bannerus1
Como publicamos anteriormente, a US Weekly fez uma edição de colecionador totalmente voltada à Taylor Swift, que contará com diferentes matérias sobre sua vida pessoal, relacionamentos, carreira e muito mais.  Agora vocês podem conferir mais scans do especial e a entrevista traduzida pela nossa equipe.

A revista chega às bancas no dia 12 de Abril, e já pode ser garantida no site da Barnes & Noble.

001.jpg 002.jpg 003.jpg 002.jpg 001.jpg 

Paradas para shows pirotécnicos. Inspirada em um teatral tema circense. Roupas rasgadas. Taylor Swift certamente sabe como tornar seus concertos em uma incisura! “Muita da minha energia se vai construindo uma tour,” ela contou a Us. De fato, a sete vezes vencedora do Grammy começou planejando todos os 62 shows da Red Tour em agosto do ano passado. Por quê? A popstar de 23 anos queria que essa soasse “completamente diferente da Speak Now Tour,” ela disse, adicionando que havia uma “vibe muito princesa” na sua turnê passada. Além de dançarinos mascarados, isso talvez signifique mais parcerias com suas celebridades íntimas (parcerias do passado: Nicki Minaj e Selena Gomez). “Haverão muitas surpresas!”, ela revela para nós.

Atrás das cenas, é apenas um reajuste à sua rotina na estrada. Um dia típico? Ela começa desempacotando suas coisas no hotel. “Eu amo a forma que minhas roupas ficam fora das gavetas,” brinca a estrela, que então passa o restante do dia escrevendo novas músicas. Às quatro da tarde, ela sai para a sessão de autógrafos antes da hora do show. “Quando eu acabo tudo, próximo às onze e meia da noite, tudo o que eu quero é um cheeseburger,” ela conta a nós. De fato, seu estilo de vida nômade às vezes cansa a ela. Mas pela sua legião de Swifties (como os fãs chamam a si mesmos), vale a pena. “Quando eu conheço meus fãs, não é como conhecer estranhos,” ela diz. “É como dizer olá à alguém que eu já conheço.”

Nova garota corajosa

Ingênua? Nem pensar! Taylor está mais velha, mais sábia e arriscando tudo no amor e em sua vida.
Os dias de vestidos de lantejoulas, paixonites secretas e canções sobre romances de contos de fadas acabaram. Diga olá para Taylor Swift aos 23 anos. “Eu não gosto de sentir que eu sou um pacote frágil que tem que ser enviado com prioridade alta e entregado com luvas brancas!” A veterana que está na indústria há sete anos conta como é finalmente se sentir (e agir) como uma mulher.

Tomando todas as decisões:

Não há dúvidas: Swift é a sua própria chefe agora. De roupas mais ousadas na turnê a letras crescidas (“Eu farei tudo o que você disser se você disser com suas mãos”, ela canta em “Treacherous”), ela se tornou mais audaciosa –e franca – do que antes. “Quando se trata da minha carreira, eu vou absolutamente defender tudo que eu tenho e vou ser brutalmente honesta e implacável sobre tudo,” ela diz. “Essa é a parte da minha vida que eu sinto que tenho mais controle.” E é por isso que, apesar da revolta pública, ela se recusa a pedir desculpas por escrever sobre seus ex-namorados. “Todo mundo tem aviso prévio!” ela conta a Us, adicionando, “Eu aproveito críticas como elas vêm a mim.” E críticos, vocês foram avisados: Ela não tem mais medo de devolver na mesma moeda. Depois que as apresentadoras Tina Fey e Amy Poehler zombaram dos hábitos de namoro dela no palco dos Golden Globes de 2013, Swift falou a Vanity Fair: “Tem um local reservado no inferno para mulheres que não ajudam outras mulheres!”.

Apesar de todo o drama, a estrela classe A aprendeu a se soltar também. Apesar de ela ainda depender de seu pai para conselhos financeiros, Swift (quem tem uma casa em Los Angeles e outra em Nashville) alarde quando ela tem vontade. “Eu não gasto muito dinheiro com as coisas grandes, como carros ou joias,” ela fala. Mas “Eu alugaria uma casa na praia ou algo assim, levaria minhas amigas.”.

Em defesa ao seu histórico amoroso…

A romântica incorrigível sabe o que você está pensando: “Eu nunca tive um relacionamento longo,” admite Swift, que ainda não passou da marca dos quatro meses com alguém. Realmente, ela já sofreu uma boa cota de corações partidos. Os seus maiores problemas de relacionamentos? Garotos intimidados pelo sucesso dela, (“Se eu sinto demais que estou ‘usando as calças’, eu fico desconfortável”) jogos mentais distorcidos (“Eu não consigo lidar com alguém que quer retroceder o relacionamento”), e, às vezes, simples falta de química (“Eu preciso daquela faísca inexplicável!”). Apesar disso, olhando para trás, Swift insiste que nunca se arrependeu de nada. “Eu nunca gastei muito tempo com a pessoa errada, e isso é uma coisa que eu me orgulho.”

O que o futuro aguarda? Ninguém sabe!

Acredite ou não, Swift sempre se questiona onde ela se vê em 10 anos. “Eu sempre estou à frente de mim mesma,” ela diz. “Eu me preocupo com o futuro, com qual deve ser meu próximo passo.” Qual é o seu maior medo? “Eu não quero ficar tão viciada no som de uma plateia barulhenta que eu acabe ficando nos palcos por mais tempo que eu deveria.” Não que ela deva se preocupar: Ela esgotou quase doze arenas para sua mais nova turnê de 45 cidades, Red Tour, a maioria em menos de cinco minutos. “O fato que os fãs estão me apoiando cada vez mais ano após ano simplesmente me surpreende.”

Mas por mais que ela ame música, ela tem um plano B: se casar e ter (pelos menos!) quatro filhos. “Ser uma mãe em tempo integral, fazer tudo para meus filhos, ter um monte deles… essa é a única coisa que seria tão interessante de fazer quanto o que eu faço.” No fim das contas, ela espera que tudo acabe que nem a estrela aposentada em sua música “The Lucky One”. Ela fala para a Us: “Na música, a garota que fugiu de tudo para viver uma vida real é na verdade a sortuda. Eu espero que eu saiba como envelhecer graciosamente e quando sair dos holofotes. Eu espero que eu acabe feliz.”

Tradução e Adaptação: Daniel e Lívia – Equipe TSBR





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up