O filme da “The Eras Tour” está quebrando recordes antes mesmo de chegar aos cinemas.

Faltando uma semana para o filme chegar às telonas ele ultrapassou US$ 100 milhões em todo o mundo em vendas antecipadas de ingressos, de acordo com seu distribuidor oficial AMC Theatre. Essas receitas abrangem todos os horários de exibição, locais e circuitos que realizam a “The Eras Tour” em todo o mundo, não apenas os locais da AMC.

O filme-concerto de Swift, que captura sua turnê recorde em estádios, estreia nos cinemas em 13 de outubro – para coincidir com o número da sorte da estrela pop – e será exibido em 8.500 cinemas em 100 países.

Com esse impulso, está prestes a conseguir uma das maiores estreias do ano. Especialistas do setor acreditam que “The Eras Tour” poderia ultrapassar US$ 100 milhões apenas na América do Norte (o número atual de vendas antecipadas de ingressos inclui a bilheteria internacional) durante o fim de semana de estreia, o que seria um negócio sem precedentes para um filme-concerto. Apenas cinco filmes em 2023 – “Barbie” (US$ 162 milhões), “The Super Mario Bros. Movie” (US$ 146 milhões), “Homem-Aranha: Através do Aranhaverso” (US$ 120 milhões), “Guardiões da Galáxia Vol. 3” (US$ 118 milhões) e “Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania” (US$ 106 milhões) – geraram pelo menos US$ 100 milhões em suas estreias domésticas.

A “The Eras Tour” de Swift vem quebrando as expectativas desde que os ingressos foram colocados à venda. Ele estabeleceu um recorde de vendas de ingressos em um único dia para os cinemas AMC, com US$ 26 milhões na América do Norte, superando o recorde de todos os tempos anteriormente detido por “Homem-Aranha: No Way Home” (US$ 16,9 milhões).

A Cinemark, que está distribuindo o filme nos EUA junto com a AMC, disse esta semana que as pré-vendas foram 10 vezes maiores do que qualquer exibição de evento anterior. Aron, da AMC, usou o filme de Swift para reunir o exército de investidores de varejo da rede, postando na plataforma de mídia social X no mês passado que foi “um desenvolvimento monumental para nossa empresa”.

As greves de Hollywood significaram que havia pouca competição para que o filme encontrasse uma vaga nos cinemas. “É um acaso em mais de um aspecto”, acrescentou Kustermann. O filme, que foi gravado durante três noites no SoFi Stadium de Los Angeles, está sendo distribuído internacionalmente pela empresa Trafalgar Releasing, com sede em Londres, e estão em andamento negociações para que o filme seja lançado na China por meio de um distribuidor local, disseram pessoas com conhecimento do AMC.

Na questão da greve dos atores, que se arrasta há mais de 80 dias, seria um estímulo muito maior para a indústria cinematográfica, segundo executivos do setor. No final de setembro, o Writers’ Guild votou pelo fim da greve depois de chegar a um acordo provisório com os estúdios de cinema sobre questões que incluíam o uso de inteligência artificial no desenvolvimento de roteiros.

Swift, que é membro do SAG-AFTRA, fechou um acordo diretamente com o sindicato para permitir que seu filme fosse lançado durante a greve.

A demanda pela turnê de Swift superou em muito a oferta: 3,5 milhões de fãs se inscreveram na pré-venda para conseguir ingressos para um total de 2,6 milhões de lugares disponíveis para a turnê pelos EUA.

“Quem são os outros artistas que podem conseguir isso?” perguntou Michael Sukin, um veterano advogado musical que representou os Rolling Stones e o espólio de Elvis Presley. “A única comparação histórica pode ser Help, o filme lançado pelos Beatles em 1965”, disse Sukin. “Os Beatles eram maiores que Deus… Não consigo pensar em outro exemplo”.

Fontes usadas: Variety e Financial Times.





Twitter do site

Facebook do site