A organização Pride Live não vai deixar a COVID-19 cancelar o Stonewall Day.

Taylor Swift

A terceira edição anual do Stonewall Day celebra a revolução da comunidade LGBTQ em resposta a uma ação policial na região de Greenwich Village — em Nova York — no ano de 1969, que se tornou um marco no movimento de libertação gay na cidade. O evento acontece virtualmente, ao invés de presencialmente, no icônico bar Stonewall Inn nesta sexta, 26 de junho — coincidentemente a mesma data em que a Suprema Corte americana legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todos os estados do país em 2015.

O ex-presidente Barack Obama fará um discurso especial para a comunidade LGBTQ, assim como Taylor Swift, Demi Lovato, Katy Perry e outras estrelas do pop. Já Hayley Kiyoko e Kesha irão se apresentar. Os fundos arrecadados durante a live, prevista para ter duração de duas horas, irão beneficiar organizações LGBTQ financeiramente afetadas pelo impacto do coronavírus; Brave Space Alliance, TransLatin Coalition, Trans Lifeline e The Ally Coalition são algumas delas.

“Da revolução de Marsha P. Johnson em Stonewall aos recentes assassinatos de Dominique Fells e Riah Milton, a proteção de pessoas trans negras continua sendo o teste decisivo da liberdade e da igualdade de oportunidades”, Dra. Yvette Burton, diretora do conselho administrativo da Pride Live, disse em um comunicado à imprensa.  “Políticas como as do governo Trump de proteção invertida para pessoas transgênero no sistema de saúde americano adicionam o efeito desproporcional da violência fatal, impactada pelas interseções de racismo, sexismo, homofobia, bifobia e transfobia em comunidades e famílias”.

Celebre o Stonewall Day 2020 nas páginas do canal LogoTV no Youtube e no Facebook, das 13:45 às 16h da sexta-feira, dia 26 de junho.

Matéria publicada pela Billboard e traduzida pela equipe TSBR.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up