23 de agosto de 13 Autor: Erika Barros
Figurinista de Taylor Swift fala sobre os visuais da Red Tour

marina2

Os esplendorosos shows da Red Tour chamam a atenção do público pelos visuais elaborados de suas performances. Por trás dos figurinos que ajudam as histórias de amor de Taylor Swift a ganhar vida no palco está a designer de roupas e fantasias Marina Toybina.

A designer contou ao Hollywood Reporter sobre sua inspiração e preparação para os visuais do show. Toybina, que já fez roupas para o X-Factor, e turnês de Katy Perry Carrie Underwood, recentemente recebeu um prêmio Emmy, no dia 14 de Agosto, pelo design das fantasias do número de abertura de Swift no Grammy deste ano.

The Hollywood Reporter: Algumas das fantasias da turnê de Taylor pareceram que requerem muitos detalhes, especialmente o vestido branco vitoriano que ela usou ao apresentar “I Knew You Were Trouble.” Quanto trabalho foi utilizado na criação dessas peças mais elaboradas?

Marina Toybina: Como qualquer projeto de design, você tem certos estágios da arte que devem ser obtidos a fim de alcançar o inesperado. Para mim, detalhes de produção, coreografia, conceituação e, é claro, a visão de Taylor foi uma chave.
Uma vez que Taylor elaborou sua lista de canções para a turnê e a coreografia foi discutida, o processo de design entrou em pleno vigor para incorporar as ideias de Taylor. Depois que minhas criações foram aprovadas, esboços trancados e tecidos escolhidos, o retorno de Taylor foi integrado com detalhes alterados. Drapear, costurar, criar e bordar se tornaram mais do que um trabalho em tempo integral. Levou um pouco mais de três semanas para que eu e minha equipe arrumássemos toda a tour – difícil, mas não impossível. As provas foram um sucesso e empolgaram e, então, era hora do show!

THR: O que você diria que foi a inspiração por trás de todas as roupas?

Toybina: As músicas de Taylor, assim como nossa paixão, arte e individualidade. É o fogo dentro de todos os nós que mantém a mente acreditando e o coração batendo. Meu objetivo era ter certeza de que cada design contava sua própria história e pudesse servir, visualmente, como uma linda extensão para a presença de palco de Taylor.

THR: Considerando que havia tantas trocas de roupa durante o show, o que foi desafiador em criar 128 peças–23 para Taylor e 103 para os dançarinos?

Toybina: Desenvolver um show é um processo fluido, então você tem que estar pronto para lidar com os prazos e mudanças criativas. Se adaptar a trocas/alterações na roupa durante os ensaios da turnê não é sempre fácil ou prático, mas você faz isso e dorme depois que tudo termina.

THR: Com sorte você vai descansar um pouco agora. Qual foi seu momento favorito em trabalhar na Red Tour?

Toybina: [Assistir a] noite de abertura [em Omaha, Neb.]. Nada poderia ser mais gratificante do que ver seu próprio trabalho, ao lado de outros lindos comandantes, ganhar vida. Criar roupas é como um quebra-cabeça. Enquanto você constrói sua arte peça por peça, a determinação começa a evolver para sua própria obra-prima. É uma sensação como nenhuma outra.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up