24 de janeiro de 20 Autor: Maria Eloisa Barbosa
As 7 maiores revelações em Miss Americana

PARK CITY, Utah – Quando se trata de estrelas pop, Taylor Swift não é a mais acessível. Embora seus fãs gostem de ler todas as letras de suas músicas, ela na verdade nunca revela para quem é sua música. Ao contrário de Miley Cyrus ou Lady Gaga, sua presença nas mídias sociais é bastante recatada, principalmente reservada para fotos de seus gatos e material promocional.

Então, quando foi anunciado que Swift havia concordado em ser o assunto de um novo documentário da Netflix, mal podíamos esperar para ver quais detalhes sinceros ela revelaria -se revelasse- em “Miss Americana”, que entrará no catálogo da Netflix em 31 de janeiro. Fomos à estreia do filme no Sundance Film Festival na quinta-feira e anotamos todas as maiores revelações do documentário.

1- Ela lutou contra um transtorno alimentar

Na cidade de Nova York, a parte externa do apartamento de Swift – seu “jardim da frente” – como ela chama – é permanentemente cercada por paparazzis prontos para tirar fotos dela para vender a tablóides. Mas em “Miss Americana”, a cantora reconhece que não vai mais ver as imagens postadas diariamente online. “Costumo ser levada por algo – seja uma foto minha em que sinto que minha barriga parecia grande demais ou alguém dizendo que eu parecia grávida ou algo assim – e isso me levará a morrer de fome um pouco. Apenas parar de comer”.

Swift continua a revelar que ela lutou com um distúrbio alimentar durante anos, muitas vezes sentindo como se fosse desmaiar durante seus shows. Ela fazia uma lista de tudo o que colocava na boca todos os dias, se exercitava constantemente e chegou a um tamanho duplo zero. (Ela agora é do tamanho seis, ela diz.)

“Eu teria defendido isso para qualquer um que dissesse ‘estou preocupado com você’ “, diz ela. “Não acho que você saiba o que está fazendo quando faz gradualmente. Sempre há algum padrão de beleza que você não está encontrando. Porque se você é magro o suficiente, então não tem a bunda que todo mundo quer, mas se você tem peso suficiente para ter uma bunda, então o seu estômago não está liso o suficiente”, diz ela. “É tudo simplesmente [palavrão] impossível”.

Agora, sempre que ela tem vontade de julgar seu corpo com severidade, ela conversa consigo positivamente: “Não. Nós não fazemos mais isso. Não fazemos mais isso porque é melhor pensar que você parece gorda do que doente”.

2- Ela queria ter se manifestado contra Trump nas eleições de 2016

Depois de anos mantendo suas crenças políticas para si mesma por medo de perder sua base de fãs, Swift expressou seu apoio pela primeira vez a um candidato durante as eleições de 2018. O filme mostra ela ponderando se deve ou não se pronunciar contra a candidata republicana ao Senado, Marsha Blackburn, e as pessoas mais próximas preocupadas de que isso a colocará em perigo físico.

Durante uma discussão familiar intensa, seu pai destaca que artistas da velha guarda como Bing Crosby e Bob Hope nunca conversaram sobre política. Swift, com os olhos cheios de lágrimas, diz que está “triste” por não ter se oposto publicamente a Trump há dois anos. “Mas não posso mudar isso”, diz ela. “Eu tenho que fazer isso. Eu preciso que você, pai, me perdoe por fazer isso – porque eu estou fazendo isso”.

No momento em que ela está pressionando enviar em uma postagem do Instagram sobre Blackburn, sua equipe ainda está preocupada com o impacto. Seu publicitário adverte Swift que “o presidente pode vir atrás de você”. “[Dane-se] isso”, responde Swift. “Eu não ligo”.

3- Ela costumava viver sua vida para ser amada

Quando criança, diz Swift, ela mantinha pilhas de diários. Mas ela não as escreveu apenas com canetas de gel brilhantes. A certa altura, ela usou uma pena e tinta de latão.

E para que ela usou a ferramenta de escrita antiquada? Escrever sobre seu “código moral” – “a necessidade de ser considerada boa”.

“Foi tudo sobre o que escrevi. Era tudo o que eu queria ”, ela admite no filme. “Foi o sistema de crenças completo e total que assinei quando criança”.

Ela viveu por “tapinhas na cabeça”, diz ela – qualquer elogio por estar fazendo um bom trabalho em sua lição de casa ou em suas composições. Ela só encontrou satisfação por meio de aprovação externa e, posteriormente, tornou-se “a pessoa que todos queriam que eu fosse”.

É por isso que as críticas públicas – ela é irritante! Ela já teve tantos namorados! Ela é apenas amiga de modelos! – foram difíceis para ela superar.

“Quando as pessoas decidiram que eu era perversa, má, conivente, e não uma pessoa boa, foi quando eu não conseguia me recuperar”, diz ela, “porque toda a minha vida estava centrada em torno disso”.

4- Sua batalha no tribunal por causa do assédio sexual a mudou irrevogavelmente

Em 2015, o DJ do Colorado David Mueller processou Swift, alegando que ele perdeu o emprego na estação de rádio depois que a equipe de segurança dela o acusou de apalpar a cantora. Swift reagiu, alegando assédio e detalhando o toque inadequado. Ela ganhou e recebeu o valor que procurava: US $ 1 em danos. Mas o impacto emocional que o veredicto teve nela foi muito mais consequente.

“Eu era indescritível e imutavelmente diferente após o julgamento por assédio sexual”, diz Swift no filme. “Nenhum homem, organização ou minha família jamais entenderá como era isso.”

Apesar de ter vencido o caso, Swift disse que não sentia nenhum senso de vitória “porque o processo é muito desumanizante”. E na situação dela, ela tinha sete testemunhas e uma foto que confirmava sua alegação. “O que acontece quando você é estuprada e é a sua palavra contra a dele?”, ela pergunta.

5- Ela ficou atraída por Joe Alwyn por causa de seu “maravilhoso, normal e equilibrado tipo de vida”

Swift já namorou diversos homens famosos – Jake Gyllenhaal, Harry Styles, Tom Hiddleston – que também fizeram parte de sua música. Mas quando ela começou a namorar o ator Joe Alwyn, no final de 2016, ela gostou que ele tivesse mais um “tipo de vida maravilhoso, normal e equilibrado”. Sua energia a deixou à vontade durante um momento difícil em sua vida, ela disse, quando estava enfrentando uma reação alérgica a Kanye West. (Lembre-se da linha “Eu tornei essa cadela famosa” da música de 2016 “Famous”? Sim, era sobre ela.)

Alwyn mal aparece no documentário. A certa altura, ela beija a mão dele durante um passeio de carro. Ela também corre para os braços dele depois de um show, e o casal gentilmente passa os braços pelos ombros um do outro enquanto andam pelos bastidores.

6- Ela não experimentou um burrito até os 26 anos

Com quase 29 anos, Swift está no estúdio de gravação, refletindo sobre o que a idade significa. Ela admite que há uma parte dela que não está pronta para ter filhos – para “toda essa coisa adulta”. Mas, ela ressalta, que apenas provou um burrito pela primeira vez há dois anos. O que significa que Taylor Swift não comeu uma mistura maravilhosa de carne, queijo, feijão, arroz, guacamole e creme de leite até que ela aparentemente tivesse 26 anos. Processe isso.

7- Ela ainda não está pronta para ter crianças

Enquanto Swift cuida muito bem de seus filhos felinos – ela até alimenta um na mesa do jantar enquanto come ao lado do animal -, ela ainda não está pronta para seus próprios filhos. Aos 29 anos, diz ela, parte dela se sente “com 57 anos” – mas outra parte “definitivamente não está pronta para ter filhos”. Caso em questão? Ela se lembra de visitar um amigo que acabou de ter um bebê e ouvir como a agenda do recém-nascido consiste em dormir, comer e mudar. Resposta de Swift? “Então é como um Tamagotchi”, diz ela com um sorriso.

Matéria publicada pelo LA Times e traduzida pela Equipe TSBR.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up