Taylor Swift é uma das maiores estrelas pop do mundo. Do seu auto-intitulado álbum de estréia de 2006 ao Lover de 2019, os fãs de Swift viram sua popularidade explodir e seu estilo evoluir. Além disso, é claro, sua vida amorosa alimentou constantes rumores e especulações ao longo dos anos.

Mas, além de sua vida pessoal – e seu trabalho diário como uma estrela mundial da música -, Swift também silenciosamente se aventurou na atuação. Embora ela tenha apenas alguns créditos em seu nome, a cantora, como descobrimos recentemente, quase teve um papel em uma das maiores franquias de filmes da memória recente: a saga Crepúsculo.

A carreira de atriz de Taylor Swift até hoje

É claro que música e filmes andam de mãos dadas desde os primeiros dias de Hollywood. Mas Swift, na maioria das vezes, manteve seus projetos de atuação separados de sua música. Claro, seus elaborados videoclipes têm um elemento cinematográfico inegável. Mas Swift, a atriz, não teve sua estreia até um episódio de 2009 de CSI: Crime Scene Investigation.

Apenas um ano depois, a cantora lançou seu primeiro filme, com um papel na comédia romântica conjunta “Valentine’s Day”. Nesse filme, ela compartilhou a tela com Taylor Lautner, de Crepúsculo, com quem namorou brevemente durante a produção. Até recentemente, os únicos outros créditos de Swift eram um papel de dublagem em The Lorax, um episódio de 2013 de New Girl, e a adaptação cinematográfica de The Giver, em 2014.

Em 2019, ela fez uma breve – mas comentada – aparição em Cats, do diretor Tom Hooper. Para esse filme, Swift chegou a co-escrever uma música indicada ao Globo de Ouro, “Beautiful Ghosts”, com o compositor Andrew Lloyd Webber. Embora Cats tenha sido uma verdadeira bomba, Swift está pronta para se recuperar com seu documentário de 2020, Miss Americana, que recebeu uma recepção calorosa durante sua estréia no Sundance Film Festival.

Como Taylor Swift quase esteve em ‘Crepúsculo’

No início de sua carreira de atriz, Swift aparentemente fez um esforço para ser escalada para um dos filmes. Chris Weitz, diretor de Saga Crepúsculo: Lua Nova, compartilhou a história em um episódio recente de ‘Blank Check: Special Features’, um spinoff exclusivo do popular podcast Blank Check. Enquanto Weitz participava do programa para discutir Rogue One: A Star Wars Story – que ele co-escreveu -, ele mencionou como Swift quase terminou em seu filme.

“Meu agente disse: ‘Escute, Taylor Swift é uma grande fã de Crepúsculo. Ela adoraria estar neste filme. Ela seria, tipo, uma participação extra.’ E aqui está o idiota que eu sou: eu fiquei tipo, ‘não sei. Eu acho que ver Taylor Swift na tela tiraria do filme a atenção das pessoas.’ Então eu disse que não. Agora eu olho para trás tipo ‘eu poderia ter sido amigo de Taylor Swift.’ Mas pensei: ‘Vai tirar a atenção do filme sobre vampiros brilhantes e lobisomens.’ Que idiota.”

Na época, ver Swift aparecer em Crepúsculo poderia, sim, ter distraído alguns espectadores. Afinal, ela estava entrando nas paradas pop mainstream com “Love Story” e “You Belong With Me”. Então, o público de Swift e de Crepúsculo provavelmente iria se sobrepõe. Mas talvez essa tenha sido uma oportunidade perdida de colocar um Easter Egg divertido para os fãs na tela, vide a participação especial de Ed Sheeran em Star Wars.



“Saturday Night Live” foi o mais próximo que ela conseguiu.

Swift nunca teve a chance de aparecer na tela em um filme de Crepúsculo. Mas o Saturday Night Live deu a ela a próxima melhor coisa. Durante um “SNL Digital Short” de 2009, Swift estrelou uma paródia chamada Firelight.

Fazendo sua melhor imitação de Kristen Stewart, Swift interpreta Stella, uma colegial que se apaixona pelo novo aluno (e adolescente Frankenstein), Phillip (Bill Hader). O sketch de três minutos zomba de Crepúsculo, enquanto também dá a Swift a chance de explorar seu próprio lado fã da saga.

Matéria publicada pelo Cheat Sheet e traduzida pela equipe TSBR.

Próxima notícia >

»




Twitter do site

Facebook do site