem bastante semelhança com o famoso diálogo entre Brett Ashley e Jake Barnes de O Sol Também se Levanta, escrito por um dos autores favoritos de Taylor (ela já até mencionou ele em entrevista, como você pode ver clicando aqui):

– Oh, Jake, we could have had such a damned good time together

– Yes, isn’t it pretty to think so?

*Ah, Jake, nós poderíamos ter nos divertido tanto juntos.

Sim, não é bonito pensar isso?

A canção de Aquiles de Madeline Miller- State of Grace

“These are the hands of fate
You’re my Achilles heel
This is the golden age of something good
And right and real”

A canção de Aquiles é uma releitura de Ilíada, escrita por Homero. Como diz a sinopse, Aquiles e Pátroclo durante anos crescem juntos. A vida idílica que levam é interrompida quando surge a notícia de que Helena de Esparta foi raptada e que os homens gregos devem partir imediatamente para Troia para libertá-la. Aquiles vê nessa guerra a oportunidade para cumprir seu destino heroico e por isso, decide deixar para trás a corte e seguir para a batalha. A história envolve glória, amor e uma grande dose de sacrifícios, lembrando a canção State of Grace, que também referencia Aquiles.

Daisy Jones and The Six de Taylor Jenkins Reid- Starlight

“And I said, “Oh my, what a marvellous tune”
It was the best night, never would forget how we moved
The whole place
Was dressed to the nines
And we were dancing, dancing
Like we’re made of starlight, starlight”

Daisy Jones and The Six, também escrito por Taylor Jenkins Reid, detalha a trajetória da banda de mesmo nome, contando os bastidores dos discos, dos shows, dos problemas da indústria da música, das festas e tudo relacionado à vida dos protagonistas. Essa ambientação lembra muito Starlight, do álbum Red.

Conversa entre amigos de Sally Rooney- All Too Well (10 Minutes Version)

Taylor recomendou esse livro em uma entrevista para a Entertainment em 2019. É sobre Frances e seu melhor amigo, Bobbi e como eles entram em uma relação complicada com outro casal, Nick e Melissa. A obra também virou uma série, estrelada por Joe Alwyn, o namorado de Taylor. Curiosamente, há um trecho do livro que fala “fuck the patriarchy”, um dos versos da versão de 10 minutos de All Too Well.

“Nobody liked her. She got temporarily suspended once for writing ‘fuck the patriarchy’ on the wall beside a plaster cast of the crucifixion” *

*Ninguém gostava dela. Ela foi suspensa por um tempo uma vez por ter escrito “foda-se o patriarcado” na parede ao lado de uma imagem de gesso de Jesus crucificado

Pessoas Normais de Sally Rooney- Cruel Summer, the 1, illicit affairs, exile, cardigan

Pessoas Normais é um dos livros preferidos de Taylor. Levando isso em consideração, o verso “he looks up grinning like a devil” de Cruel Summer parece ter sido inspirado pelo trecho do livro “I think it would be difficult to stay friends if we started sleeping together. He makes a devilish grinning expression” * . A história de amor entre Connell e Marianne ao longo dos anos também tem tudo a ver com músicas do folklore, como the 1, cardigan, exile, illicit affairs.

*Acho que seria difícil continuarmos amigos se começássemos a dormir juntos. Ele fez uma expressão de sorriso diabólico

Malibu Renasce de Taylor Jenkins Reid- tolerate it

Como Taylor disse em uma entrevista, tolerate it foi escrita após a loirinha ter lido o livro Rebecca, de Daphne Du Maurier. De qualquer forma, a música faz muito sentido na história conturbada do casal Mick Riva e June, de Malibu Renasce, escrito por Taylor Jenkins Reid.

Beach Read, de Emily Henry- Delicate, King of My Heart, Daylight

Beach Read é sobre January, escritora de romance que se muda para casa de praia do pai e por lá, acaba encontrando um ex colega (e inimigo) da faculdade, seu novo vizinho. A história dos dois lembra faixas como Delicate, King of My Heart e Daylight. A boa notícia é que, em breve, o livro chegará no Brasil em português!

Mulherzinhas de Louisa May Alcott- champagne problems

“But you’ll find the real thing instead
She’ll patch up your tapestry that I shred
And hold your hand while dancing
Never leave you standing
Crestfallen on the landing
With champagne problems”

No lançamento de evermore, o Twitter ficou recheado de fancams do filme Mulherzinhas, baseado no livro de mesmo nome, com champagne problems de trilha sonora, principalmente envolvendo os personagens Jo e Laurie. Além de a história dos dois parecer com descrições da faixa, no livro, em determinado momento Jo diz para Laurie: “You’ll get over this after a while, and find some lovely accomplished girl, who will adore you. I shouldn’t” *.

*Você vai superar isso depois de um tempo e vai encontrar uma garota adorável e talentosa, que vai te amar. Eu não poderia

Macbeth de William Shakespeare- my tears ricochet

William Shakespeare andou para que Taylor Swift corresse! my tears ricochet tem várias semelhanças com a peça Macbeth do escritor, principalmente após as mortes de Duncan e Banquo na história. O eu-lírico de my tears ricochet canta sobre ter sido traído e se sentir assombrado, da mesma forma que o fantasma de Banquo assombra Macbeth.

Romeu e Julieta de William Shakespeare- Love Story

Não é segredo que Love Story foi totalmente inspirada pelo amor trágico de Romeu e Julieta. Taylor já falou sobre isso diversas vezes ao longo da carreira, e toda a faixa é construída ao redor do casal literário!

“Eu estava em uma situação em que não era tão fácil para mim e escrevi essa música porque eu poderia me identificar com toda a coisa de Romeu e Julieta. Fiquei muito inspirada por essa história. Exceto pelo final. Eu sinto que eles faziam muitas juras e eram loucos um pelo outro. E se isso tivesse sido um pouco diferente, poderia ter sido a melhor história de amor já contada. E é uma das melhores histórias de amor já contadas, mas é uma tragédia. Eu pensei, por que você não pode. . . fazer um final feliz e colocar uma mudança fundamental na música e transformá-la em um pedido de casamento?”, explicou a loirinha em entrevista.

A Good Girl’s Guide to Murder de Holly Jackson- no body no crime

A Good Girl’s Guide to Murder fala sobre o assassinato da estudante Andie Bell. Todos acham que o responsável pelo crime foi o namorado dela, Sal Singh, mas Pippa Fitz-Amobi não tem tanta certeza assim e decide investigar o caso, remetendo à narrativa de no body no crime.

Garota Exemplar de Gillian Flynn- I Did Something Bad

I Did Something Bad seria facilmente a trilha sonora de Amy Dunne, protagonista de Garota Exemplar! Como diz a sinopse, o livro começa no dia do quinto aniversário de casamento de Nick e Amy, quando a esposa de Nick desaparece da casa deles às margens do rio Mississippi. Tudo indica que se trata de um sequestro e Nick se torna o principal suspeito. Sob pressão da polícia, da mídia e dos pais de Amy, ele começa a contar diversas mentiras.

Alice no País das Maravilhas de Lewis CarrollWonderland

Wonderland faz inúmeras referências à história de Alice no País das Maravilhas, não apenas no título, mas em versos como “and we fell down a rabbit hole” e “with a Cheshire cat smile”. Possivelmente, Taylor também colocou easter-eggs do livro no clipe de I Bet You Think About Me. Há um post no Reddit apenas sobre isso, que pode ser conferido clicando aqui.

Lyrical Ballads, with a Few Other Poems de Samuel Taylor Coleridge e William Wordsworth – the lakes

A poética the lakes tem tudo a ver com o livro de poemas Lyrical Ballads, with a Few Other Poems. Na faixa, Taylor referencia diretamente Wordsworth, um dos autores da obra citada, e fala sobre visitar o Lake District, na Inglaterra, onde os poetas Samuel Taylor Coleridge, Robert Southey e William Wordsworth moraram . A temática romântica e de escapismo da canção também pode se relacionar com o livro.

“No século 19, tinham muitos poetas como William Wordsworth e John Keats que passaram muito tempo lá. Tinha um distrito de poetas, desses artistas que se mudaram para lá. Eles eram meio que importunados por isso e zoavam isso, por eles serem excêntricos … Me lembro de quando fomos, pensei: ‘Cara, eu pude ver isso. Você mora em uma cabana, você tem glicínias crescendo ao redor. É claro que elas fugiriam dessa forma‘”, disse Swift no folklore: long pond studio sessions.

A Letra Escarlate de Nathaniel HawthorneNew Romantics, Love Story

Taylor usa diretamente o título do livro em duas canções, Love Story e New Romantics. Há diferentes interpretações, em New Romantics, Taylor pode ter colocado a expressão para falar da perseguição da mídia em relação aos seus relacionamentos amorosos e atitudes. Já em Love Story, pode ser sobre se sentir excluída. De qualquer forma, A Letra Escarlate conta a história de Hester Prynne, uma mulher forte, com um caráter inabalável que permanece intacto mesmo depois de sofrer uma humilhação pública e ter como penitência, além do isolamento, o fardo de carregar o “A” de adúltera bordado em seu peito.

Um Conto de Duas Cidades de Charles Dickens- Getaway Car

Getaway Car inicia com o verso “it was the best of times, the worst of crimes”, parecidíssimo com a primeira frase do livro “Um Conto de Duas Cidades”, de Charles Dickens (“it was the best of times, it was the worst of times”). Na obra Charles Dickens toma como ponto de referência a Revolução Francesa para apontar os problemas sociais e políticos da Inglaterra.

Poems de Emily Dickinson- evermore

Há quem acredite que o lançamento de evermore esteja fortemente ligado à poeta Emily Dickinson (você pode ler mais sobre o assunto aqui). Emily termina um de seus mais famosos poemas, One Sister Have I in Our House, justamente com a palavra “forevermore”. Além disso, o álbum foi anunciado no dia 10 de dezembro, aniversário da autora.

BÔNUS: 100 Selected Poems, de E. E. Cummings

Não está diretamente ligado a nenhuma música de Taylor (apesar de poder, de certa forma, ter relação com os clipes de Out Of The Woods e cardigan), mas Taylor já usou em seu Instagram como legenda um trecho do poema maggie and milly and molly and may, de E. E. Cummings: For whatever we lose (like a you or a me), it’s always ourselves we find in the sea*

*Pois o quer que perdamos (como você ou eu), é sempre conosco que deparamos no mar.

*Post baseado em opiniões da Equipe TSBR e em posts do Reddit e matérias do Books Foward, Oprah Daily





Twitter do site

Instagram do site

[instagram-feed]
Facebook do site