Austin Swift (25), irmão mais novo de Taylor, se lançou como ator nos últimos meses. O jovem falou para a Vanity Fair sobre sua carreira e sobre como ver sua irmã atingir a fama e a consagração mundial influenciaram em sua própria carreira. Confira a tradução da entrevista abaixo:

Quando Austin Swift era um estudante do segundo ano do ensino médio, pesava 250 quilos e, como ele mesmo diz, “não tinha muitos amigos”. Irmão mais novo de uma estrela pop de renome internacional (seu primeiro nome é Taylor, você talvez já tenha ouvido falar dela), Austin Swift relata que havia um lugar durante a adolescência onde ele encontrou refúgio: o cinema. “Quando eu ia ao cinema, Daniel Craig, Christian Bale, Clive Owen e Viggo Mortensen eram os meus amigos”.

Agora com 25, Swift — vigoroso e com o brilho da Velha Hollywood sobre si — está a caminho de se tornar o tipo de ator que os estudantes de segundo ano do ensino médio podem algum dia se sentir simpatizados. Ele apareceu no drama criminal de Ben Affleck, Live by Night, que chegou aos cinemas em janeiro, e co-estrelou Cover Versions de Todd Berger, que chega no final deste ano. Depois de se formar na Universidade de Notre Dame, em 2015, ele filmou um papel ao lado de Pierce Brosnan em TI, de John Moore, antes de chegar a Los Angeles, onde, ele diz, “encontrou um grupo de pessoas legais” e completou um estágio na Lionsgate; suas responsabilidades incluíam fazer e enviar cópias de DVD.

Considerando a fama da irmã, Austin Swift — gentil, inteligente e moderado em pessoa — tem uma presença notavelmente baixa. Ele é o tipo de cara que vai te oferecer uma cópia do roteiro em sua bolsa quando você estiver se despedindo (“Eu acho que você vai gostar deste — é isto que costumo ler”). Austin fala sobre Taylor com a admiração e o brilho de um clássico irmão mais novo, descrevendo sua própria jornada comparativamente: “Ela encontrou a música e eu sabia desde o início que este era seu caminho. Ela jamais desistiria; a música era a vida dela… e eu sempre fui um pouco, você sabe, estive fazendo isso e aquilo“. Ele diz que, observando-a alcançar — pegando emprestado o título de uma de suas canções — seus “Wildest Dreams”, ele foi motivado em seu próprio caminho artístico. “Algo que aprendi sozinho e aprendi vendo-a é respeito”, explica ele. “Você respeita o tempo de todos, todos com quem você está trabalhando. Eles estão todos lá, são todas as suas vidas, e você precisa trabalhar para que tudo valha a pena “.

Fonte: Vanity Fair.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up