Taylor Swift fez ontem o tão esperado show no Brasil, onde apenas alguns fãs tiveram a chance de vê-la de perto. Alguns desses fãs estavam acompanhados de seus pais que em entrevista ao site Jornal do Brasil, disseram que a cantora é “um bom exemplo e um ídolo recomendável”.

Taylor Swift tem rosto e comportamento de boneca de porcelana. Traços finos, voz delicada no dia-a-dia e forte em cima do palco, não abusa de decotes, transparências ou comprimentos míni, não é vista se jogando na noite ou em bons drinques e está namorando um Kennedy (Connor, neto do ex-presidente americano JFK – se cuida, Jackie O).

“Ela não se envolve com drogas ou álcool. É um bom exemplo para ao fãs que, assim como a minha filha de 15 anos, estão formando sua personalidade. É um bom ídolo e um bom exemplo”, disse Iara Amorim, de 40 anos, que não ia gostar nadinha se a sua filha curtisse uma cantora mais, digamos, ousada, como Rihanna, por exemplo.

A influência de Taylor Swift na vida de Alice Beatriz Barros, de 12 anos, vai muito além do que toca em seu iPod. A menina veio com o pai de Brasília ao Rio de Janeiro só para assistir à primeira apresentação de seu ídolo em terras brasileiras. Nas mãos trouxe dois cartazes de boas vindas repletos de borboletas coloridas coladas sobre a cartolina com carinho, o figurino escolhido para o grande dia era vermelho como o nome do novo CD da cantora e os cabelos, cacheados e cheios como os da musa há um tempo atrás.

“Comecei a gostar do meu cabelo por causa da Taylor, aprendi a tocar violão, teclado, piano e a fazer aulas de canto por causa dela. Passei a usar lentes de contato pensando em uma possível vinda dela ao Brasil, porque eu usava óculos e, como sou muito desastrada, tinha medo de ir ao show com eles e acabar me machucando”, contou a estudante, que sonha em poder cantar com a lourinha no palco algum dia. “Fiz uma promessa para mim mesma de que jamais abandonarei a Taylor, não importa o que ela faça. E ela nunca fez nada que me desapontasse. Até o meus pais acham que ela é um bom exemplo”, elogiava Alice, sob os olhares atentos do pai-coruja André Luís Barros, de 41 anos.

Pouca gente pôde ver, mas a mãe de Taylor Swift, Andrea, também acompanha cada passo, rebolada, jogada de cabelo e verso cantado pela filha. Durante a entrevista coletiva que rolou na tarde de quinta-feira, no hotel em que a cantora está hospedada, Andrea foi a primeira a entrar na sala e desejar ‘boa tarde’ aos jornalistas e, à noite, assim que o show começou, se uniu aos fãs no meio da pista para conferir a desenvoltura da lourinha no palco. Mãe-coruja e fãzoca da lourinha que criou.

 

Você e seus pais concordam com a matéria à cima? Porque nossa loirinha é e sempre foi um bom exemplo a ser seguido.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up