ama2010-2

Chris Gantry, amigo próximo de Kris Kristofferson e um dos fundadores do movimento country dos anos 70, é a capa da revista Scene de Nashville (a mesma responsável por nomear Taylor a “Tennessean of the Year” recentemente). Na matéria, ele não poupa críticas aos atuais protagonistas do cenário country. No entanto, o que chama atenção é que uma das poucas artistas que ele elogia, é Taylor. Sobre isso ele disse:

As pessoas não conheciam Taylor Swift como uma rainha do glamour quando começou. Ela era uma pessoa real que andava pelas ruas em grupo com outras seis garotas falando em seu celular. Como uma jovem compositora, ela não tentava ser algo que não era. Ela apenas escrevia sobre algo que conhecia: garotos. E isso ressoava com sua audiência. E eles a apoiaram como a voz de uma geração por isso. Isso é o que importa, ser honesto e real. Ela não era descarada, ela não estava promovendo a sexualidade. Ela era a menina conservadora do centro da América que falava pelas meninas da Harpeth Hall (n/t: colégio preparatório para meninas entre 5 e 12 anos de Nashville) e pelas da Hillsboro High (n/t: High School de Nashville). Ela era a garota ideal. Ela era a Madonna da música country. Ela mudou a música country, então ela se misturou para mudar a música pop também.

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up