Talvez de Taylor podemos aprender que há mais da vida que a reputação de alguém, há borboletas

A contagem regressiva finalmente chegou ao fim, sem mais teorias de conspiração e envios de mensagens a amigos freneticamente cada vez que uma das dicas é liberada. Taylor Swift lançou o clipe de seu single de estreia, ME! (em parceria com Brendon Urie), dirigido por Dave Meyers e Taylor. É o primeiro single de seu novo álbum, ainda sem título, que vai suceder o reputation, lançado em 2017.

Os tons alegres no video criam uma mensagem poderosa de individualidade, e possivelmente vão criar um delicioso medo e desconforto nos seres humanos frágeis que não podem lidar com a expressão tão intensa de feminilidade. 

A fanfic bizarra da internet entre Taylor Swift e Brendon Urie nos lembra nostalgia que muitos homens e mulheres queer sentiram ao crescer no MySpace e Livejournal energizados pela autoconfiança e fluidez de Brendon Urie, seja quando ele ele provocou seu público jovem beijando Ryan Ross em shows do Panic! At The Disco ou postando fotos com rímel. Mesmo com alguns tentando apagar esses momentos, ou esquecer o fato de que Taylor sempre deu voz aos deslocados – para aquele jovem, naquela cidade que viu muitas cores, e detalhes para seu próprio bem.

Humanos em 2019 podem se sentir cansados por nunca se sentirem “suficiente” quando são constantemente inundados por mensagens de pessoas que podem simplesmente deslizar pra esquerda para eles, ou talvez nosso crush não responder à nossa tentativa de chamar atenção que postamos no instagram story, ou a crise existencial de que não podemos ter tanto sucesso quanto a pessoa que nos encontramos odiando pela tela de nossos celulares na cama.

No nosso mundo competitivo com sentimentos exacerbados pelo instagram, ME! levanta a bandeira de que não devemos a ninguém explicações de por quê somos do jeito que somos. Há algo de atormentador sobre uma simples mensagem de autocuidado e a busca de nossa individualidade a ponto de despertar a confiança de que você é o único “você” que existirá. É quase 2020, por que não se ver como uma criatura mitológica única como dica para se admirar? É bom ter uma música sobre auto empoderamento grudada nas nossas mentes.

Mesmo que não tenhamos sido as cobras a princípio, as vezes nós ainda precisamos buscar nossa força de vontade superior para nos tornar as incríveis criaturas místicas que nascemos para ser. Talvez podemos aprender com Taylor que há mais da vida que a reputação de alguém, há borboletas. 

Você pode assistir o clipe de ME! abaixo

Fonte: V Magazine





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up