18 de maio de 15 Autor: Aline
Taylor encabeça a “The Hot List” da Maxim

A revista Maxim, famosa por colocar mulheres bonitas e sexys em suas páginas, anualmente elabora uma lista com as mulheres que, além de seus atributos físicos avantajados, também estão se destacando na mídia. Para o ano de 2015, Taylor Swift ocupa a primeiríssima posição e conversou com eles sobre a carreira e suas visões de mundo:

Taylor Swift está na primeira posição da The Hot List da Maxim

Maravilhosa, segura de si e ferozmente talentosa, Taylor Swift é a mulher mais relevante e intrigante do mundo. Agora, o que ela irá fazer na hora do bis?

Taylor Swift é a tradicional história de sucesso americana: Armada com um pouco mais de um violão, ambição pra caramba e um inegável dom de criar uma proliferação de músicas de pop perfeitas, Swift passou uma década planejando a execução de sua perfeita ascensão daquela fazenda de pinheiros de Natal na Pennsylvania para as capas de revistas como esta aqui. (E são tantas revistas…) Os últimos 12 meses marcaram o melhor ano da vida de Swift, ela diz: Ela se tornou a embaixadora do turismo para a cidade que adotou como terra natal, New York, satirizou de forma divertida as percepções que as revistas de fofoca tinham dela e se separou de suas raízes no country para lançar o seu primeiro álbum pop, ganhando o prêmio de Mulher do Ano da revista Billboard pela segunda vez e assumindo o seu papel legítimo entre o pequeno círculo de superestrelas internacionais. Swift quebra recordes de vendas de álbum como outras estrelas do pop quebram corações, ao mesmo tempo que, de alguma forma, mantém um charme inocente que a fez tão adorável no começo. Ela também se preocupa muito se você a considera, ou não, atraente, o que — com certeza — só a torna ainda mais atraente. Conversamos com Swift, no dia em que ela terminava os ensaios para a 1989 Tour, sobre a vida na estrada, feminismo e o como é ser nomeada pela Maxim como a mulher mais talentosa do mundo.

Como é estar na primeira posição?

É muito bom e um elogio incrível. Este ano foi o favorito de minha vida até aqui. Eu pude fazer um álbum exatamente como eu quis fazer ele. Eu pude lançá-lo exatamente como eu sonhei em lançá-lo. Todos os tipos de caprichos e ideias foram concretizados. Os vídeos — e eu me orgulho deles, me orgulho da turnê, me orgulho da maneira com que tudo isso aconteceu. No meio de tudo isso, isso aqui é bem legal. Se parece como uma forma maravilhosa de celebrar o meu ano preferido.

Você está se preparando para entrar em turnê com o “1989”. O que você está preparando?

Estamos ensaiando há meses, tentando fazer com que os instrumentais ao vivo das músicas fiquem o mais próximo possível de como soa no álbum. Também estamos medindo as coisas, criando misturas com as coisas. Foi divertido brincar um pouco e deixar tudo sonoramente certo antes de irmos para o palco de verdade e começar a fazer a coreografia. Mas antes de tudo isso — provavelmente há um ano — começamos a montar o palco, foi quando os desenhos começaram. Agora tudo que temos que fazer… é fazer a turnê.

Com tudo isso, como você tem tempo para todas suas amizades? Parece que todo mundo é seu melhor amigo. Posso ser seu melhor amigo?

Felizmente, com 10 anos de carreira, eu aprendi a trabalhar de uma forma mais inteligente. Você tem que ter tempo para respirar e viver uma vida feliz, e as amizades são muito importantes para mim. Felizmente — e graças aos fãs — agora podemos tocar em estádios, então fazemos shows em dois ou três estádios por semana. Eu verei meus amigos em qualquer cidade que estiver mais perto.

Você está mais vocal sobre o feminismo ultimamente. O que mudou?

Honestamente, eu não tinha uma definição certa sobre o feminismo quando era mais nova. Eu não via todas as maneiras com que o feminismo é vital ao crescer no mundo em que vivemos. Acho que quando eu dizia: “Oh, o feminismo não é a minha praia”, era porque quando eu era só uma garota, eu não era tão ameaçadora. Eu não me vi sendo censurada até que eu fosse uma mulher. Ou, então, os dois pesos e as duas medidas nas manchetes, na forma com que as histórias são contadas e na maneira com que as coisas são percebidas. Um homem escrever sobre os seus sentimentos de uma maneira vulnerável é corajoso. Uma mulher que escreve sobre seus sentimentos de forma vulnerável está contando demais ou reclamando. A misoginia é impregnada nas pessoas desde quando elas nascem. Então, para mim, o feminismo é provavelmente o movimento mais importante que você poderia abraçar, porque é basicamente uma outra palavra para igualdade.

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up