wonderland4

Recentemente, Taylor Swift concedeu uma entrevista a Entertainment Weekly onde novamente falou sobre a produção de seu quinto álbum de inéditas. Além disso, Taylor também falou sobre suas músicas preferidas de sua época favorita do ano, o natal, e sobre “Sweeter Than Fiction”. Leia na íntegra:

Você ouve a música ao entrar no hotel Sunset Marquis em uma tarde fria de Dezembro.

Você brevemente acha que é uma gravação, mas rapidamente percebe que não está certo. A música está muito presente e singular. Você passa pelo corredor e vê Taylor Swift numa enorme suíte, tocando um piano, com uma lareira ao fundo. É como uma cena de um cartão de férias enviado pela sete vezes vencedora do Grammy, em vez de uma sala real qual você pode entrar. Você quer que este momento dure mais ainda – um show particular! – Mas ela imediatamente levanta e cheia de energia diz um “Olá” confortante.

Algumas celebridades em pessoa parecem com o que você esperava e outros parecem bem diferentes; Swift parece com ela mesma. Sua roupa é roxa, com uma saia longa modesta. Ela olha em torno de um lugar para sentar e é um breve dilema. Ela decide ignorar todos os móveis e, ao invés disso, se senta no chão em frente à lareira, perguntando-lhe: Tudo bem? Então ambos sentamos de pernas cruzadas perto do fogo. É tudo muito agradável e natalino, o que é adequado, uma vez que você tem algumas perguntas sobre esse feriado em sua lista. Há apenas um momento estranho que quebra o clima – você  faz uma pergunta sore Miley Cyrus (não se pode culpar um repórter por tentar, certo?). Swift torce o nariz, como se ela apenas sentisse o cheiro de uma questão desagradável, e educadamente pede pra pular essa (“temos tão pouco tempo”, diz ela).

Estávamos lá para falar sobre a nova música de Swift, “Sweeter Than Fiction”, que está acompanhando o lançamento da comovente comédia britânica “One Chance”. O filme é baseado na história verídica de um cantor de ópera amador que ganhou o Britain’s Got Talent. Ela também acaba de receber uma indicação ao Globo de Ouro pela música. Mas conseguimos entrar em algumas outras questões também.

Então, você realmente esperava uma canção sua sobre uma modesta comédia indie britânica, como isso aconteceu?

“Eu  me apaixonei pelo filme depois de vê-lo. Tive a sorte de ser uma das primeiras pessoas a assisti-lo. Eu acho que o [produtor Harvey Weinstein] sabia o que estava fazendo. Ele nos contatou e disse, “Acho que tenho um filme que Taylor deveria ver.” Não acho que ele precisasse dizer uma palavra, ele sabia que eu iria ver e escreveria uma música pros créditos finais. Então, pra mim havia tantos temas diferentes maravilhosos para se tirar dali. Minha experiência com a composição é geralmente tão confessional, é tão elaborada a partir da minha própria vida e minhas próprias histórias. Há algo tão único quanto a isso. Mas também é bem legal se concentrar em histórias de outra pessoa.”

Como foi colaborar com Jack Antonoff ? Qualquer chance de que aconteça novamente?

“Há uma grande chance de que aconteça novamente . Esta é a primeira vez que Jack Antonoff e eu trabalhamos juntos. Já somos amigos por um tempo, porque tenho uma boa amizade com [a namorada dele, Lena Dunham] e nós três estamos sempre saindo juntos. E uma vez que estávamos juntos , andamos vendo mais faixas e outras coisas, e houve um sinal entre nós que devíamos trabalhar juntos. Assim, ele foi a primeira pessoa quem eu contatei. Jack é tão bom em misturar a nostalgia dos anos 80 em sua música , e eu queria que isso fosse refletido nessa música , porque eu queria algo bem diferente da ópera que está na vanguarda do filme. E também uma grande parte do enredo do filme se passa nos anos 80 e 90.”

E há uma indicação ao Globo de Ouro. Você ainda se emociona quando essas nomeações acontecem?

“Eu recebi uma sms da Lena logo que isso aconteceu e ela mandou tipo, “Santo Globo de Ouro!”, e eu respondi: “Não minta, isso não é engraçado”. E  liguei pra ela e eu estava gritando. E ela estava gritando. E então Jack acordou e estava gritando.Isso aconteceu no meu aniversário, por isso foi o acontecimento mais inacreditável.”

Há outro artista com quem você sempre quis trabalhar?

“Estou meio que obcecada com a Sia. Sempre estive.”

O que você não realizou em relação a sua carreira mas sempre quis fazer?

“Oh, tanta coisa! Quanto tempo você tem?”

Bom, quais são algumas das maiores coisas que você quer realizar?

“Uma coisa que nunca tentei fazer é fazer listas de desejos. Eu tento ter uma mentalidade bastante avançada sobre tudo isso, onde assim que você dá um passo, você visualiza o próximo passo, e não cinco passos à frente. Há uma fala no filme que é quase nas mesmas palavras que essa metáfora. Essa é a maneira que sempre olhei para a minha carreira. Eu adoraria ganhar outro Grammy. Eu adoraria poder chegar algum dia até o Oscar. É por isso que fico tão feliz em fazer parte de filmes.”

Falando em próximos passos, você disse recentemente que seu próximo álbum já está no cronograma. Quando ele deve ser lançado?

“Eles ficariam tão bravos comigo se eu te contasse o que já tenho na minha mente, e eu odeio dizer isso e depois mudar. Boa parte do que acontecerá nesse ano tem a ver com o que acontecerá nesse próximo mês. Mas para mim, compor o próximo álbum geralmente leva algum tempo para encontrar uma nova sonoridade. Geralmente leva um ano para mudar a sonoridade do último álbum e começar um novo. E este novo acabou de começar em novo território.”

Você continua fazendo perfeitamente uma transição para a minha próxima pergunta-

“Sim!”

Da qual é: Você disse que tem uma nova sonoridade para este álbum. Como você descreveria isso?

“Hmm. É difícil descrever. No centro do que eu faço, sempre irá girar em torno de uma história confessional e inteirar meus fãs no que tem sido realmente minha vida. Se tornou nessa via entre eu e meus amigos, e eles sabem que não importa o que eles leem em algumas revistas, eles irão ouvir o relato real quando o álbum for lançado. Eu sempre escrevi músicas pela mesma razão – para pôr em ordem minhas emoções. Conforme eu amadureço, as lições que eu aprendi no amor e nos relacionamentos e como nós tratamos uns aos outros estão esperançosamente amadurecendo – esperançosamente.”

Nós também temos algumas perguntas para nossa pesquisa de Natal. Qual a primeira música que você quer escutar quando começam a tocar músicas de Natal todo ano?

“São tantas! Colbie Caillat tem um ótimo álbum natalino do qual estou obcecada. Eu amo as músicas natalinas do She & Him. Bing Crosby, é claro. “All I Want for Christmas Is You” da Mariah Carey. Os Beach Boys também tem uma ótima música natalina. O Train tem essa música chamada “Shake Up Christmas”. Eu tenho tantas músicas de Natal favoritas agora!”

Qual é a canção desconhecida de Natal que você deseja que mais pessoas conheçam?

“Huh… Posso pegar meu celular?”

Com certeza. Isso não é trapaça.

“Certo. Vou procurar! … Tem uma chamada “It’s Christmas Time” de Jules Larson, que eu acho encantadora. Oh, e o Fountains of Wayne tem uma música chamada “Valley Winter Song.” Estou obcecada com ela e eu a transformei na minha cabeça em uma música natalina.”

E qual é a música de Natal que você não suporta?

“Eu não tenho uma, sério. Eu só baixo as que eu gosto.”





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up