taylor-swift-harpers-bazaar-germany-november-2014-02-645x861

Taylor é a capa da Harper’s Bazaar deste mês na Alemanha. Na entrevista que concedeu a revista ela fala sobre como gerencia a sua carreira, sobre a sua vida no momento e seu novo álbum. Confira:

(É importante notar que a tradução da matéria pode não ser completamente fidedigna com a matéria em si. Uma vez que a entrevista foi feita em inglês, traduzida para o alemão e estamos utilizando uma tradução livre para o inglês como base)

Ela está solteira e gostando: “Agora a minha vida pertence às minhas amigas”

“Você gostaria de ver a vida do meu ponto de vista?” Aqui. Taylor Swift mostra uma foto em seu celular. Não é uma visão bonita. Bem mais do que trinta lentes de câmera estão miradas para ela, os fotográfos se amontoam atrás de latas de lixo ou se ajoelham na sua frente na calçada, atrás estão grupos de curiosos pedestres com seus smartphones.

Alguns minutos atrás, a cantora chegou ao estúdio de fotografia no Brooklyn, vestindo shorts confortáveis e uma blusa folgada, apesar de estar portando uma novíssima bolsa rosa da Prada em seu braço: mais como a sua vizinha do que uma cantora famosa com a sua própria linha de perfumes. Para nossa conversa ela se sentou em um sofá de couro e tirou as suas saptilhas. Agora ela dá uma olhada em seu iPhone. Taylor Swift ganha, em média, 37 mil novos seguidores em suas redes sociais todos os meses. Somente no Twitter, ela tem 45 milhões de seguidores, o que é praticamente a população da Espanha.

Em 2006, ela lançou o seu primeiro álbum, Taylor Swift, no qual ela cantava para os corações das pessoas de 8 a 14 anos no planeta e, eventualmente, sua sonoridade country se desenvolveu, chegando até a adicionar jovens hipsters para a tendência. Porque a menina de Nashville, no Tennessee, criou uma atitude que até então não existia nas paradas de sucesso: os sentimentos em uma mão, e a auto-estima na outra. A autora de Girls, Lena Dunham, e a blogueira Tavi Gevinson já se declararam fãs. Há algum tempo Dunham twittou para todos: “Taylor Swift é há muito tempo um modelo para as feministas modernas”.

Na verdade, Swift não apenas compõe e produz a maioria de suas músicas, ela também decide cada passo de sua carreira, desde os diretores de seus clipes até os eventos de divulgação, e também age como a CEO que comanda a sua marca. “Se eu estou envolvida em todos os passos, eu não tenho que me preocupar com surpresas”, ela diz. “Para mim, o trabalho criativo é um processo muito estruturado. Eu sempre tenho que estar bem preparada, se não, não vai funcionar”. Talvez isso esteja relacionado aos empregos de seus pais: Seu pai era um investidor na Merrill Lynch, e a sua mãe trabalhava com finanças. Hoje, os dois trabalham para ela. “Nós estamos planejando a próxima turnê, os dias de imprensa, o conceito geral com o qual eu quero viver os próximos dois anos. Eu estou orgulhosa pra caramba do meu trabalho. É por isso que eu não me importo de saber quem me chama de uma artista que é controlada”.

No entanto, até isso se tornou um dificil trabalho. Tudo que um homem famoso diz hoje em entrevistas, tweets, ou diga para o mundo, irá sumir. Swift tem vivido sem nenhum escandalo, mas a sua vida amorosa tem sido assunto das colunas de fofoca. O cantor John Mayer, o ator Jake Gyllenhaal e Taylor Lautner, assim como o herdeiro Conor Kennedy já apareceram ao seu lado. Mas por quase dois anos, ela tem estado solteira e, aparentemente, feliz com isso: “Agora a minha vida pertence às minhas amigas”.

Seus ex-namorados normalmente são deixados com uma música bem escrita, algumas vezes mais, outras vezes menos ressentida. No novo álbum, uma dessas músicas é chamada “Style”. Outras vezes, ela canta principalmente sobre o seu mundo privado, ou melhor, a falta dele. Ao mesmo tempo que ela posta fotos religiosamente, como quando está passeando com suas amigas Karlie Kloss, Emma Stone e Selena Gomez em sua mansão em Rhode Island. Ou com seu irmão Austin, de 22 anos, que acabou de completar um estágio como produtor com Harvey Weinstein. Então, acaba que ela não age de acordo nem mesmo com a sua preciosa privacidade, certo? “Pelo menos eu posso controlar os meus próprios posts”, ela responde como se estivesse atirando de uma pistola.

Ainda assim, ela insiste que as redes sociais ainda a aterrorizam: escandalos de telefones hackeados, monitoramento cibernético, perda de controle. “Existe um ramo inteiro de negócios dentro da indústria do entretenimento que está esperando para me expor e inventar mentiras sobre mim”, ela acredita. “Eu nem sei o quão seguro um telefone é. Você poderia me escutar através dele?”

Não funcionaria se a vida inteira dela não estivesse salva em seu celular: fotos de amigos, contatos, gravações, até o seu novo álbum 1989, que será lançado dia 27 de outubro. Ela clica em um arquivo e eu percebo que a parte traseira de seu dispositivo é coberta com adesivos de gatos, como se quisesse diminuir o seu caráter técnico. Ela toca para mim, através de fones de ouvido (em alto falantes seria possível de ser gravado), seu quinto álbum estúdio. O baixo é mais proeminente, muitos trompetes em melodias difusas. Menos country, mais pop. Swift vê ela mesma fazendo um tributo a estrelas dos anos 80, como Michael Jackson, Annie Lennox e Madonna na sua fase de Like a Virgin.

Recentemente, Taylor se mudou para Manhattan, morando no mesmo prédio que Orlando Bloom e o diretor Steven Spielberg. O interior “é bem Tribeca – com chão de tábua corrida e paredes de tijolos”. Ela orgulhosamente mostra fotos de sua mesa colorida de tábuas de madeira (cada tábua de uma cor diferente), os banheiros com paredes de cor beringela. Seu chalé em Beverly Hills, a já citada propriedade em Rhode Island e a casa de seus pais em Nashville – todos os lugares que ela chama de casa. “Talvez seja todos os anos de vida em turnê”, Swift especula enquanto olha seus pés descalços, “cada dia me leva para um lugar diferente. Estou sempre me mudando”. Falando nisso, a sua representante bate na porta e mostra o relógio. Swift procura seus sapatos, ainda falando um pouco sobre design de interiores – seu “outro trabalho dos sonhos”, recomenda um sofá e um papel de parede, e vai embora.

A mulher que entra na sala um pouco depois tem olhos brilhantes, cabelo perfeito. Ela radia pelo espaço todo. Para a sessão, Swift insistiu que as músicas de sua própria playlist fossem tocadas, o hip-hop de Kendrick Lamar. Taylor canta e dança, enquanto posa como uma modelo, focada durante horas. No começo da noite seu pai a busca para levá-la ao aeroporto. Seu avião a levará para um final de semana com a familia em Nashville. Antes de nos despedirmos, Taylor dá abraços apertados. Nos próximos dias ela posta duas fotos: uma de suas gatas e uma dela mesma com a sua mãe e seu irmão em casa. O resto? É privativo.

Confira também as scans da revista disponíveis em nossa galeria:

2.jpg 5.jpg 8.jpg 7.jpg 3.jpg

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up