Desde que apontou no cenário musical, Taylor Swift mostrou que sua principal marca como cantora e compositora são suas letras extremamente pessoais e confessionais baseadas em situações vividas no cotidiano da própria ou em algum lugar que sua imaginação – digamos que bem fértil – a levou, e quase todas acabam girando em torno de uma mesma coisa: o amor. E com o amor sendo o tema principal, seus namorados se tornaram um adereço fundamental para regar sua fonte de inspiração. Não tratando homens como objetos, a própria Taylor declara que acredita no amor, príncipes encantados e contos de fadas, e que não irá parar de buscar o verdadeiro amor até achá-lo, e com apenas 23 anos sua busca continua a todo vapor com seus namoros curtos, porém intensos.

Em 2008, ao explodir no cenário country e pop mundial com seu segundo disco, “Fearless”, Taylor também começou a ter sua vida amorosa nos holofotes começando por namorar o líder da banda teen Jonas Brothers, Joe Jonas, que acabou o relacionamento dos dois com a famosa ligação de 27 segundos relatada por Taylor, dando origem a “Forever & Always”, música presente no “Fearless”, e também a outras que estariam em  seu próximo disco que ainda estava por vir.

Já em 2009 Taylor foi convidada para o seu primeiro papel no cinema na comédia romântica “Idas e Vindas do Amor” (Valentines Day) contracenando com a estrela de Crepúsculo e seu xará, Taylor Lautner, o que após alguns beijos e amassos de seus personagens, acabou saindo do set de filmagens para a vida real, resultando em um novo romance que poucos meses depois chegou ao fim com o sex simbol John Mayer entrando em cena.

John, 12 anos mais velho que Taylor, chega a ser apontado por muitos como o motivo de ela ter terminado com Lautner, resultando em um arrependimento da mesma expresso em “Back To December”, lançada em seu terceiro álbum, “Speak Now”.

O romance com Mayer não chegou aos olhos do público tão abertamente como os dois anteriores, na verdade nem podemos afirmar se realmente chegou a um namoro propriamente dito ou apenas uma ficada de momentos, porém não resta dúvidas de que Taylor ficou caída de amores por John durante o final de 2009 quando os dois trabalharam juntos em uma das faixas para o novo disco de John, ou quando ele fez uma participação especial em um dos shows da “Fearless Tour”, ou quando foram clicados juntos nos bastidores de eventos e premiações.

Mas assim como um romance pode fazer Taylor transbordar de alegria, seu final pode deixá-la devastada, como foi quando seu encantamento por John Mayer acabou, descrito em uma de suas canções mais diretas até o momento, “Dear John” presente também no “Speak Now”, que já continha faixas sobre os dois relacionamentos anteriores.

Após John, Taylor deixou o coração vazio até o lançamento do “Speak Now”, em outubro de 2010, quando Jake Gyllenhaal entrou em cena. Taylor e Jake namoraram entre outubro e dezembro daquele ano, com momentos íntimos como o da semana de Ação de Graças do casal estampando a capa das principais revistas de fofoca dos Estados Unidos.

Esse romance, apesar de breve acabou dando vida a grande maioria das faixas do quarto álbum de estúdio de Taylor, que estava por vir ainda a quase 2 anos depois. Após esse rompimento, Taylor resolveu dar uma folga ao seu coração passando mais de um ano apenas focada em seu trabalho, com a “Speak Now World Tour” a todo vapor, o processo de criação de seu novo álbum, viagens ao redor do mundo, por um momento Taylor havia se tornado uma mulher aparentemente “ocupada demais” para quebrar a cabeça com um novo relacionamento e tudo o que ele inclui, desde conhecer uma nova pessoa, se apaixonar, tentar fazer o relacionamento durar, e no seu caso, inevitavelmente, lidar com um final mais uma vez devastador.

Durante o ano de 2011 inteiro a mídia tentava por vezes ligar Taylor a todos os caras que se aproximavam dela por algum motivo, porém sem sucesso, já que Taylor deixou claro que realmente estava curtindo seu momento de solteirice.

Com tanto tempo passado, no verão de 2012 nos EUA, Taylor deu indícios de que havia encontrado o amor novamente, quando começou a namorar um dos herdeiros da família Kennedy, o jovem de apenas 18 anos, Conor Kennedy. Foi literalmente um amor de verão, com dias na casa de praia da família, passeios de barco, muito sol, trocas de carinho em público e nenhum medo de o que a mídia poderia achar disso.

Nessa época, Taylor já se preparava para lançar seu quarto álbum de inéditas e suas férias estavam tendo um fim, e com elas, também o relacionamento com Conor. Pouco depois do lançamento de “Red”, Taylor e Conor Kennedy puseram um fim no namoro.

Em sua incansável busca pelo amor, apenas um mês depois começou a circular rumores de que Taylor já estaria se aproximando de Harry Styles, integrante da boyband inglesa One Direction. Não demorou muito para os dois começarem a ser vistos juntos, em Nova York, Londres, Los Angeles, onde um estava o outro também estava. Passeios românticos, viagens e mais viagens. Um fim de ano agitado tanto na vida profissional como na pessoal.

Na virada de 2012 para 2013 Taylor ainda mantinha a relação com Harry, quebrando a “tradição” que manteve com os relacionamentos anteriores de sempre terminarem antes da virada do ano. Os dois chegaram em 2013 com um apaixonado beijo a meia noite na Times Square em Nova York.  Porém, não serviu de garantia para que o namoro durasse mais tanto tempo, pois logo na primeira semana do ano Taylor e Harry fizeram uma viagem romântica às Ilhas Virgens Britânicas que não saiu como o planejado, pois aparentemente seu namoro chegou ao fim durante a viagem, onde o casal já retornou para casa separado.

Muitas vezes julgada e mal compreendida por alguns, a vida amorosa de Taylor é também uma fonte quase que inesgotável de temas para manchetes de tablóides famosos, desde aumentar significativamente o número de caras na listinha pessoal de Taylor a extremos como afirmar que a cantora é assexuada!

O fato é que mesmo com um currículo invejável de ex-namorados famosos, Taylor Swift nunca usou esse fator para promover seu nome na mídia, pois sempre faz questão de deixar claro que sua vida pessoal é somente sua vida pessoal, e como artista, Taylor procura focar todas as atenções para seu trabalho.

“O modo que eu encaro o amor é que você deve mergulhar de cabeça, e ao mergulhar de cabeça você deve esquecer o que as outras pessoas pensam”, é assim que Taylor define os altos e baixos de sua vida amorosa, o que deixa claro que comentários negativos e machistas a respeito disso não a afetam. Pois, se no fim das contas, essa continua sendo sua maior inspiração, não só os fãs, como todos os amantes de música, mal podem esperar para Taylor se apaixonar por um novo famoso e se decepcionar novamente para descobrir como tudo aconteceu em uma nova leva de músicas cativantes como apenas ela sabe fazer, ou que encontre realmente o amor verdadeiro que tanto procura, famoso ou não.

 





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up