O cantor de R&B Jesse Graham tinha entrado com um processo contra Taylor alegando que o “haters gonna hate” e o “players gonna play” de “Shake it Off” havia sido plagiado de sua música “Haters Gonna Hate”. O cantor pedia uma indenização no valor de $42 milhões de dólares. No dia 10 deste mês a juíza Gail Standish recusou o processo, e o seu veredito não poderia ser mais genial.

Entre as evidências que a corte juntou estão documentos que mostram que as frases “haters gonna hate” e “players gonna play” apareciam como resultados de pesquisas do Google antes de Graham gravar a sua música.

Para piorar a situação de Graham, a resposta dada pela juíza parecia parodiar o problema do cantor. Standish escreveu:

“No momento, a corte não está afirmando que Braham não poderá nunca, nunca mais trazer este caso de volta para julgamento. Mas, no momento, temos problemas e a corte não está certa que Braham pode resolvê-los. Como foi resolvido, a queixa possui um espaço em branco — um que requer que Braham preencha com algo mais que seu nome. E ao considerar a segunda parte da explicação da corte, Braham irá descobrir que um mero recurso com Band-Aids não irá consertar os buracos de bala neste caso. Por enquanto, os réus deixaram este processo para lá”.

Só aí, a juíza utilizou trechos de “Blank Space”, “Bad Blood”, “We Are Never Ever Getting Back Together” e fez referência à “Shake It Off”.

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up