23 de setembro de 13 Autor: Erika Barros
Billboard: Análise do primeiro show da RED Tour de Nashville

A Billboard publicou uma incrível resenha do primeiro show da RED Tour em Nashville, no qual Taylor Swift levou a plateia ao delírio. O que está esperando? Confira-a inteiramente traduzida a seguir:

Enquanto introduzia sua música de topo das paradas de sucesso ‘Begin Again” na noite de quinta feira na arena Bridgestone em Nashville, Taylor Swift falou sobre como o processo de escrever uma música sobre amor mudou com o tempo. A evolução toma um espaço na vida de um artista, e também na carreira, e a primeira noite de seus três shows na cidade da música foi uma boa prova que isso está em sua carreira.

A garota que nos encantou com “Tim McGraw” cresceu. Swift tem 23 anos agora. E assim como ela cresceu, também cresceu o conteúdo emocional de seu trabalho. De qualquer forma, esse crescimento vem apenas aumentando o seu vínculo com o público. Depois de tudo, boa parte das plateias esgotadas cresceram junto com ela. Eles se juntaram à Swift em vários triunfos e desapontamentos, e a noite de quinta provou o quão longe Swift e sua audiência chegaram.

Com Swift no processo de término da parte estadunidense na “Red Tour”, a noite foi levemente ponderada para a best seller. Suas performances de faixas do álbum como “22” e “The Lucky One” ressoaram com sua base de fãs, e ela apontou direto para o coração – e cantou uma versão tocante de “All Too Well”.

De qualquer forma, o público também compareceu para ouvir hits que fizeram parte de sua vida – e Swift não desapontou ninguém. “Sparks Fly” e “Love Story” inspiraram a audiência a cantar, que cantavam toda a letra certo. Interessantemente, não haviam só adolescentes emocionados com a música, já que notamos fãs em seus 30/40 anos cantando junto. Musicalmente, um dos momentos mais mágicos do show foi “You Belong With Me”. Um hit de 2009, que ela e suas dançarinas viajaram no tempo durante a perfomance ao dar um ar de anos 50 com maravilhosos vestidos vermelhos.

A duas vezes indicada ao CMA Entertainer (e ela foi nomeada novamente esse ano) vem trabalhando duro para provar a qualidade da Red Tour pelo seu design visual. Seja por seu talentoso grupo de dançarinos ou o estágio que a permitia caminhar por ele inteiro e que você não podia tirar o olho de um dos lados a momento algum. Os atos de abertura Casey James e Ed Sheeran também souberam como dar o pontapé inicial à noite. A plateia – que já estava gritando muito – enlouqueceu quando a cantora anunciou que Luke Bryan era o convidado especial da noite com a música “I Don’t Want This Night To End”.

Infelizmente, a noite teve que atingir um ápice musical, e foi o que aconteceu em “I Knew You Were Trouble” e “We Are Never Ever Getting Back Together,” mandando os fãs para uma vibe positiva – com dois de seus maiores hits de Red – e no caso da cantora, possivelmente um dos melhores trabalhos que ela já fez como artista.

No final das contas, o que separa Taylor Swift do restante é que mesmo com uma audiência de 20 mil pessoas, ela consegue manter um elo de intimidade com elas. Ao conversar com a audiência, ela não apenas os pergunta como eles estão ou se eles estão se divertindo, ela também se abre e compartilha suas histórias assim como em “All Too Well” ou “Mean”. Swift não apenas provou mais uma vez o quanto ela conhece e respeita seu público, ela também deu aos fãs uma chance de a conhecer de verdade. E, em nossa visão, ninguém faz isso melhor.

Fonte

Tradução & Adaptação: Isis Mendes – Equipe TSBR





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up