Taylor sempre foi muito vocal sobre os artistas que admira. Nicki Minaj, Florida Georgia Line, Sam Smith e — obviamente — Ed Sheeran caíram nas graças da cantora logo no começo de suas carreiras. Talvez, não seria ousado demais em dizer que as carreiras deles poderiam ser diferentes caso não tivesse um dedo de Taylor no meio. O histórico de Taylor em “amadrinhar” artistas é longo e o site americano Spin fez uma análise do “caso”:

O empurrão de Taylor Swift: Quem recebeu uma mãozinha do maior nome do pop?

A cantora e compositora tem um histórico em apoiar artistas que, na maioria das vezes, resulta em grande sucesso

No começo deste mês Taylor Swift twittou a sua aprovação pelo artistas pouco conhecido, Børns, e seus fãs responderam por atacar o SoundCloud, Spotify, iTunes, Twitter do cantor — basicamente acessando a música dele de todas as maneiras possíveis. Ele deu um grande salto na parada da Billboard logo depois. Tem se mostrado claro que Taylor Swift possui um selo de aprovação extremamente valioso, porque esta não é a primeira vez que a estrela de 1989 lança um artista que ainda não chegou ao circuito principal, aumentando significantemente a velocidade com que atingem a trajetória de sucesso. Nós separamos cinco artistas que receberam o que estamos chamando de Empurrão Swift, analisando como a sua aprovação pública afetou as carreiras deles.

Nicki Minaj

Dois meses depois da rapper do Queens ter lançado o seu primeiro álbum em 2010, Pink Friday, Swift deu uma passada em uma rádio de Nashville e apresentou a sua versão da, então desconhecida, faixa-bônus da rapper, “SuperBass”. Em semanas as rádios pop começaram a tocar ela, e a antes renegada música começou a se expandir ao redor do país com suas referências a Slick Rick e seu clipe açucarado e simples. Mais tarde durante aquele verão, Swift convidou a artista da Young Money ao palco durante um show da Speak Now Tour em Los Angeles para um dueto de SuperBass no auge do reinado de Minaj nas paradas pop (3° lugar na Bilboard Hot 100 em agosto de 2011). Minaj depois agradeceu sua nova amiga pelo empurrão durante um discurso quando aceitava um prêmio no American Music Awards.

Sam Smith

Mesmo que o Disclosure tenha sido o primeiro a dar um gás na carreira de Sam Smith ao colocar o britânico em seu melhor single até agora, “Latch”, os fãs deste lado do Atlântico começaram a percebê-lo depois que Swift convidou o cantor de Stay With Me para o palco com ela em Fevereiro passado para um dueto da sua primeira música de In the Lonely Hour, “Money on my Mind”. Foi extremamente no começo de sua carreira, mas Swift iria colocar o logo-um-indicado-para-o-Grammy embaixo de sua asa ao longo do ano, notavelmente se sentando com ele no centro da primeira fileira dos AMAs.

Swift recentemente falou sobre seu toque mágico em uma entrevista sobre Smith, dizendo, “eu fiquei sabendo que ele era um artista super novo que ainda não tinha sido lançado nos EUA, mas eu senti essa estranha tendência de apresentá-lo aos meus fãs na O2 Arena. Quando amo algo logo de cara, eles normalmente sentem o mesmo”. É quase como explicar um truque de mágica dizendo “é mágica”.

Ed Sheeran

No final de 2012, para coincidir com o lançamento de sua primeira maior investida no pop, Swift anunciou o lançamento em 2013 da sua turnê de Red, declarando que Sheeran seria o convidado especial de todas as noites. Naquela altura, o cantor ruivo já tinha visto significantes números de vezes que sua música de 2011, “The A Team”, havia sido tocada no rádio, mas ainda tinha que lançar oficialmente sua carreira nos Estados Unidos. O seu papel na abertura da Red Tour acelerou o seu momentum, assegurando Sheeran no centro das atenções de milhares de adolescentes que adoram Swift todas as noites, que transformaram o humilde cantor em um galã e ídolo teen. Naquele outono, o cantor de Sing esgotou dois shows solo no Madison Square Garden, devolvendo o favor por convidá-la ao palco para uma apresentação de seu dueto, “Everything Has Changed”.

Vance Joy

Nessa altura, se você é um cantor desconhecido, focado principalmente em músicas acústicas sem muita atenção em você, é melhor que você reze para que Taylor Swift preste atenção e jogue a sua música para as massas. Foi o que ela fez em outubro passado quando ela tocou “Riptide” do cantor australiano de folk, Vance Joy, como parte de suas músicas para o BBC Radio 1 Live Lounge. A apresentação rapidamente somou vários milhões de cliques no YouTube, então não foi surpresa nenhuma que Swift logo depois roubou Joy para que ele se juntasse à 1989 Tour. Mesmo que ele seja relativamente um novato, Joy não está nervoso com o trabalho, contando ao The Daily Beast: “É o melhor emprego porque você não tem toda a pressão, você toca um set mais enxuto e ainda pode curtir o show”. Que cara tranquilo.

Børns

Børns, um dos artistas para ficar de olho no mês de Janeiro da SPIN, acabou de ganhar o cobiçado Empurrão Swift na cortesia de um tweet. Depois da interação dos dois nas redes sociais, Børns chegou ao topo da lista do artistas emergentes da Billboard com a sua música “Electric Love”, e o seu EP, Candy, está confortável na segunda posição da lista dos albuns “Heatseekers” (algo como “novatos”), também da Billboard. Não fique chocado se ver o novato, e antigo morador de uma casa na árvore, em uma aparição em um dos próximos shows da 1989 Tour nesse ano, e nas paradas pop um pouco depois.

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up