03 de agosto de 20 Autor: Maria Eloisa Barbosa
Entenda a mudança no logotipo do merchandise do folklore

Quando Amira Rasool acordou na manhã de sexta-feira, ela não esperava entrar numa batalha contra Taylor Swift.

Rasool, fundadora e CEO da marca The Folklore, foi bombardeada com vários comentários na internet sobre o álbum surpresa feito em quarentena da premiada cantora e compositora, folklore, que ela lançaria à meia-noite, com muitas expectativas. Rasool não pensou muito no nome do álbum. Muitas coisas já foram nomeadas como “Folklore”, ela argumentou. Ela não tinha o monopólio do termo, que significa histórias, costumes e crenças tradicionais, normalmente transmitidas de boca em boca, de uma geração para a outra. Ela simplesmente deu de ombros.

Então, um amigo direcionou Rasool para o merchandise do folklore. Lá, na frente do suéter ou na manga de um capuz havia um logotipo que ela reconheceu. A tipografia era diferente. The Folklore usa uma fonte romana personalizada; já o álbum folklore usa uma letra em itálico que passa a atmosfera indie-folk e calma do disco. Mas a palavra “the” nos produtos estampados com “the folklore album”, inclinada de lado e colocada perpendicularmente ao restante da frase, era no mesmo estilo de design que Rasool usa desde 2018, quando lançou The Folklore para expandir a representação africana (pouco representada) e os designers africanos.

Então Rasool ficou surpresa. Ela estava planejando uma linha, na qual colocaria o logotipo “The Folklore” na frente e no centro. As pessoas acusariam Rasool de copiar Taylor Swift?

“Inicialmente, fiquei tão chocada”, diz Rasool, de 24 anos, natural de Nova Jersey que agora divide seu tempo entre a Cidade do Cabo e a cidade de Nova York. “Eu tinha ouvido falar de tantas mulheres negras que haviam sido roubadas por grandes corporações de celebridades. E eu simplesmente não podia acreditar que isso estava acontecendo comigo”.

Procure por “The Folklore”, diz ela, e seu site aparece logo nos resultados. Também é muito frequente na busca de Imagens do Google. “É muito difícil acreditar que [a equipe de Swift] não viu isso”, diz Rasool. “E se eles se depararam com isso – o que eu acredito que aconteceu – eles modelarem as mercadorias de Taylor com nosso logotipo, especialmente depois de ver o que é a nossa empresa, é realmente desanimador para mim”.

Um representante de Swift não respondeu imediatamente ao pedido de pronunciamento do InStyle. Na terça-feira de manhã, no entanto, a mercadoria parecia ter sido removida do site de Swift. Agora está assim: folklore Album.

The Folklore explora o talento de mais de 30 marcas, artistas e criações, oferecendo roupas, acessórios, calçados e bolsas, que a plataforma se refere como “a diversidade das paisagens urbanas contemporâneas da África e sua estética no design”. Além da loja on-line, The Folklore também fornece serviços de atacado para marcas africanas que buscam chamar atenção do mercado global. “Não se trata apenas de The Folklore e meus sentimentos serem feridos pessoalmente, mas isso é prejudicial para a nossa marca”, diz Rasool. “Eu tive pessoas que me perguntaram: ‘Oh, você colaborou com Taylor nessas [roupas]?’ Eles assumiram que era uma colaboração por causa da semelhança dos logotipos”. Isso também é possivelmente ilegal – Rasool possui a marca registrada ativa de “The Folklore” em roupas.

No dia 28/07, Amira Rasool tweetou a respeito das alterações feitas pela equipe de Taylor Swift: “Meu advogado Eric Ball, da Fenwick & West, entrou em contato com o gerente de Taylor, Jay Schaudies, desde o meio dia de ontem, após ele receber nossa carta expressando preocupação com o merchandise no site de Taylor. A equipe de Taylor tomou providências rápidas para remover “the” de todos os produtos. Faço um elogio à equipe por reconhecer os danos causados à nossa marca. Reconheço que Taylor tem sido uma forte defensora para que as mulheres protejam seus direitos criativos. Foi bom ver que a equipe dela está na mesma página. Foi um ótimo primeiro passo e estamos conversando agora com a equipe de Taylor sobre os próximos passos para corrigir essa situação”.

Publicamente, Taylor Swift respondeu a Amira Rasool no Twitter, dia 30/07, após a publicação da entrevista da InStyle com a CEO de The Folklore. “Amira, admiro o trabalho que você está fazendo e fico feliz em contribuir com sua empresa e apoiar o Black in Fashion Council (lançamento no dia 03/08) com uma doação”, escreveu Swift.

Matéria publicada pela InStyle e traduzida e adaptada pela Equipe TSBR.





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up