13 de junho de 20 Autor: Maria Eloisa Barbosa
Taylor Swift pede a remoção de monumentos de figuras racistas

Taylor Swift está pedindo para os legisladores do Tennessee que removam os monumentos racistas argumentando que “vilões não merecem estátuas”.

“Como alguém do Tennessee, fico angustiada por termos em nosso estado monumentos erguidos que celebram figuras históricas que fizeram crueldades”, tweetou Swift, que tem um lar em Nashville. “Edward Caack e Nathan Bedford Forrest foram figuras DESPREZÍVEIS na história do nosso estado e deveriam ser tratados como tais”.
A revolta de Swift veio depois que uma estátua de Carmark, que ficava na frente do capitólio do Tennessee, foi derrubada no dia 30 de maio.

Carmark foi um proeminente jurista e jornalista no Tennessee que serviu no senado de 1901 a 1908. Sua estátua foi erguida em 1927. Swift comentou que Carmark era famoso por escrever artigos incentivando o linchamento e promovendo ataques violentos contra a jornalista negra pioneira Ida B Wells. Tennessee disse que recolocaria a estátua mas swift disse que “substituir a estátua dele seria um desperdício de dinheiro do estado e de uma oportunidade de fazer a coisa certa”.

Ela sugeriu que , no lugar, ali fosse feito um memorial para a Wells “por seu trabalho pioneiro em jornalismo e direitos civis”.

Swift ainda criticou o comitê da Câmara, que votou contra a remoção do busto de Nathan Bedford Forrest, um general que chegou a ser membro de alto escalão da Ku Klux Klan. “Sua estátua ainda está de pé e 13 de julho é o ‘ Dia de Nathan Bedford Forrest'”, escreveu a cantora. Há pouco tempo, o governador do Tennessee, Bill Lee, pediu aos senadores do estado que atenuassem suas homenagens no Dia de Nathan Bedford Forrest, como atualmente é exigido pelos governadores do Tennessee pela lei estadual.

Swift argumentou que parar com as comemorações melhoraria a vida dos negros americanos que moram no Tennessee. Ela escreveu: “Quando você luta para honrar os racistas, mostra aos habitantes negros do Tennessee e a todos os seus aliados seu posicionamento que continua com esse ciclo de dor. Você não pode mudar a história, mas pode mudar isso”.

Não é a primeira vez que Swift fala sobre a política do Tennessee. Durante o meio do ano de 2018, a estrela se posicionou contra a candidata republicana Marsha Blackburn. Swift criticou a posição de Blackburn sobre os direitos reprodutivos e sobre a Planned Parenthood (organização sem fins lucrativos responsável por metade dos abortos realizados nos Estados Unidos) e incentivou seus jovens fãs a se registrarem para votar. (Blackburn venceu a eleição de meio do mandato.) Em maio, num tweet, Swift acusou Donald Trump de “acender o fogo da supremacia branca e do racismo em toda o seu governo”.

Conversando com o The Guardian em agosto passado, ela falou a respeito do que os críticos chamavam de narrativa de “vítima branca” ao longo de sua carreira musical. Swift disse que estava tentando reconhecer seu próprio “privilégio branco” e que “é algo que eu ainda estou tentando me educar todos os dias ”.

Matéria publicada pelo The Guardian e traduzida pela Equipe TSBR.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up