09 de janeiro de 11 Autor: Erika Barros
Jornal Jordaniano comenta sobre “Speak Now”

Mesmo poucos meses pós o lançamento de seu novo álbum, Speak Now, Taylor Swift ainda recebe críticas positivas de diversas partes do mundo. Agora foi a vez do jornal The Jordan Times, da Jordânia falar sobre a artista country.

Taylor Swift fala agora

Por Jean-Claude Elias

AMMAN – É um pouco como Facebook ou smartphones. Você pode ou não ser adepto a eles, mas, a menos que você queira ser taxado como antiquado, você tem que saber algo sobre eles; eles são os objetos sociais indispensáveis do século 21. Ter pelo menos um CD da Taylor Swift também é um desses itens indispensáveis.

O último álbum lançado pela cantora americana, com o nome de “Speak Now” é um ótimo conjunto de 14 músicas perfeitamente balanceadas entre country e um pop-rock suave. Com apenas 21 anos, Swift vendeu mais de 34 milhões de músicas pela internet, o que a faz a “artistas com mais vendas digitais da história”, de acordo com o aceshowbiz.com.

Os invejosos devem podem falar que é em maior parte seus visuais estonteantes que vendem, não sua música. Eu consideraria isso parcialmente certo se dissesse que se sua aparência ajuda, são sua voz, sua música e seu inegável talento como compositora que deveriam receber os créditos primeiro. Outro ponto que os invejosos deveriam tomar nota é o fato – não um fato dispensável – de que todas as 14 músicas do CD foram escritas apenas por Taylor Swift, mesmo que a produção de primeira classe de Nathan Chapman faça grande diferença em termos de resultados sonoros e qualidade em geral. Swift também co-produziu o álbum e as gravações com Chapman.

As músicas são agradáveis, bem escritas e bem cantadas; essa é a tendência, o country-pop-rock suave. As músicas falam com a geração de 20-30 anos – A idade da Taylor afinal! A distinta voz da jovem dama é o que atrai sua atenção. É difícil não gostar dela, quer você tenha 50 anos ou seja uma adolescente, ou se sua preferência é pop, música clássica ou jazz.

Os arranjos instrumentais e os excelentes backing vocals contribuem bastante para o sucesso do álbum. De música a música há uma penetrante e súbita mudança de batida, tempo e atmosfera, fazendo com que haja satisfação em ouvir o CD por inteiro, sem parar. Eu gostei muito que a qualidade tenha se mantido nas 14 músicas. É também o tipo de música que você gosta mais ainda depois da primeira vez que ouve – certamente isso cresce em você.

Uma descrição apropriada do álbum vem de Rudy Palma no amazon.com: “…despretensioso, honesto e simpático. Ela tem um talento natural e habilidade para fazer músicas interessantes…”

Os números das vendas estão aí para confirmar “Speak Now” como o terceiro álbum que mais vendeu em 2010 com 3 milhões de cópias, e Swift como a top artista country do ano. Isso faz do CD um ótimo álbum, que está aí para ficar e continuar vendendo em 2011 e depois? Seria apenas se a música não estivesse tão previsível.

Por mais prazerosa e atrativas que possam soar, as músicas são muito semelhantes ao que ouvimos centenas de milhares de vezes. Muitos iriam colocar o CD na categoria dos que são consumidos rapidamente, de músicas descartáveis. Ainda, eu ouviria o “Speak Now” em vez de todos os álbuns de músicas cover que se tornaram tão comuns nos dias de hoje. O som da Taylor Swift é novo, fresco, atraente e genuíno. Mesmo que dure apenas por pouco tempo ou alguns anos, não é isso que eu estou preocupado no momento. Eu já ouvi o CD diversas vezes em meu carro, no meu aparelho portátil e no grande rádio estéreo da minha casa e até enquanto trabalhava; e eu ainda estou apreciando-o.

Fonte: The Jordan Times





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up