header38

A rede de notícias CNN escolheu as 10 figuras mais influentes no entretenimento em 2014. “Com talento e sorte, quase todo mundo pode ser famoso”, diz a introdução da página especial criada para a divulgação dos resultados. “Mas é mais dificíl ser uma influência — introduzir uma tendência, mexer com a indústria, inspirar outros a seguir o seu exemplo”. Beyonce, Chris Pratt, Laverne Cox, Jimmy Fallon, Chelsea Handler, Jennifer Lawrence (que foi escolhida pelo público no Facebook da CNN), John Oliver, Shonda Rhimes e Pharrell Williams fazem companhia à Taylor entre as 10 figuras da cultura pop que alcançaram um novo sucesso comercial e de criticas em 2014. A diferença é que todos eles fizeram de maneiras novas e inovadoras, ditando as próprias regras.

A salvadora da indústria da música

Quem poderia adivinhar que tinha tanto aço por baixo do exterior de menininha de Taylor Swift?

Até 2014 Swift era conhecida por amar seus fãs e obter vingança lírica em cima de seus ex-namorados. Mas com a chegada do 1989 em outubro, Swift provou que não é somente uma estrela do pop. Ela também é uma empresária esperta e poderosa.

É o próximo passo sensato na evolução de uma cantora que lançou a sua carreira na música country aos 16 anos e tem resistido às criticas de que os seus relacionamentos eram puramente pela publicidade — e material para músicas.

No começo do megasucesso do 1989, seu primeiro álbum verdadeiramente pop e o único a vender mais de um milhão de cópias em sua primeira semana neste ano, Swift executou uma jogada que parecia ser chocante e cara: Ela retirou todo o seu catálogo do serviço de streaming musical Spotify.

De acordo com o chefe do Spotify, a decisão de Swift pode ter custado à ela $6 milhões. Foi uma escolha que a cantora pareceu sugerir em um artigo para o Wall Street Journal.

“A música é uma arte, e arte é importante e rara”, ela escreveu. “Coisas que são importantes e raras, são valiosas. Coisas valiosas devem ser pagas. É a minha opinião que a música não deveria ser de graça, e eu prevejo que algum dia os artistas e seuas gravadoras poderão definir o preço exato de um álbum. Eu espero que eles não se menosprezem e desvalorizem a sua arte”.

Swift mostrou para o mundo não apenas que ela entende o seu próprio valor como artista, mas que ela está disposta a ir contra a corrente para assegurar que os outros também saibam disso.

Fonte





Twitter do site

Facebook do site

Scroll Up