27 de dezembro de 12 Autor: Erika Barros
Scans + tradução: Taylor Swift na Rolling Stone de Dezembro


A revista americana Rolling Stone traz, em sua edição de Dezembro, duas matérias sobre Taylor Swift. Confira-as traduzidas abaixo, e os scans em nossa galeria:

A rainha do pop country cresce, domina os charts, parte os corações
Ela trocou os cachos para olhar para baixo como uma criança pop-punk embaraçada. Ela se tornou mais oportunista e desagradável em suas letras. Ela lançou um single esmagador com um título que poderia ser um tweet impulsivo: “We Are Never Ever Getting Back Together”. Resumindo, 2012 foi o ano em que Taylor Swift se tornou uma completa pop star. Vivendo com ousadia como se sua vida pública fosse seu próprio reality show, Swift saiu com um jovem Kennedy e usou seus antigos relacionamentos como geradores de músicas. “Há chances, se eles forem escritos de uma forma que não gostaram, de que tenham me ferido pra valer”, ela contou a Rolling Stone. “Eu não acho que seja mal.” Nashville pode coçar a cabeça, mas os fãs, como sempre, conseguiram: na semana de lançamento, o disco Red vendeu 1,2 milhão de cópias, mais do que qualquer álbum da década.

Taylor Swift esmigalha o SoundScan
Qualquer um que goste de cds pop grandes e ambiciosos tem que estar bastante animado para a expectativa em cima do quarto álbum de Taylor Swift, Red. Ela com certeza estava: “Esse é meu último dia de vida antes de #RED”, a estrela de Nashville twitou pouco antes do lançamento em 22 de outubro. Taylor não desapontou Taylor. Red vendeu o impensável 1 milhão e 200 cópias na sua primeira semana, mais do que qualquer álbum desde o The Eminem Show de 2002. Os números altos fazem sentido para um CD que é quase parecido com um de Michael Jackson na capacidade de juntar dubstep, hinos de arena dos anos 80, músicas para os charts, rock lastimador e se aprofundando ainda mais no country-pop da Swift. Red também expande o carro chefe de seus temas de composição – romance e corações quebrados – para um território mais adulto e novo, com estrofes de risco como, “Eu farei qualquer coisa que disser se você disser com suas mãos”. O que emerge é o tipo de sucesso que não vemos há anos, e talvez nunca veremos novamente, pelo menos até o próximo trabalho de Taylor Swift.

Tradução e Adaptação: Daniel Dami e Eduardo Kurylo – Equipe Taylor Swift Brasil & Portal Swift

001.jpg 002.jpg 001.jpg 002.jpg 001.jpg





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up