07 de agosto de 20 Autor: Maria Eloisa Barbosa
Tudo que sabemos sobre the lakes, faixa bônus do folklore

Quando Taylor Swift lançou de surpresa o seu oitavo álbum ‘folklore’, foi de uma perspectiva muito diferente de seus álbuns anteriores. Isso aconteceu principalmente pela nova sonoridade explorada por Taylor, deixando de lado o brilhante synth-pop dos álbuns recentes e entrando no indie-folk melancólico. Também houve novos colaboradores, com Aaron Dessner e Bon Iver do The National se juntando à família musical de Swift.

Outra grande diferença foi a forma como o “folklore” foi lançado. Swift fez como Beyoncé e o lançou de surpresa, sem vários singles acompanhados de videoclipes recheados de Easter Eggs que revelavam informações sobre o álbum. (De qualquer forma, há muito para ser decifrado no próprio disco).

Não seria um álbum de Swift sem alguma coisa escondida, e para ‘folklore’, isso vem na forma de ‘the lakes’. A faixa bônus atualmente não pode ser reproduzida digitalmente, está disponível apenas nas cópias físicas do álbum, com os fãs começando até petições para a música ser disponibilizada em serviços de streaming.

Alguns fãs sortudos do Reino Unido já tiveram contato com a música (já que a gravadora britânica de Swift disponibilizou as cópias físicas antecipadamente), mas a maioria ainda está esperando para ouvir a canção. Então, para aqueles que aguardam ansiosamente seu lançamento, aqui estão os detalhes sobre a faixa bônus “folklore”.

As datas são importantes

‘the lakes’ está disponível apenas nas cópias físicas do álbum, e os fãs foram rápidos ao perceber que receberão essas cópias (e estarão disponíveis nas lojas) no dia 7 de agosto. Essa data definitivamente não é apenas uma coincidência – em ‘folklore’ há uma faixa chamada ‘seven’ e uma chamada ‘august’ – dando a entender que Taylor estava planejando algo especial para esse dia. Afinal, Swift explicou que para esse álbum ela “colocou easter eggs nas letras e não apenas nos vídeos”.

Talvez algum novo lançamento esteja a caminho

Alguns fãs também estão especulando que no dia 7 de agosto haverá outro anúncio- seja Taylor colocando ‘the lakes’ em serviços de streaming, ou um videoclipe para a música e até mesmo um anúncio sobre seu relacionamento com o namorado Joe Alwyn (alguns acreditam que eles estejam noivos).

É outro exemplo do amor de Taylor pelo Reino Unido

Como T-Swiz nos disse em seu álbum ‘Lover’, ela adora um London Boy (garoto britânico também conhecido como Alwyn). E ela adora a capital! Ela gosta das “noites em Brixton” e “Shoreditch à tarde”, além de “chá da tarde, histórias da universidade e do West End”. E a lista inclui “passear no Camden Market à tarde”, o que é muito feito pela maioria dos londrinos.

Em ‘the lakes’, Swift fala sobre seu amor por outra região do Reino Unido, o Lake District. Como algumas cópias físicas já foram entregues, a letra está disponível online e mostra várias referências ao Lake District. De Windermere (“Aqueles picos de Windermere parecem um lugar perfeito para chorar”) aos poetas de Lake (“Leve-me aos lagos / Onde todos os poetas foram para morrer”). É uma referência a um grupo de poetas ingleses, como William Wordsworth, que viveram em Lake District . Certamente é sobre o belo patrimônio mundial britânico.

Parece que esse lugar é particularmente importante para Taylor, já que essa não é a primeira referência a Lakes no álbum. Em ‘invisible string’ ela canta “Corajosa foi a garçonete em nossa viagem de três anos / Almoçando nos lagos / Ela disse que eu parecia uma cantora americana”, indicando que esse poderia ser o lugar no qual ela passou seu aniversário de três anos com Alwyn.

Swift teve como inspiração os poetas de Lake

A letra de ‘the lakes’ é ainda mais romântica e poética do que as de outras faixas do ‘folklore’ (o que é incrível!). Parece que Taylor se inspirou em vários artistas ingleses. Ela até brinca com o nome de William Wordsworth, fazendo um jogo de palavras (“Me dizerem o quanto valem minhas palavras”, em inglês, words worth). Versos como “Enquanto eu me banho nas águas infinitas do penhasco / Com meu catastrófico amor e insuperável dor” e “Não é romântico como todas os meus poemas me elogiam? / Eu não fui atingida por todos esses clones cínicos / Esses caçadores com celular ” são maravilhosamente escritos e distantes de suas frequentes frases irônicas.

Quem são os “name-dropping sleaze” (os tão chamados imbecis)?

No segundo verso, Swift canta “O que já deveria ter acabado faz buracos na minha pele / Em levas de dor que param o coração / Eu vim de muito longe para assistir aos tão chamados imbecis / Me dizerem o quanto valem minhas palavras”. São palavras poderosas, mas fica a dúvida – quem são os imbecis? É uma pergunta curiosa e mais uma prova de que Taylor Swift sabe como ganhar a nossa atenção.

Matéria publicada pelo NME e traduzida pela Equipe TSBR.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up