30 de outubro de 14 Autor: Aline
Taylor dá detalhes sobre Style

harry2

Taylor tomou conta do programa de Ryan Seacrest na manhã de hoje. Foram 4 horas que ela e o apresentador conversaram. Ryan, que havia mencionado ter escutado o 1989 na semana passada, aproveitou a oportunidade para conversar com Taylor sobre algumas músicas do álbum e, em especial, Style. Veja como foi a conversa:

R: Eu quis tocar esta música durante a manhã toda. É UMA MÚSICA MUITO BOA!

T: Estou muito feliz que você amou ela.

R: É muito boa. E antes mesmo que eu tinha começado a pensar mais sobre ela, eu percebi que, Deus, é uma música do caramba. Se chama Style, e Max estava me contando que é uma das últimas, se não for a última, que vocês fizeram para o álbum.

T: Tenho quase certeza que depois que terminamos ela eu sabia que o álbum estava pronto. Shake It Off e Style foram as duas últimas músicas que foram escritas para o 1989. E essa sempre foi secretamente a minha favorita. Tipo: eu espero que vire um single, espero que as pessoas amem. Porque tem alguma coisa nela… eu amo a maneira com que ela se parece com a maneira com que aquele sentimento se pareceu. Eu amo quando uma música combina com o sentimento que a inspirou. Essa música me lembra dirigir no meio da madrugada, eu amei comparar esses visuais atemporais que são criados com um sentimento que não saí de moda.

R: E por que você deu o nome de Style?

T: Porque o gancho é “we never go out of style”.

R: Mas antes do gancho…

T: Eu pensei que “We never go out of style” era um título muito longo.

R: Entendi. Antes do gancho você não sabia qual era o título? Certo?

T: Quando você está escrevendo uma música você deixa ela acontecer e se transformar no que vai ser. E isso acaba sendo o título. É bem ajeitado.

R: É que nem o “ajeitado para trás e camiseta branca”, não? É o que é. Eu estou imaginando um cara dirigindo pela sua casa olhando para cima, imaginando “onde ela está, o que ela tá fazendo?”. Imaginando tudo isso. Vamos imaginar juntos. Esta é Style de Taylor Swift.

T: Obrigada por aplaudir, Ryan.

R: O álbum não aconteceria sem essa música. Eu não consigo imaginar… Como você disse, ele não estaria completo sem a música.

T: Tinha uma peça muito grande faltando e essa música completou este espaço, com certeza.

R: O quão legal é isso?

T: Eu estou muito feliz que você vê isso.

R: O quão divertido será cantar ela ao vivo? Essa vai ser AQUELA música. Que incendeia a plateia. Sabe aquelas músicas que você pode sentir dentro de você? É essa música.

T: Essa também é ótima para você colocar os seus fones e você pode andar com a batida dela. Essa e Welcome to New York tem batidas muito boas para caminhar com estilo. E tem uma música chamada Bad Blood que é muito boa para correr.

R: São as músicas para treinar. Eu quero falar da letra de Style. Nós acabamos de ouvir e eu quero avançar para o final da música que diz “você tem saído uma uma outra garota/ele diz: o que você ouviu é verdade, mas eu não consigo parar de pensar em você” e eu estava curioso até a próxima frase para saber qual foi a sua reação para aquela afirmação. E aí você diz “eu disse: eu também já passei por isso algumas vezes”. Então… você se identifica com ele?

T: Bem, é basicamente um daqueles tipos de relacionamentos que nunca está muito certo. A música é sobre… eu falo em outra música sobre um “amor torto” que é meio aquele que nunca está numa sincronia certa. Os dois estão tentando esquecer um do outro, os dois tem saído com outras pessoas, os dois tentaram esquecer o outro. Então é meio que: tá certo, eu ouvi que você saiu com ela e, sabe, você voltou. Mas eu também fiz isso, então… É isso que esta frase significa.

R: Como você ficou sabendo disso?

T: Sabendo do quê?

R: Como você ficou sabendo que ele, e não estou dizendo quem ele é, mas como você ficou sabendo que ele estava com outra pessoa? Foi algo que te falaram, você leu, algo que você sentiu, alguém te falou? Porque este é um momento dificil em um relacionamento.

T: Eu não acho que eu deveria falar disso, porque aí estariamos falando de uma pessoa em si e as pessoas vão escrever manchetes sobre isso e seria algo grande. Mas essa música é sobre a minha vida e eu nunca revelei sobre quem é, mas eu acho que ela fala por si mesma. E a maneira com que esta música soa e se parece, é tudo o que eu preciso que saibam dessa história.

R: Eu acho interessante porque naquele momento, nessa letra especificamente, eu imagino: como você reage a isso? Porque nós já estivemos nesta situação e eu achei inteligente que você disse: eu não posso te culpar por isso porque eu também já estive na mesma situação algumas vezes. Foi uma coisa que me marcou.

T: Eu acho interessante que você ficou marcado comesta frase porque esta frase também é algo como… eu nunca teria dito algo assim em um álbum anterior. Meus álbuns anteriores sempre foram algo como: eu tava certa, você tava errado, você fez isso e me fez sentir de certa forma. É meio como se tivesse justiça, o certo e o errado em um relacionamento e quando você cresce você percebe que as regras de um relacionamento não são claras. Ele fica bem complicado, bem rápido. Não existe sempre o caso de quem está certo e quem está errado.

R: Para mim, enquanto escutava era como… Você sabe quando você olha… Obviamente tudo é novo e é uma evolução, e aí existem aqueles momentos pivotais, realmente novos e finos que te dizem, como ouvinte, onde você está como uma artista e esse foi um deles para mim.

T: Ótimo! Eu gosto de ouvir isso.

Veja o vídeo aqui:





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up