Sabemos que muitas músicas da Taylor refletem suas próprias alegrias e frustrações com relacionamentos passados. Algumas de suas músicas sobre o fim de um namoro foram selecionadas em um Top 5 que envolve a inspiração, estilo e vídeo clipe. Confira:

Não é nenhum segredo que a estrela do pop-country, Taylor Swift, é famosa por escrever músicas temáticas sobre rompimentos e males de amor em geral. Para ela, é como se o tema super dimensionado e mega adaptável, se encaixasse perfeitamente em todos os tipos de batidas e estilos do lado doloroso da paixão na prosa lírica.

Com o lançamento de seu mais recente single, o mal-humorado e ainda verboso “We Are Never Ever Getting Back Together”, que bateu “Born This Way” da Lady Gaga sendo a maior estreia em uma música digital por uma artista feminina com 623 mil downloads, Swift está novamente afirmando sua posição como a heroína da mágoa da década. Mesmo que seu quarto álbum de estúdio “Red” não seja lançado até 22 de outubro, aqui está uma lista de cinco de seus raivosos mas ainda tristes, felizes mas ainda arrependidos, hinos de términos de relacionamentos:

1. “Back To December” (de Speak Now, 2010)

Sobre quem é: O lobisomem de “Crepúsculo”, Taylor Lautner é (bem, supostamente) a inspiração para o pedido de desculpas de Swift.
Qual é o estilo: uma balada lenta e fanhosa com triste estilo vocal, Swift lamenta problemas em seu relacionamento, com lentas linhas de dor.
Como é visualizada: Com um tempo frio e neve caindo, em metáforas do coração, o vídeo da música apresenta Swift vagando e se lamentando ao longo de sua casa escura.

2. “Picture to Burn” (de Taylor Swift, 2008)

Sobre quem é: Um tapa no ex-namorado pilantra e em todos os seus menos do que desejáveis traços, T. Swizzle canta a última despedida.
Qual é o estilo: Uma música com características divertidas, mas ainda com umas batidas country.
Como é visualizada: Cheia de couro preto e pirotecnia, essa invasão de domicílio como um delírio de uma implacável ex-namorada imaginando táticas de vingança.

3. “White Horse” (de Fearless, 2008)

Sobre quem é: Com o pitoresco personagem de uma fantasia de infância, “o príncipe encantado”, Swift lamenta sua perda do que ela imaginava ser o seu.
Qual é o estilo: lento e arrastado, com uma simples batida de violão para se encaixar no tom triste mas ainda relaxado desse single.
Como é visualizado: vidraças chuvosas e periódicos flashbacks cheios de fofuras invadem a mente Swift quando ela se senta e reflete sobre o que poderia ter sido.

4. “The Story of Us” (de Speak Now, 2010)

Sobre quem é: O cantor/compositor (e bem mulherengo) John Mayer serve de inspiração tanto para esse, como para “Dear John”.
Qual é o estilo: otimista e enérgico, o tema pessimista é facilmente disfarçado como o final de um congestionamento de carros.
Como é visualizado: Acontece numa biblioteca, Swift com seus óculos modernos, com um namorado do passado, com mais carisma e zelo do que em muitos de seus outros vídeos.

5. “Should’ve Said No” (de Taylor Swift, 2006)

Sobre quem é: Um namorado traidor é criticado nesse ode ao rancor adolescente.
Qual é o estilo: Similar à “Picture to Burn”, as guitarras mais pesadas e o violino fazem um hino de término de relacionamento country, com as letras de Swift mais raivosas e vingativas do que o resto.
Como é visualizada: em uma performance ao vivo no Academy of Country Music Awards em 2008, Swift energiza durante a canção, em um ponto terminando a letra debaixo de uma cascata.

Mesmo que muitos ouvintes se aborreçam com o tema consistente das músicas de Swift, é inegável que essa namorada sabe das coisas. Claro, ela pode repetidamente se meter em situações que chamam por um coração partido, mas quem somos nós para julgar? Ela é uma cantora/compositora bem-sucedida com legiões de fãs em todo o mundo que absolutamente a idolatram por ser uma voz para guiá-los durante seus anos adolescentes cheios de romances lacrimosos. Então, se Swift quer continuar escrevendo o mesmo hino de término de relacionamento número 1 nos charts da Billboard, então deixem-na! Porque nós nunca, nunca, nunca iremos ser capazes de parar de ouvir, de qualquer jeito – tipo, nunca.

Fonte: Alligator
Tradução e adaptação: Louise e Ana Luiza – Equipe TSBR





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up