header3

Dan Wilson fez grande sucesso no final dos anos 90 com a sua banda Semisonic, que teve como principal hit a música “Closing Time”. Agora ele se dedica a alguns trabalhos solos e a colaboração com outros artistas, como foi o caso com Taylor para o álbum Red. Wilson co-escreveu e produziu “Treacherous” e “Come Back… Be Here”, faixa bônus da versão deluxe. Quase dois anos depois da colaboração de ambos,  o líder da Semisonic não poupa elogios a Taylor quando é perguntado sobre ela. Foi assim na semana passada no seu AMA (ask me anything) no Reddit e agora em uma entrevista realizada pelo The AV Club:

The AV Club: Como você decide quais música são para você cantar e quais são de outras pessoas?

DW: Se eu escrevo com outra pessoa e eles querem cantar a música, é deles. Minha filosofia há alguns anos é de que se eu estou compondo uma música e não consigo imaginar que seja eu cantando, provavelmente não é o ideal.

Eu me sinto livre para fazer covers das minhas próprias canções, ou quase uma obrigação de testá-las no palco para ver se “Ah sim, isso é realmente muito bom, isso funciona”. Ano passado eu fiz um show em Los Angeles e decidi que cantaria “Treacherous”, uma música que escrevi com a Taylor Swift. Foi bacana cantar e teve uma boa recepção que eu cheguei a pensar: “Oh, essa é uma música muito boa. Eu poderia cantar isso para a minha audiência”.

AVC: Como é o processo quando você está escrevendo com outra pessoa?

DW: Depende de como eles trabalham. Com a Taylor, nós estavamos andando em círculos, tendo bastante consciência do trabalho de ambos por um tempo. Nós arranjamos dois dias para trabalharmos juntos e ela veio ao meu estúdio muito animada e disse: ‘Tive uma ideia no carro”. E ela cantou para mim as primeiras três ou quatro estrofes e disse: “Eu quero chamá-la de Treacherous e talvez o refrão possa ser assim.” E nós compomos a música em 10 minutos e ela estava totalmente animada.

É interessante porque eu acho que ela é muito sincera e muito eu-sou-como-eu-sou. Quando você a vê em uma premiação e ela ganha um prêmio e parece estar surpresa, é a mesma reação que ela tem quando você consegue uma boa letra ou uma boa melodia. Ela parece impressionada e fica tipo: “Whoa!” Ela é assim mesmo. Ela também é muito consistente e uma compositora monstruosa.

AVC: Ela tem 24 anos. Ela pode ser sincera.

DW: E esse é o tipo de pessoa que você estará lidando. Ela é desse jeito do começo ao final.

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up