Le Parisien: “A rainha Taylor Swift está conquistando a França”


Além da entrevista (que já publicamos traduzida aqui), o Le Parisien também publicou uma pequena matéria sobre a visita de Taylor à França. Leia:


A rainha Taylor Swift está conquistando a França

A cantora americana fez uma apresentação memorável no The Voice na noite de sábado. Uma passagem obrigatória para ela que quer conquistar o público francês.

São 14h45 de um sábado e uma centena de fãs gritam na frente dos estúdios parisienses da NRJ com a chegada de Taylor Swift. A cantora veio gravar o programa de Cauet que será exibido na segunda-feira. Antes de encontrar os cinquenta privilegiados que irão assistir à gravação, a estrela americana aproveita para tirar selfies e dar autógrafos à multidão que aguarda há horas.

Nos Estados Unidos, isso seria impossível. Do outro lado do Atlântico, Taylor Swift é um ícone, a popstar número um. Aos 29 anos, ela acumula recordes, aproximadamente 50 milhões de álbuns vendidos, 481 prêmios — dos quais 10 são Grammys —, 118 milhões de seguidores no Instagram, 83 milhões no Twitter e 71 milhões no Facebook, 2,7 bilhões de visualizações de seu grande sucesso, “Shake it Off”. Além de artista completa, ela também é uma grande mulher de negócios: a artista mais jovem entre as maiores fortunas segundo a revista Forbes, duas vezes capa da prestigiada revista Time, que a considera uma das pessoas mais influentes do mundo.

Na França quem ainda não a conhece poderá acompanhar sua aparição no The Voice, em que ela aparecerá duas vezes: uma para cantar “Shake it Off” com os 12 finalistas e outra para cantar seu novo single “ME!”, em um cenários criado exclusivamente para a apresentação. “Esperamos que a essa apresentação vá chamar a atenção da França para o fato de que ela é a maior artista feminina do mundo, e os números não me deixam mentir”, diz Matthieu Grelier, diretor de programas da ITV France, que produz o The Voice. “Para nós, recebê-la é uma grande honra. Na França, que ela visita menos que os países vizinhos, nós não nos damos conta, mas é uma honra enorme, é muito raro vê-la na Europa. Ela só visitou duas emissoras de TV europeias.”

Virada para o pop

Mesmo vendendo milhões de álbuns no exterior, Taylor Swift obteve apenas o disco de ouro (50.000 unidades vendidas) na França com os seus três últimos álbuns: Red, 1989 e reputation. Por quê? “Falta um pouco de presença e visibilidade”, resume Gäel Sanquer, diretor de mídias musicais do grupo NRJ. “Ela não faz um show em Paris desde que veio ao Zénith (que nem estava usando sua capacidade máxima) em 2011 com o seu último álbum country ‘Speak Now’, e ela não veio promover nada aqui desde o final de 2014.”

“Para muitos, ela ainda é uma artista country, mesmo que tenha dado uma virada para o pop há sete anos”, continua Sanquer. “Mas ela percebeu isso. Ela sabe que a França é um dos três grandes mercados de discos na Europa, um objetivo prioritário. Ela fez um show particular em um barco aqui em 2012 e também em 2015 para o NRJ Music Awards, mas faltaram aparições nos últimos anos. Nós percebemos isso pelas reações da nossa audiência nas redes sociais.”

“Taylor Swift é muito apegada à França”, adiciona Natacha Krantz, diretora francesa da Mercury, gravadora da estrela americana. “Um grande sinal disso é que ela veio para cá apenas um mês depois de lançar ‘ME!’. Ela falar francês no clipe é outro sinal. ‘ME!’ será um dos grandes sucessos do verão.” Mas por que isso não aconteceu antes? “Porque a França é um país muito sentimental que precisa ver os artistas no palco e na mídia frequentemente. Mas isso muda. O clipe foi visto 1,8 milhão de vezes na França durante a primeira semana. Tudo está se encaminhando para que ela fique ainda mais forte.”

Fonte: Le Parisien


Tags

Comentários