Recentemente Taylor Swift foi capa da revista USA Weekend, como postamos aqui, e ela concedeu uma entrevista inédita respondendo a perguntas feitas por fãs, qual você pode ler completa traduzida abaixo:

Em uma sala de ensaio perto do centro de Nashville, Taylor Swift está trabalhando em canções para a sua turnê de verão. Vestida em um ocasional vestido de verão azul e seu cabelo em uma trança única que fica abaixo dos ombros, tocando um violão incrustado de cristal enquanto canta uma valsa triste, depois muda para um banjo enquanto sua banda começa a tocar o seu último single, Mean.

Hoje com 21 anos e vivendo sozinha desde que ela mudou da cada de seus pais, em junho do ano passado, Swift chama seu apartamento no centro de Nashville “um país das maravilhas” pisos de madeira, paredes de tijolo e a decoração da cozinha que não coincide.

Esta semana, Swift terá, em Columbus, Ohio, a primeira etapa de uma turnê de seis meses pela América do Norte, o que a levará a 30 estados e ao Canadá. E na quarta-feira, a estrela do country está concorrendo a três prêmios no CMT Music Awards. (ela já ganhou)

Antes dela pegar a estrada novamente, nós perguntamos a sensação do country, se ela poderia responder algumas milhares de perguntas de nossos leitores on-line da USA WEEKEND.

Isto é o que ele nos disse:

Agora que você passou a viver sozinha, o que você sente mais falta de quando estava com sua mãe? – Ashleigh Soden, Sydney
Não senti muito sobre isso, honestamente! Ainda nos vemos o tempo todo.

Alguma vez você já se arrependeu de não ir para a faculdade? – Elsilyn Zeider, Plymouth, Indiana
Não. Para manter a perspectiva e não ser a menina que quer uma coisa só vida inteira, em seguida recebe e reclama, estou bem com o caminho que eu escolhi.

Quando você escreve canções sobre os seus relacionamentos com as pessoas, você considera como eles irão reagir? – Amber Nichter, Crestwood, Kentucky
A única coisa que eu estou pensando é na pessoa que eu estou escrevendo. É uma pequena mensagem em uma garrafa. Às vezes, o propósito de escrever, em primeiro lugar é o que a pessoa vai fazer quando você ouvi-lo. O fato é que outras pessoas entram na equação, que vai de 50 passos para abaixo da linha.

Você acredita em amor à primeira vista? – Gabby Leigh, Rye Brook, Nova Iorque
Sim, por alguma razão, quando você está com a pessoa, você prefere estar mais perto dela do que longe. Quer saber tudo sobre ela. Que química louca, imensurável, intangível, mágico, acontece com determinadas pessoas. Quando você tem isso, você tem que saber o quão raro ele é. Se você deixá-lo ir, é uma vergonha.

Descreva o seu dia perfeito. – Tim Olund, Minneapolis.
Não tem nada a ver com a nomeação. É tudo sobre com quem você está em uma data.

Porque você acha que as pessoas continuam te tratando mal, se elas sabem que, em seguida, você irá escrever uma canção sobre isso? – Taylor Negron, Branford, Connecticut.
Esta é uma excelente pergunta!

Suas músicas têm permitido ao mundo acesso a sua vida privada. Existe algo que você não escreveria? – Rebecca Malone, Wilmington, Del.
Se algo tem me afetado profundamente, eu vou escrever sobre isso. Eu não costumo usar um filtro.
Eu escrevi canções que eram apenas raiva. Eu não costumo jogar elas para ninguém, mas é legal escrevê-las e rimar o nome dessa pessoa, literalmente, com cada coisa horrível que você pode imaginar.

E a sua carreira musical, quando você finalmente encontrar o cara dos seus sonhos? – Milena Bozovic, Wood-Ridge, NJ
Bem, até agora não houve nenhum problema, então eu vou tentar e ver como acontece.

Eu sou uma compositora de início de faculdade. A música é minha vida, mas estou indecisa entre realizá-la ou encontrar um objetivo mais realista. – Sarah Stawski, Pittsburgh
Se você gosta mais do que qualquer outra coisa em sua vida, esse é o caminho que deve seguir. Ao mesmo tempo, nada diz que você não pode ter dois caminhos. Depende apenas de quanto trabalho você quer ter.

Você sofreu bullying na escola e escreveu canções para ajudar a lidar com isso. Que conselho você pode dar aos jovens que estão lidando com o assédio moral? – Hillary Henderson, Hillsboro, Oregon.
As pessoas mais talentosas que eu conheço e algumas das pessoas mais fascinantes que conheci foram as crianças que estão fora de moda em suas escolas. Os ensaios e atribulações em sua vida te torna mais forte. Se eu tivesse as meninas em minha frente agora, que se levantaram e deixaram a mesa do almoço quando me sentei na quarta, quinta ou sexta série – fizeram isso um milhão de vezes – lhes daria um abraço. A maior lição de todas é que eu nunca quero fazer alguém se sentir assim.

O que você faz quando você se sente oprimida e quer ficar sozinha? – Grace Dougherty, Seattle
Eu sento no meu sofá debaixo de um cobertor gigante e assisto Friends. Meu conjunto de 10 DVDs me fez sentir em casa em lugares que nunca tinha ido antes. Do outro lado do mundo, eu coloco Friends, e de repente eu estou mais em casa.

Você sente falta de sair em público sem que você esteja cercada por fãs? – Jill Page, University Place, Washington.
Eu posso totalmente sair em público. É uma experiência muito mais social, mas é muito bom. Não quero tornar-me uma estranha na minha vida privada ou a olhar para as coisas de uma perspectiva pouco saudável ​​como as pessoas vindo e cumprimentando-me por minha música, é uma coisa ruim. E eu faço um monte de novos amigos. Eu ando em volta do meu bairro e em toda a Universidade de Vanderbilt, e conheci grandes pessoas.

Qual a sensação de estar vivendo o seu sonho? É tudo como você esperava que seria? – Brittney Hedrick Rd Bonita, na Califórnia.
É estranho dizer que sim, isso é tudo que você queria? Eu tenho paz de espírito sabendo que se eu escrever alguma coisa e eu adoro isso, outras pessoas vão ouvi-la algum dia. Nem sempre soube disso. Eu costumava terminar de escrever uma música quando eu tinha 12, 13, 14 e 15 e penso comigo mesmo: “Bem, ninguém vai ouvir”. Era um pensamento triste.

Créditos: Blog O Mundo é Teen





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up