O site Taste Of Country publicou no domingo passado, dia 9, uma matéria sobre Taylor e sua gravadora não quererem ser incluídos na nova plataforma da Billboard, o Spotify. As razões e como essa decisão foi vista você confere abaixo na matéria traduzida:

Taylor Swift rejeita inclusão no Spotify

A plataforma de streaming de música popular, o Spotify, é a mais recente adição para a metodologia da Billboard para determinar a sua abrangente lista do Hot 100, mas isso não seduziu Taylor Swift para deixar seu CD de platina, Red, ser transmitido na plataforma por inteiro.

De acordo com a gravadora de Swift com raízes em Nashville, Big Machine, a razão por trás da rejeição da cantora de Begin Again na permissão de sua música ser transmitida no Spotify é simples: é tudo sobre negócios.

“Nós não vamos botar os lançamentos no Spotify. Por que não aprendemos com a indústria de filmes?” diz a gravadora, que também representa os super estrelas do country Tim McGraw, Reba McEntire e Rascal Flatts. “Eles têm as estreias no cinema, na TV a cabo. São níveis diferentes. Se nós apenas jogarmos tudo que temos, estaremos perdidos”.

Os assinantes pagos do recurso de música online suíço estão bravos com a decisão de Swift de omitir seu novo catálogo, apesar de que sua canção do topo das paradas We Are Never Ever Getting Back Together esteja disponível como uma canção única a ser transmitida.

Em um movimento semelhante, a princesa do pop Rihanna também restringiu seu recém-lançado CD Unapologetic de ser transmitido completamente, apesar de que o single principal do álbum é uma das canções mais ouvidas no Spotify.

Muito ironicamente, We Are Never Ever Getting Back Together e Diamonds resultaram em canções número 1 na Hot 100 para Swift e Rihanna, respectivamente. A marcha para o topo de Swift com o seu single principal foi a primeira para a super estrela country.

Swift e sua gravadora parecem estar firmes com sua decisão, mas o Spotify continua a defender seu modo de negócios: usam outra estreia monstruosa como um indicador de suas potenciais contribuições para a indústria musical.  De acordo com a empresa, Babel, o novo álbum da banda de rock alternativo Mumford & Sons, foi transmitido mais de oito milhões de vezes durante sua semana de estreia e ainda conseguiu vender impressionantes 600,000 cópias numa margem de sete dias.

“Isso prova que serviços de compartilhamento e transmissão não atrapalham para as vendas, e na verdade, podem ser aditivas para os lançamentos de grandes artistas”, diz Sachin Doshi, a cabeça de desenvolvimento e análise do Spotify. “Essa é nossa visão e nós vamos mantê-la”.

Se Swift e sua gravadora vão eventualmente ceder à demanda de uma indústria musical crescente ainda não se sabe. Mas se você quiser ouvir o CD Red da cantora inteiramente online em algum momento do futuro, o Itunes é seu melhor amigo.

Fonte: TasteOfCountry.com
Tradução e Adaptação: Lívia Corrêa – Equipe TSBR & Portal Swift





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up