07 de julho de 14 Autor: Airton
Entrevista da Taylor Swift para Woman Centre

Quando estava na Ásia com a parte final de sua RED Tour, Taylor Swift concedeu uma rápida entrevista para Woman Centre, onde fala sobre fama, voltar para a Ásia, seu quinto álbum e muito mais. Confira a entrevista traduzida abaixo:

Chame-a menina de ouro ou seu melhor par de sapatos, mas não é fácil ser Taylor Swift.

Ela manteve sua posição como uma das maiores estrelas do mundo pop nos últimos anos, enquanto é relativamente não viciada em polêmicas, até mesmo quando os detalhes de sua vida pessoal são esmiuçados por fãs e expostos sob o brilho das mídias sociais e tradicionais.

Se a rival Miley Cyrus é a exibicionista construindo sua marca lá fora pela sexualidade, Swift é a provocação, cujas canções parecem ser confessionais, sem revelar muito.

Apesar de muita especulação sobre canções recentes, como seus hits de 2010, Back To December e Dear John são sobre famosos ex-namorados, como a estrela de Crepúsculo, Taylor Lautner e o cantor John Mayer, Swift tem estado sempre de boca fechada sobre suas inspirações.

Esqueça, também, sobre quaisquer colapsos públicos, como Justin Bieber ao estilo da Pensilvânia, que começou sua carreira como um cantor de música country, antes de fazer um escalada de enorme sucesso ao pop.

Em entrevista por telefone de 10 minutos com a Life! de Tóquio – uma parada em sua, popular RED World Tour – ela diz que ter que lidar com a vida aos olhos do público fez dela muito cuidadosa em manter suas portas fechadas para o lado menos salgado.

“É interessante porque todos os dias da minha vida são documentados de alguma forma, ou há paparazzi do lado de fora do meu apartamento ou fãs me veem em um restaurante e eles tweetam sobre isso”, diz a cantora, que vai estar aqui para realizar duas noites no Cingapura Indoor Stadium.

“E isso é uma coisa interessante para lidar, porque alguns dias, você está completamente com vontade de conhecer estranhos e você quer conhecer o máximo de pessoas possível. E depois há dias em que você sabe quando você tem um dia ruim e você não quer se encontrar com alguém ou falar com ninguém. Quando eu acordo e eu estou de mau humor de vez em quando, eu sei que eu não posso sair de casa, porque não é uma opção parar e não falar com as pessoas”, diz ela.

“Minha vida é uma experiência muito social nos dias de hoje”, acrescenta com uma gargalhada.

Ficar em casa quando ela acorda do lado errado da cama é o preço do sucesso. Ela encabeçou a lista dos músicos mais bem pagos do ano passado da Billboard, fazendo pelo EUA 40.000 mil dólares por meio de vendas de músicas, royalties e música digital e rendimendo de streaming de vídeo, para não mencionar os estádios lotados na RED Tour em apoio do seu mais recente álbum de mesmo nome.

Como sua colega e ex-estrela infantil Cyrus, Swift praticamente cresceu no mundo da música.

Inspirado como uma pré-adolescente pelo cruzamento do country-pop como The Dixie Chicks e Shania Twain, a loira começou a se apresentar em torno de Pensilvânia. Para ajudá-la cantar e compor a carreira, a família de Swift se mudou para um bairro periférico de capital dos compositores dos Estados Unidos, Nashville.

A mudança valeu a pena tremendamente quando seu álbum autointitulado, lançado com a idade de 16 anos, tornou-se um sucesso imediato, permanecendo no topo das paradas musicais do país durante 24 semanas e atingindo um máximo de número 5 nas paradas de sucesso.

Desde então, todos os seus álbuns, Fearless (2008), Speak Now (2010) e RED (2012) tem atingido o pico em 1 º lugar nas principais paradas da Billboard. Até o momento, ela já vendeu 26 milhões de álbuns e 75 milhões de downloads digitais individuais.

Swift também é uma das estrelas musicais mais jovens condecorada dos últimos tempos, com um caminhão de prêmios que inclui sete Grammys (ela é a artista mais jovem a ganhar o álbum do ano), 15 American Music Awards, 12 Billboard Music Awards (ela é o artista mais jovem a pegar Mulher do Ano) e 11 Country Music Association Awards.

Em novembro do ano passado, Swift foi premiada com uma das maiores honras da música country – Pinnacle Award da Associação Country Music Awards. O único outro artista a ter pego o troféu, dado a artistas country que alcançaram o sucesso e reconhecimento global, é o rolo compressor country americano, Garth Brooks, 28 anos mais velho que ela.

A sua ascensão a partir de Nashville para o estrelato pop global pode ser resumida em como revista de música, Rolling Stone descreveu-a em dois artigos separados – ela foi considerada “queridinha da música country” em um artigo de 2008, mas em 2012, ela já era “princesa imparável do pop”.

Sua delicada boa aparência mostra uma cantora-compositora sagaz,  com melodias country-pop e caprichosas, letras diretas e viciantes, a conectou com legiões de fãs. Apesar de não ser uma fofoqueira, ela enfatiza que suas letras são um documento das coisas que aconteceram com ela na vida real.

Ela explica: “Em um sentido enorme, documentar a minha vida é uma prioridade n º 1, e documentá-la com a maior precisão possível, em forma de música. Prioridade nº 2 é ter certeza que eu estou documentando minha vida de uma maneira que os fãs possam entender e não está muito exagerado ou as coisas que eles querem ouvir.”

Seus fãs, ela vai fazer crer, dirigem todos os aspectos de suas decisões criativas, especialmente as músicas que ela interpreta em seus muitos shows esgotados.

“Praticamente tudo o que faço é baseado no que eles querem, não o que eu quero. Eu não toco minhas músicas favoritas que não eram populares no show, eu toco as músicas que eles querem ouvir.”

O mesmo princípio aplica-se a seu novo álbum ainda a ser nomeado, o quinto e o seguimento de RED, que já vendeu mais de cinco milhões de cópias até à data.

“Seguindo em frente na minha carreira, estamos em uma fase de planejamento muito importante agora, ficando tudo junto para o próximo projeto.”

“Cada escolha que eu faço é determinada pelo que eu acho que (os fãs) vão gostar e que eu acho que vai ser bom para eles para ver ou ouvir sobre o novo álbum.”

Ela estava toda segredo sobre as novas músicas  e não quis dar detalhes, nem mesmo a data em que se espera que sejam lançadas.

Com uma risada, ela diz: “Eu gostaria tanto de poder falar sobre o novo álbum, eu realmente gostaria, pois é tudo o que eu quero falar, é tudo o que eu penso, eu estou obcecada com isso. Tudo o que posso te dizer é que é a minha coisa favorita de todos que eu já fiz e eu prometo a você, você vai saber o porquê.”

“Eu acho que uma das coisas que é muito legal é que todos os meus fãs parecem ser muito similares em espírito e as coisas que eles amam”, diz ela sobre tocar para seus fãs na Ásia.

“Eles amam as letras, eles tendem a ser otimistas e eles tendem a ser bons para o outro e eles adoram vestir-se com roupas malucas para o show e memorizar todas as palavras das canções, mas há coisas diferentes em fãs separados em diferentes culturas, são diferentes os presentes que eles lhe dão. “

Seus fãs na China, onde tocou pela primeira vez no mês passado, deu-lhe canecas de café com gatos sobre elas (“que foi muito bom porque eu gosto de canecas de café e gosto de gatos”), enquanto seus seguidores no Japão tendem a dar-lhe os fãs japoneses tradicionais.

“Mas eles também dão um monte de acessórios para o cabelo, o que eu realmente gosto, porque agora que o meu cabelo é curto, praticamente tudo o que posso fazer com ele é um prendedor de cabelo ou uma tiara.”

Swift está ansiosa para seu show em Cingapura.

A última vez que fez um show com ingressos esgotados no Indoor Stadium foi em 2011. Ingressos para seu show de retorno em 12 de junho esgotaram rapidamente. Depois de seu show Bangkok na segunda-feira foi cancelada com a declaração do exército tailandês da lei marcial, Swift adicionou mais um show de Cingapura na mesma noite.

E, assim como com o seu último show, o plano é para sua mãe ir com ela. A mãe de Swift realmente passou parte da sua vida crescendo em Cingapura, quando o avô de Swift, que trabalhava para uma empresa de engenharia, mudou-se aqui para trabalhar.

“Minha mãe cresceu em Cingapura”, a cantora diz-lhe como uma despedida, antes de seu tempo concedido para a entrevista acabar. “Seus pais foram viajar para o trabalho do meu avô. Sempre foi realmente maravilhoso trazê-la de volta para que ela possa ver o seu antigo bairro e ver onde ela cresceu, eu acho que é muito nostálgico para ela.”

Fonte
Tradução e adaptação: Louise – Equipe TSBR





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up