A revista Fortune elegeu os 50 maiores líderes mundiais de 2015, entre esses presidentes, líderes religiosos, ativistas e magnatas do mundo dos negócios.

Taylor Swift foi eleita a maior e mais poderosa mulher da lista, aparecendo em 6º lugar geral.

Taylor Swift não se tornou a mulher mais bem paga da indústria musical por acidente. A salvadora do pop bateu de frente com o Spotify, abraçou o patrocínio corporativo, e se garantiu dezenas de trademarks (incluindo frases como “This sick beat”) – ela se mostrou mais perspicaz em aperfeiçoar uma marca na era das mídias digitais do que praticamente qualquer outra pessoa ou empresa. E ela fez isso sem recorrer a qualquer método apelativo (Swift, é indiscutivelmente o anti-Miley Cyrus). Com o 1989, o álbum mais vendido de 2014, os esforços de Swift para garantir que ela fosse paga por sua música podem acabar tendo um enorme efeito sobre a maneira como os artistas são compensados em uma era de streaming gratuito.

Além disso, Taylor é a única artista a figurar no ranking. Para conferir a lista completa clique aqui.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up