04 de dezembro de 19 Autor: Maria Eloisa Barbosa
O documentário de Swift tem autorização total da Big Machine

Com o documentário da Taylor Swift na Netflix “Miss Americana” sendo lançado como a abertura do Sundance Film Festival em janeiro de 2020, chega a notícia de que todo o seu material mais antigo foi liberado para uso no filme.

O documentário foi um ponto importante no mais recente surto público sobre a aquisição da Big Machine Label Group por Scooter Braun e, com ele, os direitos dos seis primeiros álbuns de Swift: ela alegou que a Big Machine a impedia de usar músicas desse catálogo no documentário.

Mas, de acordo com uma fonte, as “músicas de Swift foram inocentadas” e as autorizações foram concedidas dentro de 24 horas após o pedido dela. Isso não quer dizer que tenha havido comunicação direta entre a artista e o empresário. Uma fonte diz que, depois que a mídia social de Braun pediu para sentar e conversar – e após ameaças à família depois do post de Swift no Tumblr intitulado “Não sei o que fazer” – “ela se recusa a conversar”.

Matéria original adaptada da revista Variety.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up