Escrito por Daniel em 15 de março de 2017

Taylor Swift NÃO lançará seu próprio serviço de streaming

No início da semana, o TMZ e mais uma porção de sites publicaram uma notícia sobre a possibilidade de Taylor Swift estar abrindo seu próprio negócio de streaming para concorrer com gigantes como Apple Music (o qual a própria Taylor é garota-propaganda) e Spotify. O boato surgiu por conta de um registro específico da marca “Swifties“, feito pela TAS Rights Management no meio do mês de fevereiro

Contudo, a Billboard foi atrás e levantou informações sobre o registro. Ao que tudo indica, não se trata de um serviço de streaming, mas sim de um aplicativo que servirá para conectar os fãs a todo o material de Taylor, incluindo vídeos, jogos e produtos oficiais. Confira:

TAYLOR SWIFT REGISTROU COMERCIALMENTE A MARCA “SWIFTIES”, MAS POR QUÊ?

Entre os dias de 15 e 16 de fevereiro, a companhia de direitos autorais de Taylor Swift, chamada TAS Rights Management LLC, registrou quatro diferentes usos da palavra “Swifties“, incluindo um que tratava sobre “um website com áudios não-disponibilizados para download e gravações vídeos”.

Então, Taylor está montando seu próprio negócio de streaming? Ainda não.

A história, primeiro noticiada pelo duvidoso TMZ, esclarece que Swift estaria montando seu próprio serviço, que competiria com Spotify e Apple Music. Na verdade, só se trata de achismo levando em consideração o passado confrontador — e a parceria — de Swift com o Apple Music, e o fato dela não disponibilizar suas músicas no Spotify. Contudo, uma fonte próxima revelou à Billboard que ela não está planejando lançar seu próprio serviço de streaming, e uma olhada mais apurada nos registros de marca revelam um ângulo mais provável tomado pela cantora.

Um registro, em particular, parece indicar para qual direção que Taylor estará levando a marca “Swifties“: software para aparelhos móveis, ou seja, aplicativo que poderá ser usado para escutar suas músicas, assistir seus videoclipes e performances, além de jogos para celular. Um outro registro cobre o uso da palavra para vídeos de seus shows, entrevistas, gravações de áudio, artigos e blogs, em adição à “serviços de fã-clube” e “organização e realização de concursos e sorteios”.

A maioria das marcas comerciais dizem respeito a serviços e produtos de merchandise, incluindo instrumentos musicais (violões, palhetas, baquetas), bijuterias a acessórios (incluindo bolsas, mochilas, cases para celular e óculos de sol), roupas femininas e masculinas e todos os tipos de cadernos e materiais escolares que contenham o nome “Swifties”. Um também especifica um serviço de varejo on-line, o que sugere que Swift e sua equipe talvez estejam pensando em um e-commerce com a marca.

É esta a principal aposta: um aplicativo personalizado e completo para seu fã-clube com merchandise, áudio, videoclipes e apresentações, e possivelmente algum game para dispositivos móveis para os fãs de Swift. Isto parece muito mais evidente do que a possibilidade de Swift pensar em abrir seu próprio negócio de streaming. Um representante de Swift se recusou a comentar a notícia para a Billboard.

O que Swift está guardando para seus fãs? É completamente desconhecido, mas com tantos registros, eles certamente terão muito material com a palavra “Swifties”.

Fonte.