Por 6 meses Taylor Swift está se esforçando para se manter fora do radar, mas na segunda-feira (7), em Denver, a vencedora do Grammy estará de volta aos holofotes ao enfrentar o radialista David Mueller, que está sendo acusado de ter a assediado durante um meet & greet antes de um show durante a RED Tour, quando a cantora tinha apenas 23 anos de idade.

A People Magazine listou 5 coisas que são necessárias saber para estar por dentro do julgamento, que tem a previsão de durar 9 dias:

1. David Mueller processou Taylor Swift primeiro, dois anos depois do incidente.

Em setembro de 2015, o radialista entrou com um processo contra Swift alegando que havia perdido o emprego após a equipe de seguranças da cantora informar a rádio que David trabalhava que o mesmo havia a assediado colocando a mão por baixo de sua saia durante um meet & greet no dia 2 de julho de 2013. Ao se defender, o radialista acusou seu companheiro de trabalho, Eddie Haskell, de ter assediado a cantora.

2. Taylor Swift entrou com um contra-processo um mês depois.

Taylor respondeu o processo de David com um contra-processo. “A senhorita Swift sabe exatamente quem cometeu o assédio, foi David Mueller, e ela não está nem um pouco confusa sobre se foi ele ou seu colega de trabalho, o senhor Haskell, que cometeu tal ato”, dizia no contra-processo. Na papelada, Taylor alegou que David e sua namorada estavam participando do meet & greet quando o radialista “intencionalmente colocou sua mão por baixo de sua saia e apalpou suas partes íntimas contra sua vontade e sem sua permissão.”

3. Taylor está se posicionando para defender vítimas de assédio sexual.

Mesmo que exista uma questão a ser resolvida, Taylor entrou com um contra-processo para provar um ponto. “A resolução desse contra-processo irá demonstrar que David Muller, sozinho, perpetuou esse errado e humilhante comportamento contra Taylor, e servirá como um exemplo para outras mulheres que podem resistir a tornar público atos ultrajantes e humilhantes similares”, diz o contra-processo. Além disso, a popstar irá doar todo e qualquer dinheiro que ganhar desse processo para organizações de caridade dedicadas a proteger mulheres de atos de assédio sexual e desrespeito.

4. Taylor não será a única pessoa da sua família a testemunhar.

Andrea Swift, a mãe da cantora, está listada como uma das testemunhas do caso, além de outros no circulo social de Taylor que podem ser chamados para testemunhar, como o fotógrafo que capturou o momento do assédio, seu empresário e seu guarda-costas.

5. Conseguir um assento na corte poderá ser tão difícil quanto conseguir um ingresso para um dos cobiçados shows de Taylor.

Apenas 32 assentos são garantidos para o público, os mesmo serão concedidos de graça por ordem de chegada, de acordo com o TMZ. O julgamento também será transmitido em um circuito de tv fechado para 75 pessoas em um saguão do tribunal. Além disso, não será permitido entrar com dispositivos móveis ou câmeras na corte, fotos serão permitidas apenas do lado de fora do tribunal. Mesmo que o julgamento esteja previsto para durar 9 dias, até o dia 24, ele pode acabar antes ou se estender por mais tempo.

Fonte: People.com