29 de agosto de 13 Autor: Erika Barros
Oregon Live: 7 motivos para amar Taylor Swift

O site Oregon Live fez uma incrível matéria defendendo Taylor Swift, e mostrando 7 razões para que ninguém tenha o direito de odiar a loira. Confira tudo traduzido por nossa equipe a seguir:

Virou moda odiar Taylor Swift.

Chris Robinson chegou a chamar sua música de “horrível”. Amy Poehler e Tina Fey zoaram de sua vida amorosa no Golden Globe Awards mais cedo neste ano. Ela foi zoada na música “The Great Gatsby” de Jay-Z. E Kanye West a humilhou na frente de toda a audiência do MTV Video Music Awards de 2009, quando ele subiu ao palco protestando enquanto ela agradecia um dos prêmios.

Por que tanto ódio?

Talvez porque Swift tem muito sucesso e apenas com 23 anos. Ela já tem 7 Grammys. Ela é a única cantora na história que teve dois álbuns com um milhão de vendas na primeira semana de vendas. A revista Time a nomeou como uma das 100 pessoas mais influentes no mundo. E em sua turnê atual, que chegará à Portland com um show esgotado no Moda Center, é uma das que mais venderam ingresso nesse ano.

E Swift vem feito tudo isso sem ter que se juntar com uma Kardashian para deixar seu nome na mídia.

Então, o que há nela para não gostar? Aqui estão 7 razões para parar de odiar e passar a amar Taylor Swift:

1: Suas músicas são relacionáveis: Swift escreve suas músicas e letras a partir de suas próprias experiências de, como ela mesma diz, uma estranha adolescente. Enquanto várias músicas suas focam no romance, ela também já falou sobre bullying e problemas alimentares. E ela faz tudo isso com uma voz dinâmica e melodias cativantes.

2: Ela realmente acredita no amor:  “O amor é um negócio traiçoeiro. Mas se não fosse, eu não estaria tão entrelaçada com isso”, ela escreveu em 2009. “Mesmo que não há maneira de ser expert nisso, é bom escrever músicas sobre isso – mais do que qualquer coisa que eu possa ter passado em minha vida.”

3: Ela não abaixa a cabeça para ex-relacionamentos: No final das contas, o amor é traiçoeiro. Com o passar dos anos, ela teve relacionamentos com os cantores Harry Styles, John Mayer e Joe Jonas, os atores Jake Gyllenhaal e Taylor Lautner, além de Conor Kennedy. Quando uns destes romances terminaram de forma trágica, eles se tornaram a inspiração para músicas de término como Back to December, Dear John e We Are Never Ever Getting Back Together. Para Swift, é a única maneira de amenizar um coração quebrado: “Existem duas maneiras de lidar com a dor: você pode deixar isso te destruir ou você pode usar isso como um combustível para te guiar”, ela diz. Futuros namorados, fiquem ligados.

4.: Ela se sente confortável com seu corpo: Swift tem diversos talentos, mas dançar não é um deles. E ela faz isso mesmo assim, dançando no palco da mesma forma que você deve dançar quando ninguém está olhando. É adorável.

5: Ela tem uma boa noção de moda: Mesmo que tenham comentado no Fashion Police que ela já usou looks vermelhos similares no tapete vermelho, Swift realmente entende disso. No Golden Globes deste ano, ela usou um look de Donna Karan que deixou Joan Rivers sem palavras: “Ela é uma estrela do cinema!”.

6: Os fãs dela realmente a apoiam: Os fãs de Swift são os mais esforçados da música pop desde a bizarra obsessão com Clay Aiken uma década atrás. E eles se chamam de “Swifties”, que é bem melhor que “Claymates”.

7: A igreja Westboro Baptist a odeia:  É um grupo de ódio conhecido por protestar em funerais de soldados. No começo deste mês, eles escolheram seu show em Kansas City para levantar placas que não eram nada gentis. Se aqueles estranhos não gostam dela, é porque ela está fazendo a coisa certa.

Fonte

Tradução & Adaptação: Isis Mendes – Equipe TSBR





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up