A revista Rolling Stone pediu que Taylor listasse as músicas mais importantes da sua vida, aquelas que a influenciaram. O pedido faz parte de um especial da revista que explora o DNA musical dos artistas.

A lista de Taylor se revelou ser bem eclética, contendo representantes do country, indie, hip-hop e rock. Confira:

1. “You’re So Vain”, Carly Simon, 1972

Foi a música escutada no mundo inteiro e que deixou as pessoas se perguntando e debatendo: “Sobre qual ex-namorado famoso que ela escreveu?” Eu senti as ondas dessa grande curiosidade do público afetarem minhas letras. Eu era uma adolescente obcecada por poesia quando ouvi pela primeira vez essa tirada genial: “Você é tão vaidoso, você provavelmente pensa que essa música é sobre você”. Depois de escutar isso, foi como se uma chave tivesse aberto uma área secreta de como contar histórias para mim. Você pode dizer exatamente como se sente, mesmo que seja de forma amarga e descarada! Quase 10 anos depois, eu estava sentada em meu camarim em Boston. Carly Simon tinha acabado de cantar “You’re So Vain” comigo na frente de 65 mil fãs. Ela se aproximou e sussurrou para mim sobre quem ela tinha escrito a música — eu, a única pessoa que não tinha a perguntado.

2. “This Kiss”, Faith Hill, 1998

Eu cantei esta canção na audição do coral na quarta série. Eu acho que ela mudou a maneira com que eu via a música country e a música de forma geral. Todo mundo adorava “This Kiss”, não só os fãs de country. Os fãs de pop e rock adoravam também. Acho que você pode dizer que o tema dela me influenciou.

3. “Lego House”, Ed Sheeran, 2011

Eu fiquei tão intrigada com esta música que eu entrei em contato com o Ed para compor para o meu álbum Red. Eu amei a cadência que vem antes do refrão, “And it’s dark in a cold December, but I got you to keep me waa-arm”. Nós compomos em um hotel em Phoenix, comemos hamburger do In-N-Out e essencialmente nos tornamos um acessório permanente na vida um do outro.

4. “Blood Bank”, Bon Iver, 2009

Acho que essa é uma das músicas de amor mais bonitas que eu já escutei, pelas letras em forma de conversa. É tão detalhado, mas de maneira esporádica — assim como uma memória. Meus versos favoritos: “That secret that we know, that we don’t know how to tell/I’m in love with your honor/I’m in love with your cheeks.”

5. “The Middle,” Jimmy Eat World, 2001

Lembro de ouvir essa no ônibus indo pra escola. Foi confortante, porque eu realmente nunca me encaixei perfeitamente em nenhum grupo na escola. Gostaria que toda criança que esteja passando por esses mesmos sentimentos de solidão pudessem ouvir como Jim Adkins canta, “Don’t you worry that they tell themselves when you’re away.”

6. “Hands Down,” Dashboard Confessional, 2003

Minha experiência na escola foi marcada por memórias de festas em casa cantando “Hands Down” e dirigindo com minha melhor amiga gritando as letras dessa [música]. É o melhor relato de um primeiro encontro inesquecível que eu já ouvi.

7. “Backseat Freestyle,” Kendrick Lamar, 2012

No ano passado me mudei pra Nova York, e pela primeira vez, eu estava lidando com dezenas de paparazzi do lado de fora do meu prédio todos os dias. De início, eu ficava muito aflita cada vez que estava prestes abrir a porta do carro. Eles me cercavam e gritavam. Então um dia coloquei meu iPhone no aleatório, e “Backseat Freestyle” tocou. Algo sobre a voz do Kendrick e a batida me fizeram sentir segura. Foi praticamente tudo o que eu ouvi naquele verão.

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up