12 de outubro de 23 Autor: Juliana Marrão
O que a mídia está dizendo sobre o filme da The Eras Tour

A grande noite de estreia do filme da The Eras Tour, de Taylor Swift, aconteceu ontem (13) em Los Angeles, California. A cantora marcou presença e assistiu à produção audiovisual ao lado de seus bailarinos e alguns amigos, bem como sua família.

Por conta de toda a boa recepção que teve entre o público, Taylor anunciou que a estreia oficial chegaria um dia antes do que foi anteriormente previsto.

Lá fora, as mídias especializadas já começaram a opinar sobre o filme. Confiram abaixo o que elas estão dizendo:

THE GUARDIAN

Para os donos de cinema, cujos negócios ficaram em prejuízo desde que a greve dos atores adiou o lançamento de várias grandes produções como “Duna”, “The Eras Tour” está sendo cotado a ser o segundo “Barbenheimer”: algo que tem o apelo do tipo ‘pegue-suas-melhores-amigas-e-vá-assistir’, como o filme da Barbie; a paisagem sonora que nos choca e maravilha igual “Oppenheimer”; e condições de bater de frente com ambas essas produções em termos de bilheteria. Analistas esperam um final de semana de estreia que arrecade entre $150 a $200 milhões, significando que a “The Eras Tour” tem uma grande chance de tomar a tiara de campeã de bilheterias de “Barbie”, que fez uma estreia de $162.

Ainda precisa ser descoberto se Swift vai brilhar em sua estreia direcional, mas a “The Eras Tour” a supre com bastante conteúdo nas telonas. Uma presença divertida em seus grandes hits, como a dançante “Shake It Off” e a agitada “Look What You Made Me Do”, Swift é ainda mais atraente em momentos acústicos que trocam suas coreografias por um simples tocar de violão.

Seu real talento, porém, é ter humildade pra dar e vender com um grande carisma que poucas celebridades conseguem ter. Ao introduzir uma música, Swift insiste que ela teve que inventar uma versão exagerada de si mesma para que pudesse compor. “Em minha fantasia, não sou uma mulher milenial solitária coberta em pelos de gato”, ela diz, embora tenha passado todo o filme estando impossivelmente glamurosa em saltos altíssimos de Christian Louboutin.

DEADLINE

Existem muitos momentos em que o público ficará grato por ver de vários ângulos. Você verá cada detalhe de cada figurino brilhante que Taylor usa ao longo do show, bem como os mini detalhes em seus instrumentos – como o brilhante “13” na guitarra que usa para tocar durante a era de Fearless.

“Taylor Swift: The Eras Tour” irradia a mesma energia que reverberou nas arquibancadas a cada noite, se tornando completa com o som ensurdecedor do público. Espere sair dos cinemas com seus ouvidos zunindo.

THE HOLLYWOOD REPORTER

Os espectadores cantaram e dançaram em suas fileiras e comemoraram tão alto que eu frequentemente não conseguia distinguir onde o som da plateia do filme terminava e o som da plateia do cinema começava. Eu estava exausto ao final do filme por conta de toda a carga sensorial.

UPROXX

Embora não seja possível um filme tomar o lugar de um show ao vivo, “Taylor Swift: The Eras Tour” chega muito próximo disso, não tanto por causa de como o filme foi capturado, mas mais por conta de como os fãs interagem com ele. Também tem os momentos de Swift interagindo com a câmera e o público se perdendo em suas canções, trazendo-os de volta para ela…Mesmo nessa primeira exibição, já parece ser maior que Taylor Swift, se é que algo pode ser maior que Taylor.

NME

É um feito impressionante. No espaço de uma performance impecável, Swift intercala momentos de uma artista divertida, uma estrela do country e uma genuína ícone do pop…Assim como a The Eras Tour comprova o tempo todo, Taylor Swift pode fazer basicamente qualquer coisa que desejar.

SCREENDAILY

Uma deslumbrante flexibilidade musical.

USA TODAY

O filme inteiro oferece um assento na primeira fileira para o espetáculo. O palco é tão grande que mesmo os melhores assentos no estádio – e os telões de tamanho estratosférico – podem te dar detalhes até um certo ponto. Mas nas telonas, as cenas gravadas de perto são gloriosas, sejam focando na maquiagem de olho de gatinho de Swift, destacando seus olhos azuis, ou o musgo cobrindo seu piano, e o suor grudando em sua franja…

Fontes: The Guardian | Deadline | THR





Twitter do site

Facebook do site