18 de julho de 14 Autor: Airton
Forbes: “Taylor Swift é um fenômeno”

O site da Forbes, publicou um artigo especialmente sobre a cantora Taylor Swift e sua carreira, onde descreve a grande artista que ela é e outros aspectos relevantes de sua carreira. Confira:

Taylor Swift é um fenômeno. Ela vendeu mais de 22 milhões de álbuns em todo o mundo e ela é um dos melhores artistas em vendas de gravação digital de todos os tempos. Ela tem contratos publicitários com a Sony, Diet Coke e Covergirl. Ela é a número três em “As 10 Mulheres mais bem pagas na Música  em 2013”, lista da Forbes. Mick Jagger pensa que ela é uma estrela do rock. Embora ela tenha conseguido uma vida cheia de realizações, ela tem apenas 24 anos. Ela é a garota que você odiaria se você não gostasse tanto dela.

A última (mas não menos importante) coisa notável sobre Swift é a sua capacidade de prosperar e continuar a manter as vendas de álbum em alta em uma indústria que está evoluindo tecnologicamente, em uma economia que não tem sido boa para a indústria de entretenimento. Grandes artistas estão vendo os recordes e vendas individuais diminuirem, mas Swift não está sentindo os efeitos.

Há muitas, muitas razões pelas quais Swift é tão bem sucedida como ela é, mas aqui estão apenas alguns exemplos que podem ser aplicados a qualquer pessoa, e que Swift pode nos ensinar:

Contadora de Histórias

O cerne do gênero contry é contar histórias. A maioria das canções country são uma narrativa, e é um dos principais componentes líricos para diferenciar a música country de outros gêneros.

Mas contar histórias não é apenas importante, porque é um dos pilares da música country, é importante porque a maneira mais antiga de envolver as pessoas é contando histórias, e Swift é uma mestre em contar histórias. Contar histórias é a mais antiga forma de entretenimento, que antecede a religião e ninguém canta sobre ser um jovem melhor do que Swift. Ela escreve sobre as decepções no amor, e os, sentimentos e situações complicadas, bagunçadas que ele cria. Ela escreve sobre sua melhor amiga, sua família, crescer, descobrir tudo e o que ela aprendeu no processo.

Em seu mais recente álbum, “Red”, ela escreve sobre a transição da adolescência para a casa dos vinte anos (algo que muitos artistas jovens não conseguem fazer bem), escrevendo: “We’re happy, free, confused, lonely at the same time. It’s miserable and magical, oh yeah,” em 22.

Mas Swift é mais famosa por escrever sobre o amor, que é a principal queixa dos seus críticos, no entanto, é a forma como ela fez sua fortuna. Se as pessoas querem admiti-la ou não, parte do crescimento e de ser jovem é ter paixões, apaixonar-se, para descobrir como jogar o jogo do amor e lidar com o sexo oposto. Eu acho que parte da genialidade de Swift é ser capaz de escrever toda a confusão, mágoa e uma derradeira percepção em uma canção. “I hope the sun shines and it’s a beautiful day/and something reminds you, you wished you stayed,”, ela escreve em “Last Kiss”, em seu album “Speak Now”.

Embora na maioria das vezes em sua música, a outra parte é a culpa, Swift não fica sem remorso. Em sua canção, “Back To December” (novamente) em seu álbum “Speak Now”, ela escreve sobre não ter dado valor a pessoa que estava ela quando ela ainda estava. “So this is me swallowing my pride/ Standing in front of you saying, ‘I’m sorry for that night,’/ I go back to December all the time/It turns out freedom ain’t nothing but missing you/ Wishing I’d realized what I’d had when you were mine/ I’d go back to December, turn around and make it all right/ I go back to December all the time.”

Há muitos aspectos para o sucesso de Swift, mas acho que sua genialidade como compositora e uma contadora de histórias é subestimado, e só recentemente é que outros artistas estão começando a reconhecer sua genialidade.

Ela conhece seu público

Ser uma garota de 24 anos ajuda quando você está escrevendo para um público de 24 anos (embora Swift tenha ultrapassado isso). Ela é a melhor figura de amiga/irmã e escreve coisas de uma forma mais vívida do que sentimos. Suas canções têm um toque de drama e, quando combinadas com uma melodia cativante, vendem milhões de cópias.

Quando Swift deu entrevista para a vulture.com, ela explicou sua relação com seus fãs. “Há mais um elemento de amizade do que qualquer outra coisa“, disse ela. “Talvez seja uma relação de irmã mais velha. Ou é tipo ‘Ei, nós somos da mesma idade e tínhamos ambos 16 anos quando meu primeiro álbum foi lançado, e nós dois crescemos juntos’“.

Ela protege sua imagem

O grande motivo de os fãs de Taylor serem leais é que ela nunca fez nada drástico o suficiente para afastá-los, e continua sendo incontroversa o suficiente para que as mães sintam-se confortáveis ​​deixando suas filhas pré-adolescentes ouvir as músicas dela. Ela é tão reservada hoje como era quando começou.

Tabloides nunca têm fotos de Taylor Swift saindo de um clube, não há fotos dela nua, ela nunca foi para a reabilitação, e histórias de horror sobre trabalhar com ela são inexistentes. Ela se orgulha de ser um modelo e uma celebridade livre de polêmicas. Ironicamente, isso é o que não agrada a algumas pessoas – o quão imaculada é a imagem dela.

Essa imagem imaculada tem servido como uma estratégia de marketing brilhante; ela mantém seus fãs mais antigos e ganha novos que a cada ano. É difícil falar que sua boa imagem não é interessante quando a quantidade de álbuns e ingressos de shows vendidos mostram diferente.

Ela lida com a idade adulta diferentemente

Então, como Taylor lidou com a idade adulta? Swift decidiu ir pelo caminho menos percorrido e não assumir uma imagem feminista sexualizada, como suas colegas Katy Perry, Beyoncé ou Lady Gaga fizeram. Em consequência, ela escreveu músicas sobre o que é estar nos vinte anos. Ela não reescreveu “Fifteen”, ou qualquer um de seus outros sucessos, e não canta a mesma história duas vezes. Swift e sua música têm crescido junto com seus fãs; qualquer artista vai dizer que é uma das coisas mais difíceis de conseguir alcançar como músico. Ela não inovou sua música apenas por uma questão de inovar, e ela não foi uma escrava da batidas eletrônicas. Suas canções alcançaram vários estilos musicais, mas ainda são inconfundivelmente “swiftianas”. É assim que ela mostrou ao mundo que cresceu.

Ela se diferencia por não ir pelo caminho de muitas das artistas femininas ao tentarem entrar em um mercado mais maduro. Ao invés de mudar sua imagem, Taylor muda o conteúdo de suas músicas para refletir sua maturidade e mostrar o quanto evoluiu; e ela o faz extremamente bem, especialmente para alguém em sua idade. Isso fez uma diferença enorme em seu poder de permanência e sucesso.

Ela é excêntrica

Ela pode ser melhor amiga de uma modelo da Victoria’s Secret, mas você nunca ia saber disso ao ouvir as músicas dela. Taylor fez sua carreira baseada em escrever canções sobre como é ser uma pessoa diferente, como ela canta em “You Belong With Me”: “She wears short skirts/I wear t-shirts/she’s cheer captain and I’m on the bleachers”. Ela insiste em cantar sobre a garota não popular e, para ser justo, muitos artistas capitalizam sobre serem diferentes.

Swift canalizou esses sentimentos na música desde pequena, e é agora uma das melhores compositoras em trabalho. A lição? O que faz você diferente é o que faz você se destacar.

Próxima notícia >

»




Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up