TSBR Investiga: “Harry Styles”, Harry Styles
12/05/2017
TSBR Investiga: “Harry Styles”, Harry Styles
636298431725811545-MAIN-H-IMAGE-jjm-h-02-PC--Jamie-James-Medina

Enquanto a Taylor pode estar de férias, tem gente lançando música. E por gente, entenda Harry Styles. O álbum de estreia da carreira solo do ex-Directioner foi lançado hoje e nós já demos uma conferida. Isso porque nessa semana os rumores começaram a rolar de que certamente encontraríamos pelo menos uma música sobre a Taylor entre as 10. Mas… será que é só uma?

Resolvemos nos juntar, dar a nossa impressão e tentar chegar em um veredito se os boatos fazem sentido. Nossa análise será baseada apenas em OPINIÕES e IMPRESSÕES, partindo de um único pressuposto: quais músicas tem chances de ser sobre a Taylor?

Meet Me In The Hallway

Tem grandes chances que seja sobre a Taylor.

Principalmente pela temática ser sobre um casal que terminou, mas que ele sente falta do relacionamento e da outra pessoa. Vem sendo apontado por alguns fãs como o teor da música remete a um tipo de vício, o que é algo semelhante ao que Taylor admitiu que Clean se remetia no lançamento do 1989. É logo nessa música também que é levantado algo que é um tema recorrente no álbum: os problemas de comunicação.

“We don’t talk about it/It’s something we don’t do” (“Não falamos sobre isso/É algo que não fazemos”)

Sign of the Times

É o primeiro single que foi lançado no mês passado. O próprio Harry já disse que a música pode ser interpretada de diversas maneiras, inclusive relacionada com o momento político mundial ou com o momento do nascimento de um bebê, como se fosse a mensagem da mãe ao dar a luz. Tudo bem abstrato e um tanto quanto profundo, baseando-se nisso, não tem muitas chances de que seja sobre a Taylor.

No entanto, é impossível de ignorar uma tendência que Harry já mostrou ao compor outras músicas como “Perfect” e “I Love You” — e que *spoiler* veremos mais pra frente — que é de fazer referências bem óbvias a músicas que Taylor escreveu. Em Sign of the Times, o refrão menciona diversas vezes “We never learn, we’ve been here before/Why are we always running from the bullets” (“Nós nunca aprendemos, já estivemos nessa situação antes/Por que estamos sempre correndo das balas”) e, bem… não tem como não lembrar de I Know Places.

“Cause they got cages, they got boxes/And guns/They are the hunters, we’re the foxes/And we run” e, ainda, “They take their shots but we’re bulletproof”, e nós não podemos negar que um sementinha da dúvida foi plantada. Talvez? Sem falar que durante a música Harry enfatiza que “We gotta get away from here”, semelhante ao sugerido em Wildest Dreams com “He said, ‘Let’s get out of this town/Drive out of the city, away from the crowds'”. Talvez seja só uma coincidência, mas…

Ajuda, ainda, o fato que o problema de comunicação se faz presente aqui também: “We don’t talk enough/We should open up/Before it’s all too much” (“Não conversamos o suficiente/Deveríamos nos abrir/Antes que seja demais”)

Carolina

Definitivamente não. A música é literalmente o que a letra diz: sobre uma garota que se muda da “Carolina” (em referência aos estados da Carolina do Sul e Carolina do Norte) para Califórnia. Harry chegou a confessar que a letra da música possui ainda o nome da garota que a inspirou, o que já levou os fãs a encontrarem nas redes sociais.

Two Ghosts

Foi a que deu início às especulações e poderia, tranquilamente, ser a “Swift” do Harry. Ele usa e abusa das referências a Style, inclusive. “Same lips red, same eyes blue/Same white shirt, couple more tattoos/But it’s not you, it’s not me” (“Os mesmos lábios vermelhos, mesmos olhos azuis/A mesma camisa branca, algumas tatuagens a mais/Mas não é você, não sou eu”) ele canta já no primeiro verso, deixando claro que ele está falando de Taylor e dele mesmo.

Se não bastasse gostar de usar e abusar das referências às músicas da Taylor sobre ele mesmo, Harry abusa um pouquinho mais aqui e ainda faz menção à “The fridge light washes this room white” (“A luz da geladeira ilumina esse cômodo”), o que ninguém pode negar que faz lembrar automaticamente de All Too Well.

O problema de comunicação? Tá aqui de novo: “Tongue tied like we’ve never kown/Telling those stories that we already told/Cause we don’t say what we really need” (“Papas na língua como nunca tivemos/Contando histórias que já contamos/Porque não falamos sobre o que realmente precisamos”)

Caso alguém precise de alguma evidência de que Harry sente falta de Taylor, é só mostrar a letra dessa música. Ela fala sobre como as coisas mudaram entre eles e que não parecem mais os mesmos que um dia foram, enquanto ele tenta lembrar de como o seu coração bate. Nada demais.

Sweet Creature

Bem provável.

Aqui Harry fala sobre uma situação que está mudando, e ter uma conversa para saber onde estão errando. A maior referência de Sweet Creature, talvez, seja o reforço de “home”, um detalhe que Taylor também gosta de usar (de forma mais marcante com o “take me home” de Style). Primeiro, “We started, two hearts in one home” (“Começamos, dois corações e um lar”), depois, “Wherever I go/You will bring me home” (“Onde quer que eu vá/Você irá me trazer para casa”) e um pouco mais interessante? “When I run out of the road/You bring me home” (“Quando eu saio do caminho/Você me traz para casa”), afinal, como não se lembrar de “All I know is that you drove us off the road” de All You Had to Do Was Stay?

Aqui de novo temos Harry reclamando que a comunicação não funciona (nós avisamos que seria frequente): “I always think about you and how we don’t speak enough” (“Sempre penso em você e em como não conversamos o suficiente”).

No entanto, não vamos ser injustos. Existe uma outra interpretação bem fofa para essa música, que é a possibilidade de que seja sobre a sua irmã mais velha, Gemma.

Only Angel

É discutível.

Muitos acreditam ser sobre a mesma pessoa de “Meet Me in The Hallway” porque existe o trecho de “End up meeting in the hallway every single time” (“Acabamos nos encontrando pelo corredor todas as vezes”). No entanto, existem outros trechos que abrem mais a interpretação, principalmente por ser uma das músicas que faz referência mais direta a sexo com o trecho de “When it turns out she’s a devil between the sheets” (“Quando a verdade é que ela é o diabo nos lençóis”).

Kiwi

É a música mais sexual do álbum e certamente não é sobre Taylor. Não que qualquer um desses fatos estejam ligados, mas sim que as referências não indicam que possa ser minimamente sobre Taylor.

Ever Since New York

Talvez?

A música fala mais sobre o sentimento de estar vazio com a falta da pessoa. Mas o que é realmente marcante aqui, é a referência a New York. Não é como se Harry passasse muita parte do seu tempo na cidade e ajuda que no 1989 ela seja tão importante. Para Taylor, a história do 1989 começa em New York. Já Harry tem rezado desde New York.

Vale lembrar também que, em algum momento entre os últimos tempos, o rapaz comprou um apartamento no mesmo bairro que Taylor, no Tribecca, a 7 minutos de distância.

Woman

Parece que sim.

Logo no começo, há uma referência a “procurar comédias românticas no Netflix” (algo que Harry já confessou fazer constantemente) e não é difícil de fazer a conexão com Taylor, que nunca escondeu gostar o estilo. A música, em si, fala basicamente de ciúmes. Harry fala abertamente que é egoísta e não gosta de ver a “Woman” com outro cara e afirma que ele está ocupando o espaço em que Harry deveria estar. Se você não pensou que Taylor esteve em dois relacionamentos bem públicos depois do Harry, deve estar pensando agora.

Para que não ficasse a dúvida, ele ainda deixa a dica: “And promises are broken like a stitch is” (“E promessas são quebradas assim como um ponto”), afinal, ele é o cara dos “Twenty stitches in a hospital room”, certo?

From The Dining Table

Depois de tudo isso, depois do 1989… temos mais essa.

Harry disse que esta é a música mais honesta e vulnerável do álbum e é verdade. Ele narra um dia bem melancólico em sua vida, no qual fica bêbado ao meio dia e nunca se sentiu menos legal até então. O motivo: a falta de comunicação.

Ele e a pessoa que acreditamos que seja Taylor, não se falam desde o dia em que ela o deixou e o silêncio tem incomodado ele, que reclama que ela nunca toma a iniciativa de se desculpar, mas que até mesmo o celular dele já tá sentindo falta das ligações dela. E enquanto ele tá na maior bad, descobre através de um amigo em comum — que inclusive ganhou dela uma camiseta que antes era dele — que ela tá bem.

Harry ainda se lembra de ter acordado ao lado de uma menina parecida com ela, o que o fez quase a chamar por outro nome. (E nem mesmo aqui ele foi perdoado, e muitos levantaram que Harry já foi especulado de estar com algumas meninas que tem lá suas semelhanças com Taylor).

Pelo conjunto da obra, Taylor acaba ganhando mais essa.

Nós não estamos dizendo que o que está aqui seja a verdade, mas que decidimos juntar a especulação e trazer para que vocês possam decidir se isso faz sentido. Nos dê uma colher de chá com algumas informações e não leve nada muito a sério!

© 2009 - 2016 Taylor Swift Brasil - todos os direitos reservados. Desenvolvido por Marcelo Monteiro. online