Taylor fala sobre ‘The Man’ e ‘It’s Nice To Have a Friend’ em partes inéditas da entrevista de capa


Durante sua entrevista de Mulher da Década, Swift se aprofundou em dois destaques de ‘Lover’ 

Na sua entrevista de capa para a edição da Billboard de Mulheres na Música, Taylor Swift discutiu vários aspectos do seu sétimo álbum de estúdio mega vendido chamado ‘Lover’, incluindo a sua criação após um período de recalibração, as performances mais despojadas de músicas e seus planos de mostrar tudo ao vivo com seus shows da Lover Fest no próximo ano.  Em dois momentos da conversa que foram cortados da matéria impressa, a Mulher da Década da Billboard também abordou dois dos destaques do álbum, que são parte das músicas mais interessantes em sua discografia: “The Man” e “It’s Nice to Have a Friend”.

“The Man” imagina como a experiência de Swift como pessoa, artista e figura na indústria da música teria sido diferente se ela fosse homem, destacando o quanto as mulheres precisam trabalhar mais para ter sucesso (“Estou cansada de correr o mais rápido que posso / me perguntando se chegaria mais rápido se fosse homem ”, ela canta no refrão).  A música se tornou a favorita dos fãs desde o lançamento de Lover, e Swift abriu recentemente um medley de carreira com a música no American Music Awards de 2019.

Quando perguntada sobre “The Man”, Swift apontou a diferença de critérios que existem na vida cotidiana entre homens e mulheres e explicou por que ela queria transformar essa frustração em um single pop. Leia os pensamentos de Swift sobre “The Man” abaixo:

“Foi uma música que escrevi da minha experiência pessoal, mas também de experiência geral que ouvi de mulheres em todas as partes da nossa indústria.  E eu acho que, quanto mais falarmos sobre isso em uma música como essa, melhor estaremos em uma posição de denunciar quando estiver acontecendo. Muitas dessas coisas estão arraigadas até nas mulheres, nessas percepções, e é realmente sobre treinar seu próprio cérebro para ser menos crítico com as mulheres quando não estamos criticando os homens pelas mesmas coisas. Tantas coisas que os homens fazem são aceitas enquanto para nós, fazer o mesmo é inaceitável . Temos que realmente – Deus, temos que curar e cuidar de tudo, mas temos que fazer com que pareça acidental. Porque se cometermos um erro, a culpa é nossa, mas se fizermos uma estratégia para não cometer um erro, somos calculistas”.

“Há um pouco de se correr o bicho pega e se ficar o bicho come na música, e é por isso que quando eu posso, tipo, sentar e conversar e ficar tipo ‘Sim, isso é uma merda para mim também “, isso é bom.  Quando fico on-line e ouço as histórias das minhas fãs falando sobre sua experiência no mundo do trabalho ou até na escola – quanto mais falamos sobre isso, melhor estaremos. E eu queria torná-la (a música) grudenta por uma razão – para que ficasse preso na cabeça das pessoas, [para] que eles terminassem com uma música sobre a desigualdade de gênero presa na cabeça.  E para mim, esse é um bom dia”.

Enquanto isso, a penúltima música de Lover, “It’s Nice to Have a Friend”, soa diferente de tudo que Swift já fez, graças à sua estrutura elíptica, ao tom de canção de ninar e à incorporação de tambores de aço e latão. Quando perguntada sobre a música, Swift falou sobre experimentar em suas composições, assim como capturar um ângulo diferente dos temas emocionais no coração de Lover.

Leia os pensamentos completos de Swift sobre “It’s Nice to Have a Friend” abaixo:

“Foi divertido escrever uma música que era apenas versos, porque todo o meu corpo e alma querem fazer um refrão – toda vez que me sento para escrever uma música, penso: ‘Ok, refrão, vamos ao refrão’. Mas com essa música, era mais como um poema, uma história, uma vibe e um sentimento de … eu amo metáforas que meio que têm mais de um significado, e acho que amei a ideia de que, em um álbum chamado Lover, todos queremos amor, todos queremos encontrar alguém para ver nossas visões e ouvir coisas e experimentar coisas.

Mas no final do dia, procurávamos isso desde que éramos crianças! Quando você tinha um amigo quando tinha nove anos, e era sobre isso que você falava, e você queria ter uma festa do pijama e você queria andar pela rua juntos e sentar lá desenhando juntos ou ficar em silêncio juntos ou conversar a noite toda. Estamos apenas procurando por isso, mas as faíscas não têm fim, quando adultos”.

Matéria publicada pela Billboard e traduzida pela Equipe TSBR.


Tags

Comentários