Sem título

Em sua passagem pela Ásia com a RED Tour, Taylor concedeu uma entrevista a um dos maiores periódicos voltados ao público adolescente da Indonésia e Malásia.

Na entrevista Taylor fala sobre o período em que seu novo álbum deve ser lançado, sobre o sucesso da Red Tour e é até questionada sobre Adam Young, do Owl City, para quem escreveu a música “Enchanted”, do álbum “Speak Now”.

Atenção: A entrevista precisa ser lida com cuidado, pois as perguntas foram feitas em outra língua para que, então fossem traduzidas para o inglês para que Taylor respondesse e, então, suas respostas eram traduzidas a língua nativa do entrevistador. Tão confuso que pode ter gerado respostas bem inesperadas, ou aparentemente muito diretas.

MULTI-TAY-LENTOSA!

Assim como assistir a sua apresentação de All Too Well, todo o show da RED Tour em Jakarta foi All Too Perfect!

O show de Taylor Swift vai fazer o seu coração derreter, tanto pela artista quanto pelo o evento por si só. Até mesmo aqueles que assistem aos vídeos do Youtube definitivamente ficariam impressionados.

A fanfarra que a maiorida dos fãs estavam esperando pelo show da RED Tour, foi experimentada assim como fora imaginada. O ritmo, as atrações, os vestuários, o palco, o público e até o meet-and-greet – do qual haviamos apenas visto através de videos na internet – se tornaram reais e foram vivenciados por milhares de fãs no local, o Mata Elang International Stadium (MEIS), em Jakarta, na quarta-feira, 4 de junho.

O show começou às 20:30 no horário local. A cortina vermelha e a silhueta de Taylor Alison Swift apareceram juntas e marcaram o inicio do show. A cantora de Nashville cantou a primeira faixa de seu álbum, Red, State of Grace.

Ela apareceu no palco vestindo uma camiseta branca e shorts preto de cintura alta, combinados com uma meia-calça preta que cobria suas longas pernas. Existe uma razão pela qual Tay cobriu cuidadosamente suas pernas durante todo o concerto: claramente ela obedecia a recomentação do produtor do show para que não se mostrasse muito provocante. Como muitos ainda lembram, Lady Gaga teve que cancelar seu show em Jakarta após ignorar o mesmo conselho.

“Boa noite Jakarta, eu sou a Taylor. Sejam bem-vindos a RED Tour Jakarta!” Ela disse com um sorriso em seus lábios pintados de vermelho. No palco, Tay era como um camaleão que podia mudar de uma garota calma e doce para uma atraente mulher com seus cabelos loiros. Na parte de Holy Ground, Tay provou sua habilidade como uma artista de palco. Ela tocou os tambores com vontade e alma, cheia de expressão.

Nós gostamos do conceito e do ritmo das cenas que foram apresentadas no palco. Tay e sua equipe já apresentaram o mesmo show em outros países antes de visitar Jakarta. Mas para aqueles que o assistiam pela primeira vez, vê-lo pessoalmente certamente deixou uma impressão inesquecível.

A audiência se emocionou quando Taylor explicou o real significado de seu álbum, o RED, que é a cor do amor e ela apontou o fato de que é uma das cores da bandeira da Indonésia. O vídeo da vida de uma estrela além dos palcos, que passava no fundo enquanto ela cantava The Lucky One, mostrou para a plateia o quão dificil esse processo pode ser.

Colocando o seu coração no piano

A personalidade sociável e divertida de Tay também se revelou quando ela se comunicava com a plateia, como se estivessemos em uma conversa com um de nossos amigos. Começa com a amizade, se torna amor e, então, todos ficam sentimentais.

“Normalmente se alguém me pergunta sobre as minhas composições, o que eles querem saber é como eu escrevo uma canção. E a minha resposta é simples: escrevo canções baseadas em coisas pessoais que aconteceram em minha vida e que me atormentam. Parece triste e depressivo, mas é o que aconteceu. Existem muitas coisas que deixam cicatrizes por dentro, e nesses dias tristes, eu componho. Mas algumas vezes, não são só coisas ruins que aconteceram. Algumas vezes, coisas boas me atormentam também.” Ela entregou seu coração por alguns segundos antes de cantar All Too Well em seu piano. A música parou por um segundo e Tay estava segurando as lágrimas. Esse foi o ponto alto do show.

Multi-talentosa

Tocar o violão, banjo e o piano enquanto mantém a qualidade de sua voz durante todo o show, adicionando com a sua beleza dentro e fora, é o especial pacote completo que é Taylor Swift. A audiência não teve que esperar muito para ouvir suas músicas preferidas saírem da boca de Swift. A maioria ficou impressionada pelo concerto como um todo e seu conceito.

Não se pode esquecer que Taylor dançou com seus cinco bailarinos, que a acompanharam em 22, Love Story, Mean, We’re Never Ever Getting Back Together e The Lucky One. Até mesmo a dança foi apresentada em um número de diferentes temas, começando pela clássica até outras modernas. Não existem muitos cantores que conseguem realmente dançar no palco. Tay é uma das poucas que consegue fazer ambos, mesmo que a dança não seja a sua melhor habilidade.

No total, Taylor cantou 13 músicas naquela noite, criando memórias inesquecíveis e uma experiência notável. Eu ainda posso ver seu batom vermelho, seus olhares e até mesmo como ela falava. Até mesmo enquanto deixava o prédio do MIES, nós ainda cantavamos sozinhos We Are Never Ever Getting Back Together, que foi a última música que Tay cantou naquela noite.

Nós te amamos, Tay.

Do salto alto até a Adam Young

Começar uma conversa com Taylor Swift foi surpreendentemente fácil. Ela foi muito aberta e amigável. Começando com uma pergunta sobre seu tamanho, a discussão continuou tranquilamente. Nós falamos de vocês também!

Oi Taylor! Meu Deus, é mesmo você? Você é muito alta!

Oi, eu sou a Taylor. É muito bom te conhecer. Eu não sou tão alta assim. Na verdade, estou de salto alto, então não fique surpreso.

Essa é a sua primeira vez na Indonésia, o que fez com que você e seus empresários decidissem vir para cá com a RED Tour?

Bem, já fazem dois anos que a Indonésia é uma prioridade minha. Mas desde então tivemos problemas de agenda, e eu só consegui fazer um show aqui agora. Porque meus fãs ficavam me mandando tweets, e eu decidi: “Eu devo ir para lá nesse ano!”

Então, com a RED Tour nesse ano você decidiu a ir a lugares bem improváveis como China e Indonésia. Por quê?

Eu queria experimentar algo novo. No começo, eu não estava tão confiante em encarar o desafio de fazer shows nesses lugares. Mas ao ver a realidade de que os ingressos para esses shows esgotaram, eu só conseguia pensar: “Como podem países que eu nunca visitei antes estarem tão animados?”

A cultura e a língua asiática são bem diferentes da sua. Por que você acha que as vendas de seus CDs na Ásia são tão expressivas?

Eu não sei porque a minha música é tão popular na Ásia. Mas eu me sinto realmente honrada, uma vez que o inglês não é a sua língua materna. Eles realmente tentaram aprender com as minhas músicas, e cantá-las enquanto eu estou no palco. Então eu me sinto orgulhosa de poder ter exercido uma boa influência para eles.

Agora vamos falar de música. Qual parte do processo que você é mais apaixonada ao criar um álbum?

Para mim, a composição é meu procesos favorito ao criar um novo álbum. No começo, eu gostava de escrever poemas. Mas o tempo passou, e eu descobri que compor músicas era mais emocionante. Mesmo que, às vezes, eu goste de cantar aleatóriamente sem realmente saber o significado daquilo.

Quando o seu novo álbum será lançado? A que ponto ele está no processo de gravação?

No momento eu estou trabalhando duro para finalizar o meu novo álbum o mais rápido o possível. Não posso revelar nenhum detalhe ainda. O que está claro é que será a minha coisa favorita que eu já fiz na vida, mais do que os anteriores. Talvez, entre Outubro e Novembro seja a hora certa de lançá-lo.

Falando sobre homens, existem muitas músicas em seus outros álbuns – e no Red – que foram insiradas por experiências com relacionamentos passados. E existem muitos que discordam com este conceito, incluindo o John Mayer. O que você acha disso?

Bem, se eu quero escrever sobre os meus ex, eles também podem escrever uma música sobre mim. Então, qual é o problema? Eu não sou a única que pode escrever música sobre eles. Se eles quiserem, que respondam!

Ok. Agora sobre Adam Young, que você deixou esquecido. Você escreveu uma música sobre ele, Enchanted, que ele depois fez um cover em sua homenagem. Por que não existiu uma resposta?

Ah, sobre isso, existem muitos covers de Enchanted. Eu não prestei muita atenção a versão dele. Mas dizem que é boa.

Obrigado, Taylor, pelo tempo que conversou comigo. Eu ainda não consigo acreditar que finalmente te conheci!

Oh, isso é legal da sua parte. De nada!

Créditos





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up