18 de março de 09 Autor: Airton
Site Europeu faz Review de ‘Fearless’

sem-titulo-22

Hoje, o site Europeu especializado em música, ” Leeds Music Scene”, postou em sua coluna de Reviews de cds, uma review interessante sobre o álbum Fearless, da nossa loirinha Swift, já que o mesmo foi recém lançado no Reino Unido. Nessa Review o autor faz boas e nem tão boas comparações à Taylor, como pode ser comparada a Colbie Callait e até mesmo Avril Lavigne. Confira a review traduzida:

“Aos dezenove anos, Taylor Swift tem abafado os outros sons do resto do país e parece ter seduzido os nossos vizinhos em toda a bacia, ao longo da grande e velha  América. Com o lançamento do seu segundo álbum, Fearless, no Reino Unido, o LMS de certo teve que ouvir e dar você o veredito.

Antes que eu comessaçe a ouvir o CD, eu imaginei ouvir um mix de Colbie Caillat, Faith Hill, e Leann Rhimes. Como ele gira para fora,  a previsão não foi muito errada.

Imediatamente é encantador ouvie Fifteen. Swift relembra a perda do amor aos 15 anos, e a feliz ignorância das retrospectiva.  É muito teen, mas é inegável amável. A instrumentação das guitarras e banjos também tornam muito americana, mas Swift coloca o suficiente de sua própria personalidade juvenil para torná-la boa.

O hit do álbum é “Love Story”, o que é estranho porque não é a melhor canção do álbum. As letras são dolorosamente pobres, a melodia e não tem nenhuma aventura. De fato, se você imaginar Disney fazendo música para um país pobre, o som seria um pouco assim.

Também a tempo recolher ar-Terreno Obama é “White Horse ‘, e é fácil perceber porquê. É uma reminiscência de Norah Jones e Katie Melua, mas ainda com maior valor comercial. A balada com piano-backed puxa cordas sobre o coração, e é um excelente veículo para destacar talentos da Swift.

‘You Belong With Me “é definitivamente uma das mais fortes canções do álbum. Swift injeta uma abundância de alma, as letras são jovens, e tem uma forma de cantar que dá qualidade a ela. Ele também cruza as fronteiras entre a luz e rock do país de uma forma realmente eficaz.

‘Breathe’ é a canção no álbum que os fãs, provavelmente, não gostam. Quanto à faixa, Swift canta sobre a dor envolvida na ruptura com alguém, mas que, por vezes, tem que acontecer. Tem uma energia diferente para o resto do álbum, é muito refrigerada, bem como a utilização eficaz de violino a diferencia  ainda mais. A influência de Colbie Caillat, que co-escreveu a canção, é definitivamente sentida.

Os quatro primeiros segundos de “Tell Me Why” instantaneamente trazem à mente a Rednex canção ‘Cotton Eye Joe. Felizmente o resto da canção é completamente diferente, na medida em que mistura o rock e a luz do país lindamente. Swift canta sobre o seu parceiro abusivo com baldes de atitude e personalidade. É uma linda canção, mas a música e o conteúdo das letras chocam um pouco.

Embora este álbum seja preenchido com bastante canções simpáticas, há diversas trilhas que não estão à altura do mesmo padrão. ‘Change’, por exemplo, soa como uma preguiçosa canção da Kelly Clarkson. “Forever & Always” é ainda pior, e poderia ser facilmente confundida com uma canção da Avril Lavigne.

Globalmente, o álbum é um saco de muitas misturas. Existem muitos casos em que a SWIFT está produzindo o tipo de música você quer ouvir, mas ela não atingiu as alturas que Colbie Caillat fez com o seu semelhante auscultação em ‘Coco’. É um excelente CD para o Dia das Mães, mas se você for fã de um país, não há nada aqui para mantê-lo interessado.”

E você, concorda com essa review, ou acha que o autor fez infelizes comentários? Comente sua opinião clicando aqui.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up