Taylor Swift está mantendo as coisas “alternativas”. Na quinta-feira de manhã, uma infinidade de lojas de discos independentes em todo os Estados Unidos foram às redes sociais para compartilhar que CDs autografados de Folklore “simplesmente apareceram” – como a Reckless Records de Chicago disse – na porta.

Os fãs ficaram sabendo que o estoque era limitado a um por cliente e que a situação era por ordem de chegada. Reservas e pedidos por telefone não eram permitidos. De acordo com um representante da Newbury Comics, um representante da UMG entrou em contato com a loja sobre o plano no início desta semana. “A reação dos fãs foi uma loucura”, disse o representante de Newbury à Rolling Stone. E isso não é um exagero, considerando que muitos lugares tiveram seus estoques esgotados quase que instantaneamente.

Um representante da Bull Moose, que tem escritórios no Maine e New Hampshire, disse à Rolling Stone que um dos representantes de vendas do Universal Music Group ofereceu a sua equipe a possibilidade de entrar em uma “venda promocional de CDs autografados por uma grande artista” na noite de terça-feira noite. “Eu disse ‘Claro, parece divertido. Quem é a artista?’ e ele disse Taylor Swift ”, explica o representante da Bull Moose. “E eu fiquei muito chocado. A ideia, pelo que eu entendi, era fazer parceria com o Record Store Day para criar algo super legal para as lojas independentes venderem e conseguirem algum movimento para ajudar as pessoas afetadas pela pandemia.

A falta de aviso incitou “confusão, frete noturno e muita comunicação online”, de acordo com um representante da Zia Records, que tem escritórios no Arizona e Nevada. “Mas Folklore é um daqueles títulos que atrai a base de fãs hardcore de Swift e também os fãs de indie por meio de Bon Iver e conexões nacionais”, disse ele à Rolling Stone. “Sabíamos que valeria a pena”.

O plano não apenas reuniu fãs de pop, country e indie, mas também fez os jovens saírem do mundo real. “[Todos os membros envolvidos da Alliance of Independent Media Stores] estavam com nossas lojas cheias de jovens quando abrimos, a maioria dos quais nunca tinha estado em uma loja daquelas antes,vendo como é legal e extasiados por conseguir um CD autografado”, diz um representante do favorito Grimey’s de Nashville – que é um dos membros fundadores do AIMS. “Foi uma promoção incrível. e a maneira certa de fazer isso! ” (Swift já ajudou a Grimey no início da pandemia com salários dos funcionários por três meses e fornecendo-lhes plano de saúde).

“No fim, recebemos cópias em 9 de nossas lojas”, diz o representante da Bull Moose. “E levou mais ou menos duas horas depois de eu twittar às 11h10 desta manhã para vender completamente.Os telefones não pararam de tocar em todas as lojas. As pessoas fizeram viagens para tentar conseguir um. Foi um grande evento! Honestamente, eu esperava que fosse grande, mas foi maior do que eu esperava!”

“Obviamente, o nível de empolgação era muito alto”, disse um representante da Reckless à Rolling Stone. “Postamos que tínhamos os CDs em nosso Instagram e eles sumiram em cerca de uma hora. Duas de nossas localidades receberam cópias. Todo mundo foi muito legal sobre isso, e foi bom ver as pessoas animadas com qualquer coisa agora, sinceramente”.

Quando a Rolling Stone perguntou a Reckless sobre a divisão dos lucros – e se a loja comprou ou não os CDs, ou se eles receberam- o representante respondeu simplesmente: “Nós os vendemos como CDs normais, então conseguimos ganhar dinheiro”.

Embora a alegria seja um tesouro durante a monotonia que é a quarentena, alguns temiam o risco de espalhar a Covid-19. “Essa foi definitivamente uma preocupação nossa, mas todo mundo apareceu de forma bastante esporádica”, diz o representante da Reckless. “Nunca houve nenhuma fila ou algo do tipo. O maior número de pessoas que entrou de uma vez foi uma família de quatro pessoas”. O representante do Grimey também confirmou que sua loja com capacidade para 20 pessoas não lotou. Havia uma fila, mas os vendedores dizem que não precisaram policiá-la, graças ao distanciamento social e às máscaras.

Alguns outros destinatários dos CDs incluem Portland, Oregon’s Music Millennium, Cincinnati, Ohio’s Shake It Records, Kansas City, Missouri’s Mills Records, Lexington, Kentucky’s CD Central, Brooklyn’s Rough Trade, Long Island’s Looney Tunes, Dayton, Ohio’s Omega Music, St. Louis, Vinil Vintage do Missouri e Zia Records do Arizona.

Cerca de um mês atrás, Swift abandonou o lançamento de álbum que estamos acostumados para lançar seu novo álbum. Com o Folklore, não houve singles antes do lançamento, nem videoclipes, promoção de rádio ou anúncios físicos. Ela lançou o projeto, recheado de prosa poética e produção etérea, na íntegra e de surpresa.

No passado, Swift fez parceria com grandes empresas de varejo como a Target, fornecendo às empresas versões de luxo que apresentavam arte variada em um esforço para encorajar os fãs a colecionar todas. Mas dessa vez, ela anunciou no mês passado que todos os produtos físicos e mercadorias estariam disponíveis exclusivamente em seu próprio site – até agora.

Quando a Rolling Stone perguntou se Swift estava planejando enviar esses itens apenas para lojas de menor escala, em vez de eventualmente fornecer produtos para Target e Walmart, um porta-voz do Universal Music Group se recusou a comentar.

Matéria publicada pela Rolling Stone e traduzida pela Equipe TSBR.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up